Guia da Semana

Férias...algo melhor?

Não ter horário para acordar, não pensar na escola...época boa que não volta!

Foto: Getty Images

Antes de imaginar que um dia faria faculdade, quando chegava dezembro, só pensava em acabar logo a semana de provas e poder gritar: Férias!! Acredito que essa época do ano para qualquer adolescente ou criança é uma das mais esperadas, porque conta praticamente dois meses, dezembro e janeiro, muito melhor do que o mês frio de julho.

Poder viajar, ir para a praia, ou até mesmo ir com os pais até São Paulo e fazer algumas comprinhas nos lugares alternativos da cidade, onde o preço é bem mais acessível, eram algumas das opções. A única coisa que me alegrava profundamente, a cada dia de descanso, era não escutar minha mãe abrindo a porta do meu quarto gritando meu nome para tomar café e ir para a escola. Ela era meu "despertador".

O que eu gostava mesmo era poder ir para o sítio de uma tia, perto da cidade. É bem clichê esse negócio de "estar perto da natureza", mas garanto que, mesmo morando em uma cidade pequena na época, ir para esse lugar era o auge das férias. Tudo bem que, para qualquer adolescente, ficar longe da televisão e do computador não é lá algo maravilhoso. Mas, há meios de arrumar o que fazer nestes lugares. Como estava entrando o verão, ia nadar nas cachoeiras, fazer trilhas (sempre com um adulto por perto, porque sair só com sua turma, impossível) ou ficar no pomar comendo frutas diretas do pé. Como diz o comercial: "Não tem preço".

Mas, ficar em casa jogando videogame também era diversão na certa (na época era Atari e nem sonhava que existiria o famoso Play Station 1, 2 e por ai vai). Reuníamos todos os primos e primas e ficávamos o dia inteiro na pequena sala de casa competindo e se um perdesse, ficava furioso (eu era um desses). Minha mãe chegava a ficar desesperada ao ver que ninguém saia de lá nem para tomar o café da tarde! Sempre era preciso algum tio aparecer na janela da sala e gritar "ninguém aqui tem casa?", para perceber que já era bem tarde. Tudo bem! Continuávamos no dia seguinte, por que não? Afinal, não precisávamos nos preocupar...estávamos de férias!

Hoje, morando em São Paulo, percebo que muitos adolescentes não viajam, nem com sua turma nem com a família. Achar que ficar dentro de casa o dia inteiro, assistindo TV ou na frente do computador, e só sair para ir pra balada à noite é o melhor para suas férias, está enganado. Ir com a família para a casa na praia, conhecer algum lugar nesse Brasil, cheio de opções, são ótimas dicas. Viajar é sempre bom, independente se é com seus pais ou com os amigos. Você conhece novas pessoas e lugares, ocupando esse tempo livre de forma até mais produtiva, pois acaba fazendo planos para as férias seguintes! Quem é a colunista: Maraísa Bueno.

O que faz: jornalista e repórter da equipe do Guia da Semana.

Pecado Gastronômico: uma boa massa e, é claro, chocolate!

Melhor Lugar do Brasil: minha casa, na pequena cidade de Serrania, sul de Minas Gerais (também não dispenso uma boa praia!).

Para Falar com ela: maraisabf@yahoo.com.br

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte