Guia da Semana

Ruas inusitadas

Conheça a história por trás de nomes inusitados de algumas ruas de São Paulo. Sim, existe uma explicação para esses nomes estranhos

Ruas inusitadas

Preço(s) Gratuito.

Horário(s) Sob consulta.

Parque da Independência, s/n, Sul 04207-040

Telefone (11) 2065-8000

Passamos todos os dias pelas ruas, avenidas, praças e estradas, e nem desconfiamos por que elas têm o nome que as placas indicam. Muitas vezes, elas são nomeadas em homenagem a pessoas importantes da história, tanto do bairro, quanto da cidade. Mas nem de grandes personalidades são feitos os nomes das vias de São Paulo. Desta vez, buscamos alguns nomes bem inusitados de vias - afinal, elas também têm sua história.

Rua do Grito
O Museu do Ipiranga (foto) fica próximo à rua, cujo nome faz todo o sentido quando se sabe que a via fica no bairro do Ipiranga - é uma alusão ao famoso "Independência ou morte" de D. Pedro I, que culminou na independência do Brasil. Sem contar que é quase inevitável soltar um grito ao passar por ela.

 

Rua Direita
Uma das várias ruas que saem da Praça da Sé, é também uma das mais antigas: há registros dela que datam do século 16. Como fica à direita da porta principal da Igreja de Santo Antônio, na Praça do Patriarca, levou esse nome - uma tradição portuguesa da época. Curiosamente, hoje fica à esquerda da Sé, a principal igreja da cidade.

 

 


Estrada das Lágrimas
Conta uma história antiga, do início do século 20, sobre uma árvore em uma estrada que dá acesso ao litoral, na região onde hoje estão os bairros paulistanos do Ipiranga e Sacomã. Sob ela, muitas pessoas se despediam longamente de seus familiares que iam em direção a Santos - às vezes, para nunca mais voltar. Tanto é que o ponto ficou conhecido como Árvore das Lágrimas. Daí para a estrada ser significado de tristeza e saudade, foi um pulo.

 


Rua Harmonia
Uma das ruas que formam o caminho dos bares da Vila Madalena, os moradores da região, por volta de 1930, decidiram dar esse nome à via, que seria um símbolo de paz e harmonia entre seus habitantes. Agora, se eles já sabiam que a região seria um dos recantos boêmios da cidade, isso já é outra história.

 


Largo da Pólvora
Não, não é um lugar explosivo - mas já foi. Lá, em 1785, foi instalada a Casa da Pólvora pelo governo da época. Hoje, por ficar no caminho da Praça da Liberdade, por lá passam muitas pessoas, especialmente nos fins de semana, quando acontece uma feira de artigos orientais. Aí, sim, o local, literalmente, bomba.

 


Rua da Várzea
Tanto o nome da rua quanto do bairro onde ela está localizada, na Barra Funda, se referem à várzea parcialmente alagável pelas águas do rio Tietê - pessoas, animais e coisas costumavam afundar mesmo no meio do pântano. Em meados do século 19, a região começou a ser povoada, ganhou a estação de trem e cresceu. Hoje, o único momento em que a rua da Várzea e arredores fazem jus ao nome é quando chove forte: dependendo da intensidade, pequenos alagamentos podem surgir.

 

Compartilhe

Mapa do local

Powered by ParkMe

Comentários

Explore ao redor

Casa do Grito e Capela Imperial

Casa do Grito e Capela Imperial

Sesc Ipiranga - área de convivência

Sesc Ipiranga - área de convivência

345m

Sesc Ipiranga

Sesc Ipiranga

345m Clube com Teatro, áreas destinadas a prática de esportes e inúmeras programações culturais

Museu de Zoologia da USP

Museu de Zoologia da USP

446m

Tio da Cerveja

Tio da Cerveja

460m A loja de cervejas especias apresenta mais de 150 rótulos, de 30 estilos diferentes, entre nacionais e importadas

Parque Independência

Parque Independência

510m

Notícias recomendadas

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA

6 motivos para visitar a Fundação Maria Luisa e Oscar Americano em SP (e nem perceber que está na capital)

Local une arte, cultura, lazer, arquitetura e natureza, fazendo com que o visitante esqueça que está em SP

13 grafites em SP que todo mundo que ama arte deveria ver pessoalmente

Confira obras espalhadas pela cidade que merecem sua atenção

Na Semana da Criança, uma selfie vale um passaporte nos museus de SP; entenda

Para participar, é só postar foto com uma criança no Facebook com a hashtag #MuseusSP e apresentar na bilheteria da Pinacoteca, Casa das Rosas ou do Museu da Imigração

Unibes Cultural oferece programação especial e gratuita para o mês das crianças

Evento acontece até dia 31 de outubro e comemora o Mês das Crianças