Guia da Semana

Mentes assassinas

Os adultos devem estar atentos para reconhecer sinais de agressividade nas crianças

Foto: www.morguefile.com

De repente um adolescente invade a escola e mata pessoas que faziam parte do seu cotidiano e conviviam ao seu lado. Um fator recorrente entre as criaturas que cometem atentados e assassinatos em massa e, posteriormente, acabam com a própria vida, é uma infância silenciosa, sem muitos amigos e com pouca comunicação com os familiares. O que os pais devem fazer para evitar que seus filhos componham a lista de assassinos jovens, que ganhou mais um nome nas últimas semanas?

Muitas pessoas acreditam que o fato de uma criança ser quieta e pouco comunicativo já define que este não se relaciona bem e é um perigo em potencial para a sociedade, mas, o fato dos pequenos serem mais retraídos se deve muitas vezes a uma característica de personalidade de cada um. Crianças podem ficar mais tímidas na presença de uma pessoa estranha ou se sentir mais à vontade para falar com amiguinhos da escola do que com os pais. "Não se pode definir a agressividade a partir disso, pois é algo muito relativo", explica a psicóloga infantil Eliana Silvana Lima de Carvalho.

Foto: www.sxc.hu
É errado fazer generalizações e classificar características específicas de demonstração de um instinto violento pelos pequenos, existem formas de agressividade positivas e negativas que fazem parte do desenvolvimento de cada criança. Há aqueles momentos em que a criança reage de forma hostil para preservar sua individualidade, mas também há ocasiões em que ele bate em um coleguinha simplesmente pela raiva que está sentindo, o que não gera benefícios para nenhuma das partes.

Segundo Eliana, a construção de uma personalidade perigosa não se deve ao fato de o indivíduo ter sido uma criança mais reservada ou com poucos amigos, isso acontece por conta de uma negligência dos pais na hora de darem atenção aos filhos e perceberem que alguma coisa não estava bem na infância. "Os pais precisam reservar um tempo de qualidade para estar com os filhos por inteiro", afirma a especialista. Além disso, devem saber dizer ´não´, dar amor e acolhimento, educar, pontuar os limites e estar atentos às necessidades da criança, dando colo e acolhendo-a na sua essência.

Um cuidador que acompanha cada etapa do dia do pimpolho, tenta entender seus sentimentos e vontades, dá atenção para cada atividade com a criança e está realmente presente, mesmo que por um tempo curto do dia, certamente percebe quando há alguma alteração de comportamento no pequeno e tem maior facilidade para reconhecer as causas e resolver os problemas. "Muitas vezes, apenas um fato já é motivo para a criança ficar agressiva: uma noite mal dormida, a falta de limites ou a reação a um ´não´".

Foto: www.sxc.hu
Quando os adultos percebem que o que há de errado com os filhos vai muito além do mau humor por conta do sono ou de uma bronca, é fundamental que estes procurem a ajuda de especialistas rapidamente, para que a possibilidade de doenças físicas sejam afastadas e a possível ocorrência de distúrbios psíquicos seja tratada. Fonoaudiólogos, pediatras, psicólogos, neurologistas, entre outros especialistas, devem trabalhar juntos para achar a causa do comportamento violento da criança e conseguir cuidar disso antes de surgirem conseqüências prejudiciais à vida adulta.

Eliana Silvana Lima de Carvalho insiste que "Não existe receita de bolo", o segredo de um desenvolvimento saudável e do combate à formação de jovens assassinos e suicidas é a dedicação dos pais, por meio do estímulo constante e da oferta da atenção necessária aos filhos. "Tudo depende de como a criança lida com as relações e como ficam as marcar psíquicas em sua mente".

Profissional consultado:

? Eliana Silvana Lima de Carvalho - Psicóloga Infantil - Calçada Azaléias, 10 - Sala 31 - Centro com Alphaville - São Paulo - (11) 4208-7506

Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte