Diet, light ou zero?

Saiba quais são as diferenças entre eles e descubra as respostas para os mitos e as verdades sobre esses produtos

Última publicação: 07/08/2012

  • O chocolate diet costuma ser um vilão para quem precisa perder peso, já que o açúcar é substituído por gordura

    O chocolate diet costuma ser um vilão para quem precisa perder peso, já que o açúcar é substituído por gordura
    Créditos: Getty Images

  • É preciso checar bem os rótulos antes de comprar para decidir se é o alimento diet, light ou zero que atende às suas necessidades

    É preciso checar bem os rótulos antes de comprar para decidir se é o alimento diet, light ou zero que atende às suas necessidades
    Créditos: Getty Images

  • As pessoas diabéticas, que possuem intolerância ao açúcar, podem consumir alimentos diet ou zero para açúcar

    As pessoas diabéticas, que possuem intolerância ao açúcar, podem consumir alimentos diet ou zero para açúcar
    Créditos: Getty Images

Por Ana Stella Guisso

A segunda-feira chegou, você decidiu começar a sua tão esperada dieta e foi para o supermercado selecionar os produtos certos. É nessa hora que a maioria das pessoas começa a entrar em pânico, já que a confusão começa ao escolher o iogurte e o refrigerante light ou zero? Essa complicação fica ainda mais séria se a pessoa for diabética e, assim, tiver a restrição ao consumo do açúcar.

Por isso, a melhor indicação é prestar muita atenção nos rótulos de cada produto que vai comprar. A legislação brasileira exige que as embalagens tragam todas as informações necessárias para o consumidor. No entanto, muitas vezes, a dificuldade está em decifrar o que significa realmente um alimento diet, light e zero e suas indicações para uso. A nutricionista e mestre em bioquímica Simara Ruffato Conde desvendou os principais mitos e as verdades sobre cada um desses produtos. Confira!

Alimentos light não engordam.
Mito. Os produtos light devem ter o mínimo de redução calórica de 25% em qualquer de seus atributos, como valor energético, açúcar, sal, gordura, carboidratos e colesterol. Porém, se um indivíduo comer grandes quantidades de um determinado produto light, mesmo este tendo redução calórica, a pessoa aumentará de peso pela quantidade total de calorias ingeridas, mas engordará menos do que se ingerisse a mesma quantidade do alimento na versão tradicional.

Produtos diet são indicados apenas para pessoas diabéticas.
Mito. Todo alimento que contém a retirada total de um ingrediente de sua fórmula é considerado um produto diet. O mais comum é a remoção da sacarose, mas existem também os alimentos diet para sódio ou diet para gordura, por exemplo. Assim, para os diabéticos ou com problemas de saúde que necessitem a retirada da sacarose da dieta, o indicado é que se use os alimentos diet para açúcar. 

Produtos diet ajudam a emagrecer.
Verdade. No entanto, é necessário ter cautela, já que a perda de peso depende do tipo do produto e da porção consumida. Há muitos alimentos diet que substituem o açúcar por gordura - como do chocolate dietético -, e assim, não têm redução de calorias. Porém, se a pessoa optar por substituir o açúcar por um adoçante dietético, como o aspartame, haverá perda de peso pela diminuição de ingestão calórica. Os produtos diet - ou sem açúcar - são formulados para atender às necessidades dietoterápicas especiais de pessoas com exigências metabólicas, fisiológicas e patológicas diferenciadas - todavia, há muitas pessoas que os utilizam para redução de peso.

Alimento zero não possuem nenhuma caloria.
Mito. Significa apenas que ele é a mesma coisa que um produto diet, pois possui isenção de um ingrediente na sua fórmula.

Diabéticos podem consumir alimentos zero.
Verdade. Mas apenas se o alimento for zero para açúcar ou sacarose. Caso contrário, o diabético não poderá fazer a ingestão desse tipo de produto. Por isso, todo paciente nessa condição precisa aprender a ler rótulos e verificar os ingredientes antes de comprar.

Gestantes podem ingerir produtos light e diet.
Verdade. Elas podem consumir os produtos light para gorduras com tranquilidade, mas os light para açúcar devem ser evitados, pois há alguns adoçantes - como a sacarina, o ciclamato e o aspartame - que não são recomendados para essa condição da mulher. Já produtos diet para açúcar são indicados somente para as grávidas diabéticas. Esse grupo de mulheres precisa ter o acompanhamento de um nutricionista ou médico e ter atenção ao selecionar os produtos com adoçantes, que comprovadamente não trazem problemas à gravidez, como estévia, sucralose e acesulfame-k.

Os pais de crianças que estão acima do peso podem priorizar a alimentação dos pequenos com comidas e bebidas light ou zero.
Mito. Exceto por indicação de um nutricionista, pois as crianças possuem necessidades diferenciadas de nutrientes de acordo com cada faixa etária, e isso pode comprometer o desenvolvimento natural delas. A atenção deve estar, principalmente, na escolha de produtos zero para açúcar, pois eles contêm adoçantes que podem causar efeitos colaterais em crianças. Isso porque a dose máxima de ingestão do produto é calculada por quilo de peso e é atingida com facilidade pelos pequenos.

Para não errar mais

A nutricionista Cristina Almeida Prado, da Clínica do Dr. José Bento de Souza, de São Paulo, sintetiza o que é um alimento diet, light e zero e informa as restrições de uso implícitas a cada tipo de produto.

Diet: possui isenção de um dos componentes nutricionais do produto original. Os mais utilizados são os produtos diet para açúcar, recomendados para os diabéticos. O uso desses alimentos não é indicado para quem quer reduzir o peso.

Light: possui uma redução de, no mínimo, 25% de qualquer substância fornecedora de quilocalorias - como a gordura, o sal ou o açúcar - em comparação com o produto tradicional. São os alimentos mais aconselhados para as pessoas que querem emagrecer - no entanto, devem ser consumidos sem exageros para atingir o efeito desejado.

Zero: não se diferem demais dos produtos diet, já que também existe a retirada de alguma substância da fórmula original. A única diferença é que os zero costumam ter menos calorias do que os produtos tradicionais. Seu consumo deve ser feito por indicação de médicos ou nutricionistas, pois, mesmo que tenha 0% de calorias, não significa que ele tenha redução de gorduras e sais minerais, apenas que houve a substituição dos açúcares por produtos não-calóricos.

 

Ana Stella Guisso redator(a)

Comentários

Destaques do guia