Guia da Semana

Steve Wozniak é o cara

Um dos fundadores da Apple, ao lado de Steve Jobs, contou como foi criar o primeiro computador pessoal do mundo - como um legítimo nerd

Foto: Gael Oliveira/APH


O momento mais aguardado da Campus Party aconteceu na noite de sábado. Tomada por centenas de pessoas, entre campuseiros, imprensa e colaboradores, a plateia esperava ansiosa pelo engenheiro que, com sua habilidade de juntar os pontos e pensar novas coisas, criou o primeiro computador pessoal. Uma revolução que afetou diretamente o mundo e a forma como as pessoas se relacionam com ele.

Entusiasmado pela calorosa recepção do público, e suando bastante, "Adoro a Campus Party porque eu era parte dessas pessoas quando eu era jovem", Woz, como é chamado, contou sua história. De um garoto tímido e curioso, ele encontrou uma revista que mostrava como era um computador por dentro - e, naquela época, computadores eram máquinas gigantescas e sem nenhum tipo de contato amigável com o usuário.

"Tentei várias vezes montar um em casa, e sempre vi o ato de desenhar um computador como se fosse um jogo", contou. Com seus sucessos e fracassos, na faculdade começou a desenhar máquinas como parte do curso - e conseguia rodar qualquer tipo de software. "Computadores existem para serem usados", disse.

Ele conheceu Steve Jobs, que veio a ser seu sócio na Apple, e juntos começaram a pensar em computadores mais próximos das pessoas. Woz sempre ficava enlouquecido quando via o lançamento de um novo produto - até hoje. Isso aconteceu com o Pong, o primeiro videogame que surgiu nos Estados Unidos. Quando a Arpanet, a mãe da internet, surgiu para interligar computadores das universidades, sentiu que precisava fazer parte dela. Com um detalhe: com sua curiosidade, ele adaptava os equipamentos que ele já tinha para criar versões melhores.

Todo esse trabalho de "ligar os pontos" o fez criar o primeiro computador pessoal, o Apple I, com uma interface amigável para as pessoas, um teclado em que os comandos eram inseridos e apareciam em uma tela. "Eu queria fazer que cada um pudesse montar seu próprio computador", disse. Ele também desenvolveu um modem que se conectava com a linha telefônica, para entrar em contato com a Arpanet.

Sempre à frente do seu tempo, o Apple II não demorou muito a vir, e com uma vantagem: as imagens agora eram coloridas. Em seguida, ele conseguiu conectar computadores em uma rede fechada para compartilhar uma impressora a laser - bastante cara para a época. A internet já se tornava mais comum, mas com a séria limitação da velocidade - as linhas telefônicas não ajudavam. Pois foi quando ele teve - novamente - a ideia de transmitir o sinal por rádio: ele instalou uma antena em sua casa que levava a internet sem fio para as escolas da comunidade.

Embora não faça mais parte da Apple -"achei que não precisava ser mais o engenheiro crítico da empresa", disse -, ele tem um carinho enorme pela companhia, e ainda é amigo de Steve Jobs. "Nos telefonamos de vez em quando para dizer coisas simpáticas", finalizou.

 


Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte