Guia da Semana

Fazer xixi na cama

A enurese noturna pode ser causada pela reunião de fatores físicos e psicológicos

Fotos: www.sxc.hu
Quem é que nunca viu seu filho acordar chorando no meio da noite e dizer: "Fiz xixi na cama"? Muitos pais ficam em dúvida sobre como reagir quando essa situação vem à tona. A repreensão pode resultar em uma queda brusca da auto-estima e a compreensão exagerada pode dar à criança a impressão de que esse tipo de comportamento é normal.

Se acontece uma vez isoladamente, a incontinência urinária noturna pode ser considerada normal; mas, se a criança começa a fazer xixi na cama constantemente, algo de errado está acontecendo.Muitas vezes, se os pais não respeitam o tempo da retirada da fralda dos pequenos, a enurese noturna começa a ser vista como um problema quando, na realidade, não é. Segundo a pediatra Marcia Cuminale, os problemas só podem ser avaliados no contexto de cada criança. "Pode ocorrer retirada de fralda precoce, falta de amadurecimento neurológico, etc. Cada criança tem o seu tempo e ele deve ser respeitado pelos pais. A celebre frase ´cada caso é um caso´ é a mais pura verdade".

O ato de fazer xixi na cama só pode ser considerado um problema e começar a ser investigado quando acontece mais de duas vezes por semana, em crianças maiores de 5 anos. Antes dessa idade, é comum que a criança deixe o xixi escapar algumas vezes, pois ainda não tem total controle da micção.

Graus de enurese

Há dois tipos de enurese noturna: a primária e a secundária.

A enurese primária é aquela que se manifesta em crianças que nunca conseguiram deixar a cama seca por um período maior do que seis meses. Estes casos são vistos como mais leves, pois, a criança ainda não conseguiu dominar a micção.

E a enurese secundária é aquela que se manifesta em crianças que já conseguiram controlar a micção por mais de seis meses e, de repente, por conta de algum fator físico ou psicológico, perdem o controle desta função. Estes casos costumam ser mais preocupantes, já que a criança tinha domínio sobre a micção e o perdeu repentinamente.

O que fazer?

Antes de mais nada, os adultos devem conversar abertamente com os filhos sobre o que está acontecendo. Segundo a psicóloga Maria Laura Gomes, pai e mãe devem pensar o que mudou na família nos últimos tempos e o que pode ter alterado a rotina do pimpolho. "É preciso nomear essa mudança para a criança e explicar o que está acontecendo, para que ela entenda que pode estar expressando suas emoções ao fazer xixi na cama".

Em uma primeira investigação, os pais devem buscar justificativas psicológicas para o problema. A chegada de um irmão, a mudança de escola, o excesso de atividades diárias e a falta de atenção são somente alguns exemplos dos possíveis motivos que levam os pequenos a perderem o controle da urina durante a noite.

Nesse momento, a ajuda de um profissional é de extrema importância, pois além de ajudar a criança a lidar com um sintoma de sua dificuldade de expressar seus sentimentos, o psicólogo também ampara os pais, ensinando-os a agir nessa situação. "É interessante que os adultos façam sessões de terapia para falar sobre essa dificuldade dos filhos; só assim eles conseguirão superar o ´onde foi que eu errei´ e baixar a ansiedade para lidar com a situação", diz Laura.

Uma técnica interessante para que a criança comece a lidar com a causa da enurese e entenda que pode mudar isso é os pais colocarem limites na hora em que o ´xixi na cama´ acontece. Se os adultos pedirem para que os pequenos ajudem a trocar o lençol sujo e, enquanto isso, explicarem o que aconteceu, responsabilizando a criança (sem brigar com ela), esta tem grandes chances de superar o problema. "Os pais nunca devem fingir que não estão vendo o que está acontecendo. Poupar a criança e esconder a realidade, só agravam o incômodo".

Se após todas as tentativas de conversa e tratamento psicológico o problema persistir, é importante que os pais consultem o pediatra da criança e investiguem a possibilidade de causas orgânicas. Afinal, a enurese noturna pode indicar problemas de saúde mais graves, como uma infecção urinária.

"Quando uma criança chega ao consultório com enurese é realizado um exame clínico e, se existir necessidade, são solicitados os exames urina 1, urocultura e ultra-sonografia , diz Marcia Cuminale. Em caso de manifestação de alguma alteração em qualquer destes exames, o pediatra indica um urologista para fazer o acompanhamento mais específico da enurese e de suas causas.

Seja qual for a causa da enurese noturna, o importante é que os pais estejam sempre atentos ao comportamento dos filhos, deixando claro que estes podem contar com o apoio materno e paterno e que têm total liberdade para expor seus problemas, sentimentos e necessidades. Os pequenos não devem ser recriminados; têm que viver em um ambiente com muita conversa e sinceridade.

Profissionais consultados:
Marcia Cuminale - Pediatra - Consultório: (11)3845-8011 - cuminalemarcia@uol.com.br
Maria Laura Gomes - Psicóloga - Rua Doutor Franco da Rocha, 488 - Perdizes - Das 8h às 22h

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte