Guia da Semana

Mais uma chance

Nem tudo está acabado! Confira algumas dicas que podem mudar a história do jogo na prova de recuperação



Com o fim do primeiro semestre, a expectativa para as férias aumenta a cada dia e todos aqueles assuntos que tiraram o sono dos estudantes, como regras gramaticais, fórmulas e teoremas ou a conquista histórica de Napoleão Bonaparte já não são mais o tormento da vida de muitos alunos. Contudo, dizer adeus aos livros e cadernos não é privilégio de todos e, para aqueles menos apegados aos estudos ou aos mais injustiçados, chegou a hora da RECUPERAÇÃO!

A palavra, que a princípio pode parecer assustadora, na verdade deve ser encarada como uma salvação, já que esta é mais uma oportunidade de você atingir o seu objetivo nas médias finais das disciplinas. Acredite! Ainda há uma chance de virar o jogo e o Guia da Semana destaca algumas dicas para você!

Para o professor Alexandre Silva, do Colégio Magister, o primeiro e mais importante passo neste momento de salvação é, sem dúvidas, assumir um compromisso de acordo com as dificuldades exigidas. Mas não se iluda, pois a determinação na hora dos estudos deve ser a mesma, ainda que você precise de 1, 3,5 ou 9 pontos para alcançar o seu objetivo na prova final.

- Recordar os pontos mais importantes aplicados em aula é uma das principais recomendações. Assim, basear-se em um roteiro de estudos, com as suas anotações, registros e lembretes, pode ajudar a compreender melhor aquilo que não foi assimilado até então.

- Agora, se esse papo de anotações, registros e lembretes jamais fizeram parte de sua rotina em sala de aula, uma boa saída é recorrer àquele amigo que sempre foi o mais dedicado da turma e, que neste momento, estará com a cabeça bem longe dos estudos.

- Além disso, outro meio de relembrar o cateto, a hipotenusa, a Bháskara, os relevos, a geopolítica ou as tabelas é através da Internet, onde um leque de opções e informações será aberto a seu favor.

- O professor também destaca a importância de começar os estudos pelos conteúdos considerados mais difíceis. Mesmo menos interessantes, temas complexos exigem maior atenção, dedicação e paciência do estudante. Enquanto assuntos considerados fáceis podem ser melhores assimilados e não pedem o mesmo sacrifício involuntário.

- Ainda que a situação de cada aluno tenha suas particularidades e necessidades, o tempo de estudos recomendado para determinado assunto ou matéria pode variar entre duas ou mais horas. No entanto, vale lembrar que esta média poderá mudar de acordo com os diferentes casos.

- E se estudar por conta própria parece não estar dando resultado, busque o auxílio de seu professor, freqüente os plantões de recuperação ou forme grupos de estudos com os amigos de sala.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte