Guia da Semana

Vida boa

Praia, sol, mar e viagens durante o ano inteiro. Saiba um pouco mais sobre a rotina de Bruna Schmitz, que com apenas 18 anos, já é uma das melhores surfistas do WQS

Foto: Arquivo pessoal
Bruna competindo no Roxy Pro 2008


A paranaense Bruna Schmitz terminou de fazer dezoito anos. Mas no que diz respeito ao surfe, ela já atingiu a maioridade há muito tempo. Começou a pegar onda com o irmão ainda criança, na praia de Matinhos (PR) e não parou mais. Com 12 anos, a loirinha já viajava o mundo atrás dos melhores picos e campeonatos. Aos 15, já era surfista profissional. Atualmente, corre o WQS (circuito mundial), pelo qual disputa baterias em algumas das praias mais paradisíacas do planeta.

Não dá para reclamar. Enquanto as garotas da sua idade estão se matando de estudar para o vestibular, Bruna terminou de chegar de uma viagem para o Havaí - e já começou a fazer as malas para embarcar em uma temporada de dois meses na Austrália! Mas a vida de surfista não é só moleza. Acordar cedo, treinar muito e encarar a distância da família... Mas tudo bem, ela tem a companhia do (gato!) Jeremy Flores para consolá-la nos momentos mais difíceis. Aproveitando sua última passagem pelo Brasil, conversamos com a surfista, que falou com a gente um pouco mais sobre como é a vida sobre as ondas. Confira abaixo!

Guia da Semana: Qual foi a reação dos seus pais quando você decidiu ser surfista profissional?
Bruna Schmitz:
Minha mãe adora me ver surfar! Meu pai também dá maior força. Eles sempre me apoiaram, desde cedo. Quando a minha mãe viu que era isso mesmo o que eu queria, ela me deu uma roupa de borracha e uma prancha nova. Fez de tudo para me ajudar.

Guia da Semana: Como você concilia o surfe e a escola?
Bruna:
Eu terminei o Ensino Médio em 2007. Nossa, o último ano foi o mais complicado. Foi quando eu comecei a correr o WQS e fazer todo o Super Surf (campeonato nacional). Foi bem difícil. Tinha vezes em que eu ficava um mês sem ir à escola. Ficava todo o tempo fazendo trabalhos e provas, mas graças a Deus os professores sempre me ajudaram. Agora eu não estou pensando em fazer faculdade. Mais tarde, talvez. No momento eu só quero viajar e competir.

Guia da Semana: Quando você começou a surfar, quais as dificuldades que você sentiu?
Bruna:
No começo eu não me sentia preparada, me achava muito nova. No Brasil, entre as mulheres surfistas profissionais dessa idade, tinha eu, a Nathalie Martins (de Santa Catarina) e a Monique Santos (de Pernambuco). Eu fui a primeira a me profissionalizar. Tinha momentos em que eu me achava inexperiente ainda. Mas essa insegurança foi só no começo, depois correu tudo bem e eu não tive problema nenhum.

Guia da Semana: Qual o(a) melhor surfista do mundo? Por que?
Bruna:
Para mim é a Stephanie Gilmore. Ela tem uma linha muito polida, surfa muito bem. Tem força, é rápida, entuba bem... É uma surfista completa.

Guia da Semana: Você namora o surfista Jeremy Flores. A distância e as viagens atrapalham muito?
Bruna:
Ah, é complicado porque às vezes, as agendas não batem. Mas ele também é um atleta do WCT, então, teremos alguns campeonatos juntos. No fim, a gente sempre dá um jeitinho de se encontrar.

Foto: Arquivo pessoal
Bruna levanta cedo para surfar e gosta de aproveitar o dia inteiro no mar


Guia da Semana: Você viaja boa parte do ano. Como fica a saudade de casa?
Bruna:
Nossa, essa é a pior parte. Agora eu fiquei dois meses no Havaí, passei o Natal e o Ano Novo lá. Voltei e estou há um mês em casa, mas no dia 15 de fevereiro eu vou para a Austrália e fico mais dois meses lá. Como é difícil passar tanto tempo longe, eu sempr estou no Skype. Ele é a minha salvação! Também mando scraps para dar um hello para a família. É sempre bom manter contato, porque como eu estou longe, ninguém sabe o que pode acontecer. Minha mãe fica louca se eu não dou noticias!

Guia da Semana: Quando faz as malas, o que não pode faltar na sua bagagem?
Bruna:
Ah, eu procuro levar o mínimo possível, porque é muita correria, a gente muda muito de lugar quando está viajando. Mas eu coloco bastante fotos no meu iPod, para matar a saudade. Não viajo sem ele. Pô! Ficar no avião é um saco! Eu tenho que ouvir música, senão não dá!

Guia da Semana: O fato de viajar fez você amadurecer mais cedo do que outras garotas da sua idade?
Bruna:
Com certeza. Ninguém gosta de ficar longe de casa, né? Mas eu sei que estou aproveitando uma oportunidade única. Gosto de treinar, de poder surfar outras ondas. Mesmo que a saudade bata, eu procuro não pensar muito e tento aproveitar os lugares em que tenho a sorte de estar.

Guia da Semana: Há algum truque para achar a onde perfeita?
Bruna:
Acho que não, porque você sempre depende da sorte. Em uma bateria não dá para esperar nada. O mar é traiçoeiro. Às vezes você sabe que a onda está vindo naquele lugar, mas quando chega a sua vez tudo muda. Eu procuro analisar o mar antes de entrar na água, ver onde quebra a melhor onda, para não ficar tão perdida lá dentro e ter mais ou menos uma ideia. Mas não dá para confiar 100%.

Guia da Semana: Como você se vê daqui a 10 anos?
Bruna:
Ah, não sei... Não quero nem pensar. (risos) Acho que vou estar com o cabelo ruim e cheia de rugas! Brincadeira! (risos) Desde que eu tenha saúde e esteja de bem com a vida, está tudo certo!

Fotos: Arquivo pessoal
Ela e o namorado Jeremy Flores, na Nova Caledônia, Austrália


Guia da Semana: Qual foi o melhor momento da sua carreira até agora?
Bruna:
Foi quando eu consegui o segundo lugar no Roxy Surf Festival, em Phillip Island, no WQS. É um campeonato muito importante e ainda é do meu patrocinador (Roxy), então foi melhor ainda! Com o resultado eu consegui me classificar para o WCT (circuito top profissional). Até hoje eu não consigo pensar em como eu me sentia no dia das baterias. Foi um sonho! Parece que não aconteceu!

Guia da Semana: Qual é o seu maior objetivo para este ano? Como está se preparando?
Bruna:
Meu maior objetivo é me classificar entre as dez melhores para o WTC. Competir bem, conseguir bons resultados... Quanto ao treinamento, aqui onde eu moro é meio fraco de onda durante o verão. Então, eu procuro ir para a academia e correr na praia. Agora, tirei meus dois dentes do siso e não posso fazer esforço físico. Aí vou aproveitar para preparar o passaporte novo, tirar o visto e ir para a Austrália.

Guia da Semana: Como é a rotina de uma surfista profissional?
Bruna:
Eu não tenho uma rotina certa. Não tenho uma hora para acordar, por exemplo. Mas eu fico sempre de olho na Internet, para saber se tem onda. Quando o mar está bom eu gosto de treinar bem cedo e aproveitar o dia. Quando não tem onda eu durmo um pouco mais. Mas não gosto de dormir até tarde, porque parece que eu perdi o dia inteiro. Também procuro me alimentar bem, não gosto de comer muita besteira e adoro salada.

Guia da Semana: Você é vaidosa? Como você se cuida já que fica muito tempo no sol e no mar?
Bruna:
Eu sou super vaidosa! Gasto muito dinheiro com cosméticos, creme para o rosto, xampu, condicionador... Mas não me arrependo. Eu gosto bastante de cuidar do meu cabelo, sempre faço uma hidratação, corto as pontinhas. E no rosto passo muito protetor. Compro protetores bem pastosos e da cor da pele, um em bastão e um cremoso. Eu não gosto de ficar muito queimada. Odeio descascar!

Fotos: Arquivo pessoal
A atleta competindo no Pro Junior


Guia da Semana: Então você curte posar de modelo nas sessões para os patrocinadores?
Bruna:
Não. Eu faço porque é bom para a minha carreira e para os patrocinadores. Na verdade, eu nunca gostei muito. Não me acho fotogênica. Mas tem que fazer, né?! Faz parte do trabalho.

Guia da Semana: Você é bastante jovem. Como lida com a pressão dos campeonatos, de já estar tão bem cotada no surfe brasileiro?
Bruna:
Eu não penso muito nisso. Quando você está correndo um campeonato, só quer dar o seu máximo, mostrar um surfe legal... Mas eu procuro não pensar nisso, porque acaba atrapalhando meu desempenho.

Guia da Semana: Que dica você daria para quem pensa em seguir uma carreira de surfista? É uma vida fácil?
Bruna:
Bom, quanto antes você começar, melhor. Por mim, eu começaria já com uns 7 anos. Mas para quem está começando, o importante é não desistir. Você vai ter vários obstáculos pela frente, é uma carreira difícil. Todo mundo pensa: Nossa, é uma maravilha, você só viaja! Mas tem suas dificuldades.

Bate-bola
Data de nascimento: 03/04/1990
Cor preferida: Ah, tem várias, rosa, azul, vermelho.
Uma música: Boa Sorte / Good Luck, com Vanessa da Mata e Ben Harper.
Filme: Eu acabei de ver um muito triste, mas é muito bom, é O Som do Coração. É lindo!
Um lugar: meu quarto.
O melhor lugar para surfar: Havaí e Nova Caledônia, na Austrália. Surf para você é... Tudo! É a minha vida é tudo o que eu sempre quis.
Um homem bonito: Meu namorado.
Comida preferida: Qualquer uma com o temperinho da mamãe.
Uma frase: Tem uma que o técnico do meu namorado sempre fala para ele: Treinamento fácil, resultado duro. Treinamento duro, resultado fácil.
Um sonho: Ser campeã mundial, é claro.


Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte