Guia da Semana

Perdendo o fôlego

90% dos fumantes já estava viciado antes dos 18 anos. Não faça parte desta estatística!

Por Larissa Coldibeli


Já foi a época em que o cigarro era sinônimo de charme e glamour. O que antes era símbolo de transgressão, de ser "o descolado", hoje em dia é sinal de burrice. Os prejuízos que o tabaco causa à saúde são bem conhecidos, diferente do que acontecia há 20 anos, quando provavelmente seus pais começaram a fumar.

Campanhas contra o tabaco, a proibição do fumo em alguns estabelecimentos e o fim das propagandas contribuem para que o número de adolescentes dependentes diminua. Pesquisas da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mostram que houve queda no número de estudantes entre 12 e 18 anos que experimentaram cigarro: em 1997 eram 32,7%, caindo para 21,7 em 2004, após o fim da publicidade.

Mesmo assim, 12% dos jovens entre 12 e 17 anos fumam, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Mas quais são os fatores que fazem os adolescentes de hoje começarem a fumar? "Curiosidade e fácil acesso", garante o penumólogo Jorge Alexandre Sandes Milagres, do CAT - Centro de Apoio ao Tabagista. "Além disso, o cigarro faz com que se sintam adultos, principalmente para aqueles que cresceram vendo os pais fumando", revela.

A adolescência, marcada por sentimentos conflitantes e necessidade de novas experiências, é a porta de entrada para o vício. Ainda segundo a OMS, 90% dos fumantes se torna dependente antes dos 18 anos. O médico explica: "Ao primeiro contato, seja para aquele que nunca fumou ou para quem está há algum tempo sem fumar, as reações são ruins: tonteiras, tosse, enjôos, vômitos e batimento lento do coração. São reações típicas de uma intoxicação. O jovem que insiste em fumar passa então para uma outra fase, chamada de tolerância. É quando o organismo começa a se adaptar àquele tóxico e começa a não mais sentir os tais efeitos ruins. É a partir desta fase que instala-se a dependência física e psíquica".

Dependência
A nicotina é a grande responsável pela dependência. A fumaça aspirada vai no sentido boca > traquéia > brônquios > alvéolos > vasos capilares, onde, enfim, alcança o sangue. A partir daí, a nicotina circula por todo o corpo, inclusive o cérebro, que libera os neurotransmissores responsáveis pela suposta sensação de bem-estar.

Os principais neurotransmissores:
  • Dopamina: dá uma gostosa sensação de alegria, bem-estar, felicidade e prazer. Também reduz o apetite.
  • Serotonina:estimulante, dá coragem, bom-humor e controla o apetite. Pesquisas apontam que durante a adolescência, os níveis de produção desse neurotransmissor caem, o que explicaria o fumo como repositor da serotonina.
  • Noradrenalina: aumenta a memória e a capacidade de concentração.


  • O tempo que uma pessoa demora para se viciar varia muito. Alguns, demoram meses, outros, dias. O mesmo acontece com a tolerância do organismo à falta de nicotina. Há pessoas que conseguem ficar dias sem fumar, enquanto outras aguentam apenas poucas horas. Mas quando a crise de abstinência acontece, os sintomas são bem parecidos. A vontade que se tinha normalmente fica insuportável e a pessoa só pensa nisso. Surge a famosa irritação, que tende a crescer e outros sintomas, como ansiedade, tristeza, depressão, perda de concentração para atividades simples, insônia ou sonolência.

    Os "alternativos"

    Pier

    Pier Chioccola, 18 anos, fuma desde os 16: "No começo, fumava só na balada, de vez em quando um cigarro de cravo. Depois, foi ficando mais frequente, quando vi, meus pais já sabiam e apesar de não gostarem, eu continuei". É mais ou menos assim que os adolescentes de hoje começam. Para fugir da culpa por adquirir um hábito reconhecidamente prejudicial, eles recorrem a cigarros alternativos, como os de sabores, os bidis, de palha e outros. O que eles não podem imaginar é que o aparentemente inofensivo cigarro de cravo é três vezes mais forte: "O tipo de tabaco destes cigarros contém índices maiores de química, como alcatrão, nicotina e monóxido de carbono", alerta o pneumólogo.

    Alternativos:
  • Cigarros de cravo: são os mais nocivos, além de impregnar tudo e todos ao redor com seu cheiro forte.
  • Bidis: são bonitinhos, com cara de hippie e gosto de baunilha. Não tem filtro, ou seja, muito mais alcatrão e monóxido de carbono nos seus pulmões.
  • Cigarro de palha: as tragadas são mais profundas e concentradas, pois a palha não permite a passagem de ar.
  • Narguilé: originário do Oriente, é um cachimbo estiloso que faz sucesso em rodas de amigos. Uma rodada pode equivaler a um nocivo maço de cigarros.


  • Outro vilão do seu pulmão é a associação de cigarro e álcool. Ao passar pelos rins, enquanto circula na corrente sanguínea, uma parte da nicotina é eliminada pela urina. Ao ingerir bebidas alcoólicas, o pH do sangue é alterado, eliminando a substância mais rapidamente. Daí, os fumantes acenderem um cigarro atrás do outro enquanto bebem. Mesmo para aqueles que só fumam de vez em quando, vale lembrar que o fumo é responsável por 30% das mortes por câncer. Os principais são câncer de pulmão, boca, laringe, esôfago, pâncreas, rim bexiga e colo de útero. Doenças como bronquite, pneumonia, enfisema pulmonar, infarto e derrame também são mais recorrentes em fumantes. Ou seja, fique fora dessa!

    Fotos: Stck. Xchng

    Serviço:

    CAT- Centro de Apoio ao Tabagista
    Tratamento de fumantes e orientação de adolescentes
    Rua Djalma Ulrich, 163 - sala 602
    Copacabana - Rio de Janeiro
    www.cigarro.med.br

    Atualizado em 6 Set 2011.

    Compartilhe

    Comentários

    Outras notícias recomendadas

    Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

    Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

    Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

    Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

    Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

    Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

    Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

    Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

    4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

    Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

    Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

    Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte