Guia da Semana

Biriteiras - Talita Simões

Fez do bar a sua casa e prepara novidades para São Paulo



Como a maioria dos adolescentes, Talita tinha duas paixões: viajar e curtir um bar com os amigos. Assim, aos 18 anos, uniu o útil ao agradável e foi morar em Londres. Para se virar, foi trabalhar de garçonete. E lá foi ficando por cinco anos. Só que, ao invés de mudar de bico, fez do bar sua vida.

Conheceu grandes bartenders, como Dick Bradsell. Trabalhou no Hilton londrino, nos EUA e em dois cruzeiros pela Europa. "Acredito que esta paixão que tenho por misturas tem muito a ver pelo meu interesse por química desde pequena". Ao voltar, assumiu a bancada do Skye, do Hotel Unique. Depois, desenhou a carta de bebidas do Gabriel e voltou ao Unique como supervisora de bares.

A próxima empreitada será seu voo solo. Em fevereiro, inaugura o At Nine, um bar voltado para coquetéis, de Martinis estilosos a clássicos como Old Fashion e Negrone. "Quero tirar a caipirinha e congêneres como única opção de drink na cabeça das pessoas".

Para isso, ela investe em xaropes inusitados, como hibiscos, cardamomo e flor de laranjeira, acrescidos de 'coisinhas' que ela despista. "São temperos e especiarias como manjericão e alecrim que fazem toda a diferença. No combustível das misturas, vodcas como Absolut, à base de trigo, e Ketel One, de batata.

Destilado é coisa de macho? Mesmo fortes, são os coquetéis que ampliam as possibilidades dos destilados. No início da coquetelaria, os bartenders criavam misturas chamativas e extremamente doces para as mulheres. Só que de tão enjoativas, elas não bebiam. Hoje os drinques continuam coloridos, só que mais agradáveis. Até os homens gostam. E tem cada vez mais mulheres a pedir bebidas secas e fortes, sem frufru.

Martini é coisa de mulherzinha? Vale lembrar que o nome Martini na coquetelaria não é a bebida, e sim a taça em Y, criada por Jerry Thomas na metade do século XIX. Ele criou a taça e um drinque, chamado Martinez, que mantinha o mesmo sabor e temperatura ao longo da apreciação. O cinema popularizou o Dry Martini, muito apreciado por homens. Infelizmente, muitos hesitam em pedir outros drinques na taça, o que é uma grande bobeira, pois é uma taça muito charmosa.

Por que a azeitona? É indicado para quem gosta de sabores mais salgados em bebidas secas. Quem gosta de sabores mais cítricos, deve pedir o drinque com twist de limão.

Um drinque para cair na balada: Uma criação minha muito pedida pelos jovens é o Cucumber Martini, feito com suco de pepino, suco de limão siciliano, hortelã e vodca.

Um drinque para tomar a dois: O Apple Martini, drinque dos anos 1990 e que não sai de moda, com licor de maçã verde, suco de limão, vodca e gengibre.

Atualizado em 1 Dez 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Festas e shows agitam o Rio de Janeiro durante as Olimpíadas 2016; confira programação

Veja opções incríveis - gratuitas e pagas - para se divertir durante os Jogos

Festas de Réveillon 2017 no Brasil

Confira as melhores festas de ano novo que acontecem pelo país

Onde curtir um jazz no Rio de Janeiro

Um roteiro por atrações imperdíveis pela Cidade Maravilhosa

Festas Juninas no Rio de Janeiro em 2016

Fique por dentro dos 'arraiás' que acontecem na Cidade Maravilhosa

Virada Cultural confirma segunda edição do concurso "Rainha da Virada"

Evento acontece dia 21 de maio e terá a presença de Yara Sofia, participante do RuPaul’s Drag Race

Festas Juninas em São Paulo em 2016

Confira os shows, quermesses e arraiais que acontecem nos bairros da cidade