Guia da Semana

Maior responsa

Alguns adolesecentes assumem muitas responsabilidades ao mesmo tempo. Saiba como é a vida deles e quais as consequências

Foto: Getty Images


Responsabilidade parece um termo sério demais, não é mesmo? Dá a impressão de que vai ser preciso se esforçar muuuito para um dia tornar-se um adulto responsável. Mas se você parar para pensar, vai ver que já assumiu tantos compromissos ao longo da vida - alguns até que nem imaginou existir - e cada um com sua importância em determinada fase. "Um adolescente responsável é aquele que sabe interpretar as regras impostas pela sociedade e lida bem com os limites", explica o psicoterapeuta Alessandro Vianna. Esse tipo de pessoa sabe entender qual é o momento da obrigação e do lazer sem se estressar. De acordo com o especialista, os teens responsáveis só têm a ganhar por terem facilidade em adaptar-se a várias situações e serem valorizados por isso.

Alice Neves é 'o' exemplo de uma adolescente comprometida com a vida. Ela diz que tudo o que faz hoje é sempre pensando em seu futuro. "Tenho de aproveitar minha juventude e estudar muuuito mesmo. A concorrência está muito acirrada e tenho que correr atrás do meu objetivo de vida", fala a estudante, que está prestando vestibular para obstetrícia na Universidade de São Paulo(USP), na unidade Zona Leste da capital paulista.

Foto: Getty Images


Rotina de gente grande

Com apenas 18 aninho anos, Alice enfrenta uma maratona de afazeres todos os dias da semana. Ela costuma acordar cedo, às 7h, e ir para academia. Volta em torno das 9h, estuda em casa até a hora de ir para o cursinho, às 15h10. Depois das 19h, Alice já está em casa, costuma jantar com a família e se entrega aos estudos até às 22h. Além das terças e quintas, que ela faz aulas de inglês pela manhã.  Porém, conta que seu dia a dia já foi mais corrido. "No ano passado, eu estava no colégio, fazia academia, aulas de inglês e ainda trabalhava como recepcionista", lembra. Ela pediu aos pais para trabalhar durante o ano de 2009 e confessa que se sente com muito mais disposição e mais útil, quando está empregada.

A estudante diz ter se espelhando no exemplo de vida dos pais e garante que eles jamais precisaram cobrar nada, pois sempre esteve em ordem com suas obrigações. De acordo com o professor de psicologia de adolescentes da Pontifícia Universidade Católica (PUC), Miguel Perosa, a responsabilidade não é uma característica genética, mas sim adquirida. "À medida em que os pais promovem autonomia para as crianças, elas vão aprendendo a se responsabilizar por seus próprios atos e, assim, ao longo da vida", informa. No entanto, o psicólogo alerta que os pais não podem ficar vigiando o filho e cobrando que ele estude o tempo todo, pois menos autonomia gera menos responsabilidade.

Vianna também compartilha da mesma opinião e acrescenta que os pais de um adolescente responsável, conhecedor de seus limites, acabam dando mais liberdade ao filho. Assim, esses jovens têm a possibilidade de usufruir de momentos mais amplos de prazer e diversão, do que se entretendo com o álcool e as drogas. A garotada que cumpre seus deveres não costuma ter problemas com a família, já que sempre corresponde às expectativas dos pais. Os amigos afeiçoam-se mais aos que  compartilham da mesma maneira de pensar, pois é na adolescência que eles tendem a buscar pelos iguais. "Minhas amigas possuem o mesmo estilo de vida que eu: gostam de trabalhar, pensam no futuro e contam com boa base familiar", fala Alice. Conciliar obrigações, família, amigos e lazer não é tarefa fácil, mas é possível. É preciso ter disciplina, seguir bons exemplos e saber dosar suas atividades diárias.

Foto: Getty Images


Obediência x Responsabilidade

Quem nunca escutou um adolescente reclamar que leva muita bronca dos pais na hora de estudar e é obrigado a ficar horas na frente dos cadernos? No entanto, o que alguns pais e mães confundem é obediência com responsabilidade. Se esse teen conseguiu cumprir suas tarefas, mas está revoltado com a situação, significa que ele é obediente e não responsável. O que não exclui a possibilidade dele agradecer aos pais, anos mais tarde, por forçá-lo a estudar. "Caso isso aconteça, o estudo forçado virou um hábito e, depois um propósito pessoal", pontua Pedrosa.

Há um outro tipo de adolescente que costuma puxar as responsabilidades para si e assumir coisas que não são tarefas para sua idade, como cuidar dos afazeres de uma casa ou vigiar o irmão mais novo. Pedrosa afirma que, em certas famílias, essa situação é necessária, mas não provocaria trauma se a mãe conversasse com o adolescente e não impusesse responsabilidades que não lhe cabem. Vianna ressalta que o teen responsável em excesso pode camuflar um ser humano tímido, introspectivo e, muitas vezes, infeliz. "O excesso de comprometimento pode ser um tipo de fuga", alerta.


Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte