Guia da Semana

A Luz e o Cinema de Rogério Sganzerla

Mostra reúne 24 filmes do chamado Cinema Marginal

Este evento terminou

A Luz e o Cinema de Rogério Sganzerla

Data 19 Abr 2011-08 Mai 2011
Até 8 de maio de 2011.

Preço(s) R$ 2,00.

Horário(s) Terça a domingo, 17h30 e 19h.

Próximo à estação Carioca do Metrô.
Avenida Almirante Barroso, 25, Centro 20031-004

Telefone (21) 2544-4080

A produção do cineasta catarinense Rogério Sganzerla pode ser conferida na mostra A Luz e o Cinema de Rogério Sganzerla, em cartaz na Caixa Cultural Rio de Janeiro.

Com curadoria de Sinai Sganzerla, filha do diretor, o evento reúne 24 filmes considerados "cinema marginal", gênero pertencente ao final da década de 60 até o início da década de 80.

Rogério Sganzerla começou sua carreira aos 15 anos, no jornal O Estado de S. Paulo, escrevendo sobre cinema no Suplemento Literário, entre 1964 e 1966. Em 1970, junto com o cineasta Julio Bressane e a atriz Helena Ignez, o diretor fundou a produtora Belair, onde dirigiu e produziu sete filmes em três meses, entre eles Copacabana mon amour (com trilha original composta por Gilberto Gil), Sem essa e Aranha, que se tornou um ícone do cinema de vanguarda.

Confira a programação:

26 de abril, terça-feira

Salas 1 e 2, 18h30
O Bandido da Luz Vermelha (1968)

27 de abril, quarta-feira
Sala 1, 17h30
Abismu (1977)
Sala 1, 19h
Tudo é Brasil (1998)

28 de abril, quinta-feira
Sala 1, 17h30
Nem Tudo é Verdade (1985)
Sala 2, 19h
Sem Essa, Aranha (1970)

29 de abril, sexta-feira
Sala 2, 17h30
Histórias em Quadrinhos (1969)
Horror Palace Hotel (1978)
Sala 1, 19h
Belair

30 de abril, sábado
Sala 2, 17h30
Documentário (1966)
Elogio da Luz
Sala 1, 19h
Perigo Negro (1992)
Isto é Noel Rosa (1990)
 
1 de maio, domingo
Sala 1, 17h30
A Mulher de Todos (1969)
Sala 1, 19h - Debate

3 de maio, terça-feira
Sala 2, 17h30
A Miss e o Dinossauro - Bastidores da Belair 2005
A Reinvenção da Rua
B2
Brasil (1981)
Sala 1, 19h 
Abismu (1977)

4 de maio, quarta-feira
Sala 1, 17h30
O Signo do Caos (2003)
Sala 1, 19h00
O Bandido da Luz Vermelha (1968)

5 de maio, quinta-feira
Sala 1, 17h30
Copacabana Mon Amour (1970)
Sala 1, 19h
Nem Tudo é Verdade (1985)

6 de maio, sexta-feira
Sala 1, 17h30
Abismu (1977).
Sala 2, 19h
Histórias em Quadrinhos (Comics) (1969)
Horror Palace Hotel (1978)
Documentário (1966)

7 de maio, sábado
Sala 2, 17h30
Linguagem de Orson Welles (1990)
O Petróleo Nasceu na Bahia (1981)
Viagem e Descrição do Rio Guanabara por Ocasião da França Antártica (Villegaignon) (1976)
Anônimo e Incomum (1990)
Informação: h. J. Koellreuter (2003)

Sala 2, 19h
Sem Essa, Aranha (1970)

8 de maio - domingo
Sala 1, 17h30
Tudo É Brasil (1998)
Sala 1, 19h
O Signo Do Caos (2003)

Foto:
Divulgação

Compartilhe

Mapa do local

Powered by ParkMe

Comentários

Explore ao redor

O Navegador

O Navegador

48m O Navegador oferece um leque de opções para seus clientes

Cafê Bistrô Villarino

Cafê Bistrô Villarino

48m

Clube Naval

Clube Naval

50m

Curumim Eco Cultura Tours

Curumim Eco Cultura Tours

60m

Ekkos Gastronomia - Centro

Ekkos Gastronomia - Centro

89m

Museu Nacional de Belas Artes - MNBA

Museu Nacional de Belas Artes - MNBA

95m Um dos mais importantes museus de arte do Brasil, localizado no Rio

Notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA