Guia da Semana

Falando como gente grande

O aprendizado de um segundo idioma garante diversos benefícios para as crianças, além de ser um divertido passatempo

Foto: Getty Images


High School Musical, Jonas Brothers, TV a cabo, games de computador.por estes e vários outros caminhos, o inglês chega ao cotidiano de meninos e meninas cada vez mais cedo. Aqueles pequenos adoráveis dentro de casa, ou sala de aula, por incrível que pareça, têm mais facilidade que os adultos para desenvolver o domínio de uma segunda língua.

Enquanto as crianças se divertem, os pais se preocupam em transformar essa interação com a língua estrangeira em aprendizado real, buscando cursos cuja pedagogia acompanhe e respeite o desenvolvimento dos filhos.

Em geral, uma criança fala as primeiras palavras com um ano de idade. Aos dois anos, ela consegue formar frases em sequência e, um ano depois, pode manter uma conversação e seu vocabulário pode alcançar cerca de 900 palavras. É neste momento que se inicia o período ideal para o aprendizado de um segundo idioma, já que a formação de sinapses é maior nos primeiros anos de vida e a assimilação da língua se dará de forma natural.

Com isso, crianças de apenas três anos podem falar fluentemente qualquer idioma, pois o mesmo se torna sua língua materna também. De acordo com pesquisadores, a aprendizagem de uma segunda língua torna-se mais fácil até os seis anos de idade, no período pré-escolar, quando o mecanismo de aquisição da linguagem encontra-se plenamente atuante na criança. É neste período que os fundamentos neurobiológicos do desenvolvimento da linguagem estão em formação, facilitando a aprendizagem de duas línguas simultaneamente.

Outro fator positivo da pouca idade é não possuir vícios de linguagem. Assim, estes pequeninos aprendem naturalmente, sem se preocupar se na estrutura coloca-se o adjetivo antes do substantivo ou se a frase está no present continuous. Eles falam com desenvoltura, naturalmente e sem sotaque.

A criança bilíngue compartilha um grande número de traços com seu homólogo unilíngue. Ela também adquire progressivamente novas aptidões psicomotoras que lhe permitem administrar a organização espacial e temporal de seu ambiente, e resolver tarefas cognitivas cada vez mais complexas.

O mais importante é que a criança tenha uma experiência de aprendizagem gostosa e lúdica e que o aprendizado se torne uma referência positiva em sua vida.

Quem é o colunista: Djenifer Berardi.

O que faz: Coordenadora de Comunicação do Kumon.

Pecado gastronômico: chocolate.

Melhor lugar do Brasil: Ilha do Mel.

Fale com ela: djenifer.berardi@kumon.com.br.


Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte