Guia da Semana

O fenômeno Rebecca Black

A sexta-feira virou tema de música e tornou essa adolescente, de apenas 13 anos, megafamosa. Nem que seja pela fama de cantar mal

Foto: Divulgação
 
A cantora estourou com o hit Friday

Nos últimos meses, quando o assunto é bombar na web, o nome que vem à cabeça da galera é Rebecca Black. Tudo porque essa adolescente de apenas 13 anos atingiu a surpreendente marca de 42 milhões de acessos no YouTube após postar o clipe de sua música Friday no site. Para efeito de comparação, a famosíssima cantora Lady Gaga lançou o clipe de Born this Way no mesmo período e teve, "somente", 25 milhões de views. Agora, todos se perguntam como uma jovem que chegou até a ser eleita a pior cantora do mundo por muitos veículos da imprensa, consegue fazer tanto barulho?

Como grande parte dos adolescentes, a norte-americana Rebecca Black tinha o sonho de se tornar famosa. Para incentivar a filha, que fazia aulas de canto desde os 10 anos, os pais dela contrataram uma empresa especializada em criar vídeos para internet por dois mil dólares. Nascia, naquele momento, o clipe de Friday.

No vídeo, ela interpreta momentos da rotina comum a qualquer adolescente, da cama até o ponto do ônibus escolar. Além da voz da cantora, que teve os agudos extremamente anasalados corrigidos - sem muito sucesso - pelo software Auto-Tune, outro problema apontado pelos críticos é repetição exaustiva dos versos da música, cheia de frases bobas, como "Ontem foi quinta-feira / Hoje é sexta / Amanhã é sábado /E o domingo vem depois". Haja paciência.

Tá ruim, mas tá bom

Foto: Getty Images
 
Rebecca durante a edição deste ano do MTV Music Awards.

A virada na vida de Rebecca, até então uma desconhecida, teve início após um comentário do comediante Michael J. Nelson. Foi ele quem divulgou o vídeo de Friday para seus 19 mil seguidores do Twitter, ao lado do seguinte comentário: "Qual foi o pior vídeo clipe já feito"? Com isso, o link passou a ser compartilhado, sempre acompanhado de mensagens negativas, até se tornar um dos assuntos mais comentados da internet e atrair a atenção da imprensa.

Um dos comentários negativos veio do site da conceituada revista norte-americana Time, que descreveu o clipe como "bizarramente ruim". Mesmo assim, depois de tanta repetição online, Friday virou motivo de piada, remixes, mashups, colagens e recombinações de toda ordem, o que fez a garota se tornar o sucesso que é hoje.

Opinião dos famosos

Com tanta repercussão, Rebecca Black acabou ganhando alguns defensores e críticos no mundo do show business. Em uma entrevista ao Google, por exemplo, a cantora Lady Gaga defendeu a cantora adolescente sem nem ter visto o vídeo. "Eu digo que ela é um gênio, e quem chamá-la de brega é um monte de m....". Durante um show beneficente, o cantor gatinho Nick Jonas, da banda Jonas Brothers, também cantou o refrão de Friday, para delírio da plateia.

Rebeca Black ainda teve sua música cantada pela galera do seriado Glee - no episódio da formatura - e, de quebra, ainda é uma das estrelas do mais novo clipe da cantora Katy Perry, chamado Last Friday Night (T.G.I.F). No vídeo, dirigido por Marc Klasfeld, Katy interpreta uma típica garota nerd dos anos 80. Entre as participações especiais estão Rebecca, o grupo Hanson e até o saxofonista Kenny G.

Mas não pense que Rebecca Black ganhou o coração de todos os famosos. Uma das pessoas que criticaram o novo fenômeno foi outra cantora teen, a musa Miley Cyrus. De acordo com o blog do fofoqueiro norte-americano Perez Hilton, ela declarou: "Ser artista deveria ser mais difícil".

Críticas no Brasil

Foto: Getty Images
 
Rebecca Black está feliz da vida com o sucesso

O novo fenômeno teen ainda não é tão conhecido no país. E, se depender da repercussão com a Ordem dos Músicos do Brasil - que tem o intuito de preservar, fiscalizar e regulamentar a profissão de músico por aqui-,  vai continuar assim. Isso porque o órgão declarou que pretende proibir a execução das músicas de Rebecca em território brasileiro. O motivo? O fato dela não ser uma intérprete profissional.

Na opinião do órgão, a garota estaria tirando o espaço dos profissionais e, se quiser mesmo seguir carreira na música, o correto seria se profissionalizar. A OMB pretende fiscalizar rádios, TVs e sites no país e, quem veicular a "obra" de Rebecca - até agora restrita apenas a música Friday- será advertido. Em caso de reincidência, haverá multas com base no dispositivo 34171 da OMB, que proíbe não-profissionais à execução pública. O YouTube também deverá receber uma advertência do órgão.

Avessa aos comentários negativos, Rebecca Black deu início às gravações de seu primeiro grande trabalho, um miniálbum com cinco músicas, produzido por Charlton Pettus, que já trabalhou com as cantoras Hillary Duff e Taylor Dayne. O primeiro single, chamado LOL, já está no mercado. O receio de muita gente é que o CD se torne uma reunião de sucessos irritantes, como o clipe que estourou na internet e rendeu a Rebecca seu primeiro milhão de dólares. Só o tempo dirá se Rebecca é apenas um hype ou sustenta o talento.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte