Guia da Semana

Tique nervoso!

Diferente das manias, esses movimentos ou sons involuntários não agradam nem um pouco quem os possui

Foto: Photocase.de

Cacoete é uma expressão popular que dá nome a gestos ou comportamentos estereotipados, ou seja, ritualizados e que obedecem forma padronizada e seqüencial. Sabe aquela careta que você insiste em fazer nas horas mais impróprias ou aquele velho hábito de fungar mesmo que não esteja resfriado? Na psiquiatria, esses comportamentos súbitos e repetitivos são chamados de tiques ou compulsões.

Ao contrário das manias, que podem ser agradáveis aos donos, estes maus hábitos incomodam muito quem os possui, pois diminuem a auto-estima e geram ansiedade, pois é um esforço muito grande controlá-los: "Em muitos casos, os pacientes sentem-se presos ou amarrados a estes comportamentos que podem tomar muitas horas, interferindo no trabalho, lazer e relacionamentos", explicam os psiquiatras Eurípedes Constantino Miguel Filho e Pedro Gomes de Alvarenga, do Hospital Sírio Libanês. Há casos extremos em que os tiques são tão bizarros a ponto de repelir as outras pessoas do convívio com o portador.

Fatores biológicos, como hereditariedade, podem estar ligados à origem dos cacoetes, assim como fatores psicológicos e ambientais: "Perturbações emocionais pioram ou desencadeiam os tiques e compulsões em pessoas predispostas. A prevalência encontra-se aumentada em transtornos neuropsiquiátricos como TOC (transtorno obssessivo compulsivo) e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade", explicam os especialistas.

Situações muito excitantes, como o início de um namoro ou uma promoção no trabalho, junto com a ansiedade e o estresse, são agravantes dos tiques. Em situações que de relaxamento, eles tendem a diminuir. É só durante o sono que os portadores ficam horas sem apresentar nenhum desses movimentos ou sons involuntários.

Foto: Photocase.de
Os cacoetes mais comuns são os que envolvem os músculos da face, como piscar os olhos rapidamente repetidas vezes e sacudir a cabeça. Estes são chamados de motores. Tiques vocais como assobiar, pigarrear, fungar são mais raros. Pessoas de todas as idades podem ter, entretanto, os tiques e o TOC são mais freqüentes na infância, adolescência e no adulto jovem. Muitas vezes estes sintomas são transitórios e desaparecem com a idade.

Milton Rodrigues de Melo, 21, diz que possuem cacoetes desde os 8 anos de idade e garante que não consegue ficar muito tempo sem um: "Quando eu perco uma mania, logo começo com outra. Já tive trimilique, chacoalhava a cabeça, fungava. O pior era ficar fazendo barulho com a garganta. É chato, incomoda os outros", conta ele.

Entretanto, os médicos garantem que os tiques não causam dependência nem vício: Os tiques, muitas vezes, ocorrem sem o indivíduo saber e, apesar de se sentir compelido a realizá-los depois de percebê-los, ele o faz para obter um alívio. O que é bem diferente dos comportamentos ligados às dependências, que, pelo menos no início do quadro, estão associadas a vivências de prazer."

O principal fator de gravidade para um cacoete é o sofrimento vivenciado pelo paciente e a repercussão social acarretada pelos sintomas: "Há pacientes adaptados a tiques com ampla magnitude e outros que ficam profundamente incomodados por um discreto piscar de olhos".

Medicações e técnicas específicas de psicoterapia comportamental e cognitiva oferecem bons resultados para os pacientes. Estas técnicas possibilitam aos portadores conhecimento dos seus sintomas e dos fatores agravantes, além de promoverem aquisição de auto-controle.

Síndrome de Tourette
A Síndrome de Tourette foi descrita sistematicamente pela primeira vez em 1885 por Georges Gilles de La Tourette, que compilou os relatos já existentes na literatura da época e descreveu mais oito casos de pacientes que apresentavam mímica involuntária (tiques), repetição de palavras e atos realizados por outras pessoas (respectivamente, ecolalia e ecopraxia) e coprolalia (falar palavrões). Atualmente, algumas das características descritas por Tourette ainda continuam válidas, apesar das várias mudanças ocorridas neste período.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte