Guia da Semana

O Japão é aqui

A terra do sol nascente nos trouxe muito mais coisas do que pensamos



O príncipe Naruhito já foi embora, mas as celebrações do centenário da imigração japonesa no Brasil continuam. O momento não poderia ser mais propício para falar sobre como nossos amigos de olhos puxado influenciaram - e ainda influenciam - a cultura pop do brasileiro.

Para começar, a televisão. A invasão das nossas telas começou com os chamados tokusatsu, abreviatura de "tokushu satsuei". A expressão significa algo como "filme de efeitos especiais". Sabe aquelas séries doidas de japonês, cheias de raios, monstros, robôs gigantes e explosões? Então, aquilo é tokusatsu.

No Brasil já tem isso na TV faz tempo. Nos anos 60, o sucesso era National Kid. Não sou tão velho pra lembrar desse herói, mas tenho anos suficientes para ter vagas (e boas) recordações de Spectreman. A fala inicial, que transcrevo abaixo, era muitíssimo classe:

"Planeta: Terra. Cidade: Tóquio. Como em todas as metrópoles deste planeta, Tóquio se acha hoje em desvantagem em sua luta contra o maior inimigo do homem: a poluição. E, apesar dos esforços das autoridades de todo o mundo, pode chegar um dia em que a terra, o ar e as águas venham a se tornar letais para toda e qualquer forma de vida. Quem poderá intervir? Spectreman!!!"

O Spectreman antecipou a moda do ecologicamente correto, veja você. Anos depois, muitas outras séries desse tipo fizeram sucesso. Coisas como Changeman, Jiraiya e Black Kamen Rider viraram mania. Lembro muito bem de passar as tardes vendo o Jaspion lutar contra Satan Goss. Depois os americanos tentaram copiar e adaptar o negócio com os Power Rangers, mas aí eles conseguiram estragar tudo.

Esquecendo o passado, hoje os animes são o estrondoso sucesso e ocuparam o lugar dos tokusatsu na mídia; para o bem ou para o mal. Na minha opinião, Pokémon é um anime horrendo. Mas dá para encontrar na TV episódios dos bacanas Dragon Ball, Yu Yu Hakusho e - um dos meus preferidos - Naruto. Também existem alguns desenhos americanos, como o ótimo Teen Titans, que usam a estética dos animes.

No mundo dos videogames não tem pra ninguém. Quem não conhece Super Mario Bros? O game da japonesa Nintendo é um clássico absoluto, além de ser o mais vendido de toda a história dos videogames. Num tempo em que a mania é assaltar banco e atropelar velhinhas no GTA, dá uma certa saudade dos inocentes jogos do Mario - que aliás, continuam evoluindo e estão por aí. O mais recente é Super Mario Galaxy, lançado ano passado para Nintendo Wii.

Na música a coisa parece ser um pouco diferente. Aparentemente os nossos cantores fazem mais sucesso no Japão que os japoneses aqui no Brasil. O fenômeno pop japonês Puffy AmiYumi, mesmo com desenho animado e clipes no Cartoon Network, não conseguiu empolgar o público brasileiro. Como música não tem dublagem, talvez a barreira da língua seja mais forte nessa arte que em desenhos, filmes e jogos.

Já deu pra ver que o nosso universo pop está tomado pela cultura japonesa. E olha que nem falei dos mangás, dos tamagotchis e de tantas outras manias que a terra do sol nascente consegue espalhar por nossas bandas. E tudo isso é a pontinha do iceberg. Na litertura há coisas geniais como o livro Musashi de Eiji Yoshikawa, que conta as aventuras do mais famoso samurai de todos os tempos. Um dos maiores cineastas que já viveu, Akira Kurosawa, também é japonês. Dá para gastar uma vida aprendendo e se divertindo com tudo que a cultura nipônica tem a oferecer - e nem é preciso ser japonês para isso.

Quem é o colunista: : Robinson Melgar, 29, não estudou e por isso ganha a vida escrevendo sobre informática. Seu sonho é virar a maior autoridade em cinema de sua rua.

O que faz: é jornalista.

Pecado gastronômico: x-calabresa.

Melhor lugar de São Paulo: Rua Augusta.

Acesse o site dele: www.morfina.com.br.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte