Guia da Semana

Vire as páginas da fantasia

Pedagogos indicam 10 livros infantis para as crianças lerem nas férias


Foto: Gettymage

Brincadeira e diversão não podem ficar de fora das férias da criançada. Que tal oferecer aos pequenos  uma viagem ao mundo da fantasia, guiada por páginas coloridas e histórias criativas?

Nenhum outro passatempo diverte as crianças e estimula a imaginação como a leitura de uma boa obra infantil. Essencial para o desenvolvimento da linguagem escrita e oral, o livro pode fazer parte da formação intelectual como entretenimento mágico na infância.

Para a leitura das férias, o Guia da Semana consultou profissionais da área e selecionou 10 livros infantis, entre clássico e lançamentos.

O time de especialistas contou com a participação de Elizabeth Serra, pedagoga e professora da USP (Universidade de São Paulo), Maria Ângela Barbato, pedagoga e coordenadora do núcleo de Cultura, Estudos e Pesquisas do Brincar e da Educação Infantil da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e Juliana Loyola, professora de literatura infanto-juvenil da PUC-SP.

O Fazedor de Velhos
De Rodrigo Lacerda, com ilustrações de Adrianne Gallinari.
Editora Cosac Naify

Pedro descobre que a vida pode não ser tão doce quanto a primeira paixão. Com dúvidas sobre qual caminho seguir, pensa em desistir da faculdade de História. Mas o jovem conhece o professor Nabuco e encontra na literatura um caminho para encontrar suas respostas.

O Fazedor de Velhos resgata a ternura e o afeto como sentimentos que também participam do processo de amadurecimento. Neste romance de iniciação é retratado um artista quando jovem, delineando o processo de como nasce um escritor. Com prosa bem-humorada e emotiva, o livro dialoga com leitores de todas as idades.

Vencedor do Prêmio Jabuti 2009 e eleito Melhor Livro Juvenil 2009 pela FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil). Em 2008, recebeu o Prêmio Glória Pondré de Literatura Infantil e Juvenil da Fundação Biblioteca Nacional.

Alice no País das Maravilhas
De Lewis Carrol, tradução de Nicolau Sevcenko, com ilustrações de Luiz Zerbini.
Editora Cosac Naify


Foto: Divulgação

O Clássico da literatura infantil universal ganhou edição especial com tradução em versão integral e um espetáculo a parte: ilustrações teatrais de Luiz Zerbini. O artista plástico paulista criou cenários feitos de cartas de baralho das quais saltam os personagens, por meio de recortes. As maquetes foram fotografadas com iluminação teatral.

No estilo nonsense que o tornou único, o livro conta a história das aventuras de Alice ao cair numa toca de coelho, que a leva a um lugar povoado por criaturas fantásticas e enigmas.

A edição é complementada com uma relação de artistas que já se aventuraram pelo País das Maravilhas, além de uma pequena filmografia baseada na obra original.

O menino que espiava pra dentro
De Ana Maria Machado, com ilustrações de Alê Abreu.
Editora Global.

Lucas é um menino que presta atenção em tudo a sua volta, mas adora imaginar e sonhar. Quando se distrai, entra em um universo mágico e distante e, nesses momentos, seu avô costumava dizer que Lucas espiava para dentro. Inventa um amigo, Talento ou Tamanco ou Tatá, anda sobre ondas, come a maçã do sono profundo, mora em conchas, voa pelos ares, vê automóveis-leões, bosques de caramelos. E observa tudo.

O menino que espiava pra dentro é uma narrativa que resgata na criança a fantasia, a liberdade, o encantamento, a possibilidade de brincar em outros reinos, em outras épocas.

Chapeuzinho Amarelo
De Chico Buarque, com ilustrações de Ziraldo.
Editora José Olympio.

Nessa 19ª edição do clássico Chapeuzinho Vermelho, a personagem do título usa um chapéu amarelo e é uma garotinha que sofre de um mal terrível: sente medo do medo e amarela em diversas situações. Ao enfrentar o desconhecido lobo, ela supera medos, inseguranças e descobre a alegria de viver.

A trajetória da personagem é acompanhada pelos desenhos divertidos de Ziraldo e pela mudança de sílabas de uma palavra-chave: o lobo passa a ser visto como um simples bolo. O compositor e escritor Chico Buarque constrói um texto em que a linguagem é um grande jogo. O chapéu do título não muda de cor, mas a coragem da doce menina sim.

O Pica-Pau Amarelo
De Monteiro Lobato, com ilustrações de Manoel Victor Filho.
Editora Globo.

É uma das diversas continuações de um dos livros mais conhecidos da literatura brasileira, o clássico O Sítio do Pica-Pau Amarelo. Nessa edição, personagens do mundo da fábula decidem se mudar para o Sítio. Peter Pan, Cinderela, Branca de Neve, Hidra de Lerna, Don Quixote entre outras figuras dos contos de fadas, dividirão espaço com Narizinho, Dona Benta, Tianastácia, Emília e Visconde de Sabugosa.

Como uma boa anfitriã, Dona Benta compra as terras próximas ao sítio para acomodar a todos com conforto. Mas no decorrer da trama, Tianastácia é seqüestrada durante um tumulto que acontece no casamento da Branca de Neve. Essas e muitas aventuras tomam conta do sítio do mundo da fantasia.

Marcelo, marmelo, martelo e outras histórias
De Ruth Rocha, com ilustrações de Adalberto Cornavaca.
Editora Salamandra. 


Foto: Divulgação

Uma das obras-primas da literatura infanto-juvenil, o livro mostra situações reais do cotidiano. Os personagens dos três contos são crianças que vivem no espaço urbano e que resolvem com muita criatividade seus impasses. Marcelo cria palavras novas, Teresinha e Gabriela descobrem a identidade na diferença e Carlos Alberto compreende a importância da amizade.

Marcelo quer fazer um novo dicionário porque acha que as palavras não combinam com os seus significados. Teresinha e Gabriela são duas meninas bem diferentes, mas essa oposição não vai durar para sempre. Caloca traz a turma do Estrela D'alva Futebol Clube, que vai ter que se entender com o garoto mandão dono da bola de couro, Carlos Alberto. A aventura é indicada para leitores a partir dos 6 anos.

A Flor do lado de lá
De Roger Mello.
Editora Global.

Livro de imagens que conta a história de uma anta que se interessa por uma flor. Mas para chegar na flor do lado de lá, ela preciso ultrapassar diversos obstáculos: distância grande, muita água e uma baleia no caminho. A anta analisa com cuidado todos os detalhes e não desiste facilmente de seu objetivo.

Depois de diversas tentativas, ela sofre e chora por não conseguir chegar àquela flor que tanto admirava. O pobre animal passa tanto tempo prestando atenção para uma direção só que não percebe que, atrás dela, existe um mundo de beleza esperando sua atenção.

Apesar de ser indicado principalmente para leitores de 0 a 7 anos por não possuir textos, o livro estimula o uso da criatividade e transmite ensinamentos para crianças e jovens de todas as idades.

Guilherme Augusto Araújo Fernandes
De Mem Fox, com ilustrações de Julie Vivas.
Editora Brinque-Book.

Guilherme Augusto Araújo Fernandes é vizinho de um asilo de velhos. Gostava de todos os que viviam lá, mas principalmente de Antônia. Ao descobrir que ela perdeu a memória, foi perguntar a todos do asilo como isso havia acontecido. Por meio de relatos daqueles que guardam a sabedoria dos anos vividos, aprendeu que memória é algo antigo, que faz chorar ou rir, vale ouro e é quente.

Para agradar a amiga, o garoto monta uma cesta e leva à Antônia. Cada um dos presentes lhe devolve a lembrança de belas histórias.

O livro fala da sabedoria dos mais velhos e o respeito no qual eles devem ser tratados. A narrativa emociona tanto às crianças quanto aos adultos que acompanharem a leitura.

Sete histórias para Sacudir o Esqueleto
De Ângela Lago.
Editora Companhia das Letrinhas.

Sete casos de assombração (e de esperteza) são contados no livro. Há esqueletos e cemitérios, defuntos falsos ou não, sonho e realidade em constante interferência. O suspense e o humor se combinam para desmascarar o outro plano da imaginação e incorporar a morte ao conjunto das coisas que simplesmente são - em Bom Despacho, a cidade onde tudo acontece, ou em qualquer lugar. A morte se deixa narrar e se torna propriedade de quem a diz.

O livro relembra as lorotas de arrepiar contadas por tios e primos no escuro com o diferença que em Sete histórias para sacudir o esqueleto o humor e a diversão também cerceiam toda a trama.

Porcolino e Mamãe
De Margaret Wild, tradução de Gilda Aquino, com ilustrações de Stephen Michael King.
Editora Brinque-Book

O livro conta a história de Porcolino, um charmoso porquinho cor-de-rosa que sai à procura da sua mãe. Ao longo do trajeto, encontra os amigos pato, carneiro, burro e cão que lhe oferecem carinho e lhe chamam para brincar.

Mas Porcolino recusa, porque nada parece valer a pena naquele momento, a não ser achar aquela que ama incondicionalmente. Somente quando encontra sua mãe é que o pequeno porco volta a sorrir, e brincar de pega-pega e se divertir ao rolar na lama.

A narrativa relata as inquietudes e medos comuns a toda criança de estar longe da mãe e, ao mesmo tempo, emociona ao retratar o afeto materno.

Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Dia das Crianças no Rio de Janeiro 2016

Confira as opções de diversão na Cidade Maravilhosa para a data

Mais de 15 passeios em SP para curtir com crianças neste fim de semana

Opções de teatro, musicais e passeios gratuitos para ir em família e se divertir junto com os pequenos!

Beatles para crianças: 4 motivos para assistir à série Beat Bugs com seu filho

Primeira temporada da série infantil já está em cartaz na Netflix

Raposo Shopping oferece oficina gratuita para crianças que gostam de cozinhar

Atividade ensina aos pequenos receitas do programa "Tem Criança na Cozinha", do canal Gloob

4 motivos para levar as crianças para assistir ao espetáculo "Galinha Pintadinha em ovo de novo"

Peça fica em cartaz até dia 28 de agosto, no Teatro Net

Rede de cinemas oferece ingressos gratuitos para pais acompanhados dos filhos

Pais que forem ao cinema com os filhos no Dia dos Pais não pagam o ingresso nos cinemas Playarte