Guia da Semana

Afinal, o que assistir?

As séries da TV brasileira evoluíram e trazem um enredo caprichado, ótimo elenco e produção elaborada

Foto: Divulgação

Cena de Afinal, o que querem as mulheres?

Os seriados da TV americana - que eram conhecidos por aqui como "enlatados" - fazem sucesso no Brasil desde os anos 60. E desde então as emissoras brasileiras têm investido no formato. Seja em "sitcoms" (comédias de situação), como o Alô Doçura! e A Grande Família, seriados de humor, como A Família Trapo e o Sai de Baixo, ou seriados infanto-juvenis, como as várias versões do Sítio do Picapau Amarelo.
 

Os seriados nacionais ganharam um fôlego extra no final dos anos 70, quando a Globo lançou séries nacionais que iam ao ar em horário nobre, como os bem sucedidos Malu Mulher, Carga Pesada, Plantão de Polícia e O Bem Amado (baseado na novela homônima). Era um tempo em que não havia TV a cabo no Brasil e as reprises de Perdidos no Espaço, Jeannie é um Gênio, A Feiticeira e Bonanza faziam tanto sucesso quanto os "novíssimos" As Panteras, O Incrível Hulk, Casal 20 e Dallas.

Com o advento da TV a cabo, os seriados estrangeiros proliferaram e se popularizaram por aqui também. Nos anos 90, Barrados no Baile, Arquivo X e Plantão Médico tiveram êxito inclusive na TV aberta. Nos anos 2000, 24 Horas e Lost foram ao ar bem tarde, pois a Globo abandonara o hábito de apresentar produções estrangeiras em horário nobre. Enquanto isso, a emissora percebia que o formato ganhava cada vez mais adeptos na TV a cabo.

Hoje em dia, não dá mais para negar a popularidade das histórias seriadas em temporadas. Tanto que a Globo também adotou o termo "temporada" para suas produções, para justificar a troca e substituição de programas. Enquanto uma "temporada" sai do ar, outra a substitui. E vai depender da receptividade do público para a produção substituída voltar à grade ou não.

A julgar pela safra atual de suas séries, a Globo tem apresentado opções que vão muito além do entretenimento. A qualidade de A Vida Alheia, Separação?!, A Cura, As Cariocas, Clandestinos e Afinal, o que querem as Mulheres é inquestionável, seja pelas produções caprichadas ou pelos roteiros bem elaborados.

Já está esquecida e perdoada a safra que 2008 que nos apresentou programas poucos criativos como Casos e Acasos, Dicas de um Sedutor, Faça Sua História e Guerra e Paz. O ano de 2009 trouxe séries melhores: Aline, Tudo Novo de Novo, Força Tarefa e Decamerão, a Comédia do Sexo. Atualmente dá gosto ver tanta coisa boa no ar. Afinal, o que assistir às terças-feiras: As Cariocas ou The Walking Dead? Completamente diferentes, mas igualmente bons!

Leia a coluna anterior de Nilson Xavier:

Talentos da TV

Destaque para a emoção

Quem é o colunista: Nilson Xavier.

O que faz: Autor do "Almanaque da Telenovela Brasileira" e criador do site Teledramaturgia.

Pecado Gastronômico: doces e sobremesas.

Melhor lugar do mundo: São Paulo.

O que está ouvindo no carro, mp3, iPod: quase um pouco de quase tudo.

Fale com ele: nilson.xavier@globo.com


 

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Confira a programação especial de fim de ano da Rede Globo

A emissora carioca preparou muitas novidades para o mês de dezembro

Renato Aragão confirma volta de "Os Trapalhões"

Ator revelou a novidade durante painel na CCXP

Globo não exibe homenagem à Chapecoense e recebe crítica dos internautas

Emissora seguiu com a programação normal, com a novela "A Lei do Amor" e a sessão "Cinema Especial"

Saiba tudo sobre A Cara do Pai, nova série de comédia da Rede Globo

Série cômica tem estreia prevista para 11 de dezembro

Conheça todos os indicados ao prêmio Melhores do Ano 2016, do Domingão do Faustão

A premiação acontece no dia 11 de dezembro

Globo planeja exibir versões censuradas de suas séries na internet

Diretor de mídias digitais da emissora já avalia a ideia