Guia da Semana

Afinal, o que assistir?

As séries da TV brasileira evoluíram e trazem um enredo caprichado, ótimo elenco e produção elaborada

Foto: Divulgação

Cena de Afinal, o que querem as mulheres?

Os seriados da TV americana - que eram conhecidos por aqui como "enlatados" - fazem sucesso no Brasil desde os anos 60. E desde então as emissoras brasileiras têm investido no formato. Seja em "sitcoms" (comédias de situação), como o Alô Doçura! e A Grande Família, seriados de humor, como A Família Trapo e o Sai de Baixo, ou seriados infanto-juvenis, como as várias versões do Sítio do Picapau Amarelo.
 

Os seriados nacionais ganharam um fôlego extra no final dos anos 70, quando a Globo lançou séries nacionais que iam ao ar em horário nobre, como os bem sucedidos Malu Mulher, Carga Pesada, Plantão de Polícia e O Bem Amado (baseado na novela homônima). Era um tempo em que não havia TV a cabo no Brasil e as reprises de Perdidos no Espaço, Jeannie é um Gênio, A Feiticeira e Bonanza faziam tanto sucesso quanto os "novíssimos" As Panteras, O Incrível Hulk, Casal 20 e Dallas.

Com o advento da TV a cabo, os seriados estrangeiros proliferaram e se popularizaram por aqui também. Nos anos 90, Barrados no Baile, Arquivo X e Plantão Médico tiveram êxito inclusive na TV aberta. Nos anos 2000, 24 Horas e Lost foram ao ar bem tarde, pois a Globo abandonara o hábito de apresentar produções estrangeiras em horário nobre. Enquanto isso, a emissora percebia que o formato ganhava cada vez mais adeptos na TV a cabo.

Hoje em dia, não dá mais para negar a popularidade das histórias seriadas em temporadas. Tanto que a Globo também adotou o termo "temporada" para suas produções, para justificar a troca e substituição de programas. Enquanto uma "temporada" sai do ar, outra a substitui. E vai depender da receptividade do público para a produção substituída voltar à grade ou não.

A julgar pela safra atual de suas séries, a Globo tem apresentado opções que vão muito além do entretenimento. A qualidade de A Vida Alheia, Separação?!, A Cura, As Cariocas, Clandestinos e Afinal, o que querem as Mulheres é inquestionável, seja pelas produções caprichadas ou pelos roteiros bem elaborados.

Já está esquecida e perdoada a safra que 2008 que nos apresentou programas poucos criativos como Casos e Acasos, Dicas de um Sedutor, Faça Sua História e Guerra e Paz. O ano de 2009 trouxe séries melhores: Aline, Tudo Novo de Novo, Força Tarefa e Decamerão, a Comédia do Sexo. Atualmente dá gosto ver tanta coisa boa no ar. Afinal, o que assistir às terças-feiras: As Cariocas ou The Walking Dead? Completamente diferentes, mas igualmente bons!

Leia a coluna anterior de Nilson Xavier:

Talentos da TV

Destaque para a emoção

Quem é o colunista: Nilson Xavier.

O que faz: Autor do "Almanaque da Telenovela Brasileira" e criador do site Teledramaturgia.

Pecado Gastronômico: doces e sobremesas.

Melhor lugar do mundo: São Paulo.

O que está ouvindo no carro, mp3, iPod: quase um pouco de quase tudo.

Fale com ele: nilson.xavier@globo.com


 

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Quarta temporada de ‘Adotada’ estreia nesta terça-feira (11), na MTV

Maria Eugênia vai rodar por todo o Brasil em 13 novos episódios inéditos

Marcos é expulso do BBB 17

A delegada titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM) de Jacarepaguá esteve nos Estúdios Globo nesta segunda-feira (10)

Talk show de Tatá Werneck estreia hoje no Multishow

"Lady Night" vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 22h30

Sílvio Santos passa o comando do SBT para as filhas Daniela e Renata

Patrícia Abravanel ficou de fora das ações da emissora

Transmissão ao vivo do show da Marília Mendonça no Rio de Janeiro na TV e Internet

Cantora apresenta turnê do DVD ' Realidade - Ao Vivo' a partir das 23h

José Mayer assume que errou em carta aberta

Acusado de assédio sexual por figurinista da Globo, ator admite que "passou dos limites"