Guia da Semana

A serviço do conhecimento

O uso de meios tecnológicos na educação cresce e deve se tornar um aliado aos métodos convencionais de ensino


Foto: Getty Images

No Reino Unido, uma proposta visa a incluir no currículo escolar o ensino de aulas sobre as novidades da internet, como Twitter e Wikipedia. Desejando familiarizar crianças com até 11 anos aos novos métodos, a aula deveria ensinar sobre páginas essas pessoais, além de elementos como blogs, podcasts, entre outros. A proposta reacendeu a discussão sobre a importância do uso da tecnologia na educação.

No Brasil, um estudo do IBGE apontou que cerca de 20% das crianças com até 10 anos já tiveram o primeiro contato com um computador. Esse dado mostra que se torna difícil excluir a influência dos meios tecnológicos no dia-a-dia dos brasileiros. Hoje, a realidade educacional de muitas escolas do país está diretamente ligada a esses recursos.

Adílson Garcia, diretor do Colégio Vértice, conta que mesmo antes do advento da Internet, a escola a usava em busca de transformar informação em conhecimento, em novo conteúdo. Os alunos têm aula de informática e Internet no ensino fundamental 1, com laptops e banda larga, sempre supervisionados por professores. "Elas são apresentadas à máquina e às suas facilidades com programas e jogos variados. Tudo para criar um desenvolvimento de senso crítico e para familiarizá-las com a ferramenta que será usada, certamente, pro resto da vida", explica.

Elenice Lobo, diretora pedagógica do Colégio Santo Américo, também acredita que não há mais como desvincular escola de tecnologia. Para ela, a parceria aumenta de forma significativa o nível de mobilização dos alunos. "Alunos do 8º ano gravaram e editaram um telejornal de época, vinculado às disciplinas História e Português. Os do 1º ano do ensino médio criaram vídeos para o Programa de Promoção de Saúde do colégio. Nosso laboratório de robótica encontra-se aberto a todos os interessados, mesmo os da Educação Infantil. Tudo isso incentiva a criatividade", completa.


Foto: Getty Images

O papel da Internet

Todos os entrevistados concordam num ponto: a Internet é uma ótima aliada se usada de maneira adequada. Por isso, as escolas possuem regras claras para este uso, permitindo-o desde que para agregar conhecimento e não para garantir respostas exatas.

Para o mestre em tecnologia Celso Poderoso, os professores devem saber a forma certa de fazer as exigências. "Perguntas do tipo 'o que', 'quando' ou 'como' podem ser facilmente resolvidas por meio de uma busca simples no Google, por exemplo. Porém, se questionarmos o 'porquê' das coisas e, principalmente, forçarmos a associação de assuntos e conteúdos, o aluno terá que raciocinar para responder", completa.

O conteúdo disponível na Internet, portanto, serve como fonte de pesquisa e de informação, não devendo auxiliar na "preguiça escolar". O professor de física Ângelo Antônio Leithold é colaborador da Wikipedia e utiliza a enciclopédia colaborativa como apoio para suas aulas. Leithold acredita que, após o início do uso da busca por assuntos pela internet, o rendimento dos alunos aumentou, assim como o interesse dos jovens pela matéria abordada.


Foto: Getty Images

Geração copia e cola

Numa época de "CTRL C, CTRL V", profissionais da educação concordam que é preciso ensinar uma nova cultura aos alunos que mostre sua verdadeira utilidade. Elenice Lobo aponta questões éticas em relação ao conceito, conscientizando os alunos de que o "copia e cola" é igual a quando o estudante cola do colega ou quando copia trechos de um livro, jornal ou revista. Em todos os casos, existe um autor real, o dono do texto, e não é ético, legal e certo se passar por ele.

Ângelo Leithold acrescenta que, quando se faz o uso correto da tecnologia na educação, há maior velocidade de aprendizado, com leitura, interpretação e entendimento aprimorados em seus alunos.

O diretor do Colégio Vértice aponta ainda diferenças na postura dos alunos ao conquistarem o uso do computador. "Esses meios provocam uma abertura de possibilidades imensas para os estudantes e cabe à escola saber direcionar essa mudança", explica. Garcia garante que os professores são peças fundamentais. Eles devem aprender a manipular os meios e acrescentar lições que vão além da Internet. "Antes, os professores traziam para a sala de aula informações que eles pesquisaram. Hoje, os alunos podem chegar a estas informações diretamente, após uma busca pela Internet", finaliza.

Atualizado em 17 Jul 2012.

Por Angela Miguel
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Participante do "The Voice Kids" presta queixa após sofrer racismo na internet

Franciele Fernanda da Silva, de 14 anos, foi chamada de "neguinha" em comentário no Facebook

Globeleza aparece vestida em nova vinheta e internautas reagem com memes

Confira a repercussão (positiva e negativa) nas redes sociais!

Transmissão ao vivo do Globo de Ouro 2017 na TV e internet

Cerimônia premia os melhores do cinema e da TV dentro e fora dos Estados Unidos

SBT volta a exibir "Clube do Chaves" a partir de janeiro

Um dos personagens mais queridos da emissora está de volta!

Brau e Michele ganham programa de TV na 3ª temporada de 'Mister Brau'

Nova fase da atração tem estreia prevista para o primeiro semestre de 2017

Jô Soares renova contrato e voltará para Globo em 2018

Apresentador retorna à emissora após período sabático