Guia da Semana

Pequenos pensadores

O Guia da Semana conversou com especialistas e dá dicas para os pais estimularem o raciocínio das crianças

Foto:Getty Images


Preocupados com o futuro de seus filhos, os pais buscam meios de explorar ao máximo as potencialidades das crianças. Afinal, pessoas que trabalharam melhor sua inteligência tendem a ser mais felizes, decididas e bem resolvidas no trabalho e na vida pessoal.

É importante saber que, só a partir dos 4 anos, os neurônios começam a fazer mais ligações e a criança tem capacidade para assimilar conhecimentos complexos. Portanto, a estimulação deve ser pensada respeitando o desenvolvimento infantil.

Musicalização Infantil

A música é um meio divertido de estimular a criança. Isto porque trabalha esquema corporal, fala, coordenação motora fina e respiração. A professora Roberta Forte ministra aula de música para diversas faixas etárias, alguns alunos têm apenas 8 meses. Estes pequeninos aprendem a sentir os ritmos e descobrir a respiração e os movimentos do corpo.

Mas, é com os alunos de 4 anos que o conteúdo é aprofundado: eles aprendem a notar e diferenciar sons. Com simples batuques, a criança, sem perceber, tem seu raciocínio trabalhado. Ao estudar música desde pequeno, é possível entrar em contato com conceitos como simetria e plano cartesiano, afinal, o violão é em si um confundo de coordenadas e abscissas.

Tecnicamente falando, música é composta de uma estrutura matemática, são divisões e subdivisões que chegam até 1/8. Intuitivamente, a criança cria um esquema lógico em sua mente, descobre a pulsação, trabalha frações, simetria e tempo.

Em seu curso, a professora percebe também que os alunos que estudam música desde cedo têm mais facilidade na escola, maior capacidade de abstração e conseguem aplicar teorias musicais às matérias do currículo regular. Além disso, os instrumentos estimulam a concentração e também a vontade de aprender.

Um problema que preocupa e atrapalha a assimilação é a falta de "ecologia sonora", segundo ela, algumas crianças chegam irritadas com sons, são estressadas e não conseguem se concentrar, isto porque o meio urbano fornece muitos estímulos desagradáveis aos pequenos ouvidos.

Treino e exercícios

Muito procurado por crianças com dificuldade na escola ou pais que desejam preparar o filho para o vestibular, o Kumon é um método de estudo individualizado. Sem aula explicativa, o aluno desenvolve o autodidatismo. Começando de um ponto de partida fácil, o estudante fica mais motivado a apreender e, de forma gradativa, enfrenta desafios maiores. Desta forma, não é trabalhado apenas o conteúdo, mas também, concentração, atenção e assimilação.

Segundo Carlos Henrique Zigiotti, coordenador da rede, "muitas vezes estudantes com dificuldade chegam à instituição e descobrem que são alunos brilhantes, só precisavam desenvolver uma postura de estudo". Diferente de uma sala de aula tradicional, onde o conteúdo é voltado para o aluno mediano, o curso é organizado em blocos e o progresso do aluno acontece individualmente, o método é baseado em apostilas e níveis adaptados do aluno, "todas as crianças têm potencial, mas o ritmo de cada um varia".

Com a colaboração da família, duas coisas são fundamentais para que a criança exercite seu raciocínio: concentração e motivação. É importante que haja uma rotina organizada, um espaço tranqüilo destinado aos estudos e pais participantes das novas conquistas do filho.

Para estimular a criança em casa, o professor recomenda que os pais contem as coisas do cotidiano, como, por exemplo, os degraus de uma escada. Além disto, ele também recomenda o uso de jogos de raciocínio, principalmente os de tabuleiro e quebra-cabeça.

Aprendendo a aprender

O jogo é a ferramenta principal na metodologia do MenteInovadora, segundo Sandra Garcia, coordenadora do projeto. Seu objetivo é defender a "aprendizagem com significado. A criança sabe o porquê ela está aprendendo aquilo." Aplicado em alunos a partir dos 4 anos, o projeto estimula inteligência a partir da neurociência. As atividades trabalham sociabilidade e funções psicológicas superiores, como memória e concentração.

O interesse em aprender é incentivado a partir de situações desafiadoras. Com técnicas simples, os alunos "aprendem a aprender", um exemplo disto é o método do semáforo - onde a criança analisa e identifica o problema, reflete sobre uma solução e coloca em prática sua estratégia.

Jogando, o aluno lida com frustrações, vitória, trabalho em equipe, limites e respeito às regras. De acordo com Sandra, "O jogo agrega, aproxima. As pessoas mostram quem elas realmente são, é como Platão disse ´Em uma hora de jogo, se conhece mais uma pessoa do que em um ano de conversação´. Não sou contra jogar no computador, só que não há interação e, quando há, é à distância", completa.

O MenteInovadora é aplicado em escolas e a previsão para 2009 é que atinja cerca de 10 mil alunos. Os professores do colégio são instruídos e fazem o papel de mediadores. Segundo Ana Cristina, do Colégio São Luís, as crianças se sentem mais estimuladas e o método serve para aumentar o interesse dos alunos e são uma ferramenta importante para trabalhar a capacidade de concentração

Moral da história

O cérebro precisa de estímulos, a criança precisa se divertir e sentir desafiada. A interação com o meio e com outras pessoas é a melhor maneira de incentivar a curiosidade infantil e a vontade de aprender. Não adianta sobrecarregar o pequeno de informações, brinquedos educativos, jogos e cobranças por um bom desempenho. Deste modo, a criança se sente estressada, irritada e deprimida. É fundamental elogiar o progresso, respeitar a vontade e o ritmo do filho.

Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte