Guia da Semana

Casais gays da TV

Recentemente, foi ao ar o primeiro beijo gay da televisão brasileira. Relembre outros casais do mesmo sexo que ficaram no "quase", mas não chegaram aos finalmente

Foto: TV Globo/Divulgação

Hugo (Marcos Damigo) e Eduardo (Rodrigo Andrade) são o casal gay de Insensato Coração

Entre as dezenas de mortes e trapaças que a novela das nove Insensato Coração tem levado à telinha da Globo, uma outra polêmica também está no ar. Os personagens Eduardo, vivido pelo ator Rodrigo Andrade, e Hugo, interpretado por Marcos Damigo, vivem um relacionamento em segredo, que promete abalar as estruturas da trama nas próximas semanas.

O jovem e bem-sucedido Eduardo namorou Paula (Tainá Müller), filha do empresário Horácio Cortez (Herson Capri), porém descobriu uma atração inesperada pelo professor Hugo. Ainda em fase de conhecimentos e descobertas, o casal recém-formado tem causado polêmica inclusive nos bastidores. Mesmo que os autores Gilberto Braga e Ricardo Linhares tenham escrito cenas mais ousadas para os dois, a emissora optou por não levá-las ao ar. O que promete ser o grande mote da trama será a reação de Sueli (Louise Cardoso), mãe de Eduardo, diante da notícia do namoro do filho, já que é uma apoiadora da causa e, inclusive, trabalha em um quiosque direcionado ao público LGBT.

Tamanha repressão levou inclusive o autor Aguinaldo Silva a postar um recado em seu Twitter, na época em que tentou mostrar um beijo gay na novela Duas Caras, mas também foi vetado: "É por isso que eu digo: beijo gay agora só se for na minha casa, nas minhas novelas nunca mais...".

Beija, beija, tá calor...

Já que na emissora carioca o beijo gay não sai, nos estúdios do SBT o dilema é outro. Recentemente, a novela Amor e Revolução, de Tiago Santiago, levou ao ar a polêmica cena entre Marcela (Luciana Vendramini) e Marina (Giselle Tigre), que protagonizaram o primeiro beijo homossexual da TV brasileira, exatamente uma semana depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou o reconhecimento da união estável homoafetiva. O autor escreveu outras cenas para os demais casais do mesmo sexo presentes na história, porém a emissora do Silvio Santos optou por cortar do roteiro, devido uma pesquisa realizada com o público, que incomodou "a maioria das famílias brasileiras", segundo a assessoria do SBT.

Confira outros cinco casais gays que deram o que falar na telinha da TV:

Foto: TV Globo/Divulgação


Um dos primeiros casais a gerar polêmica na TV foi Cecília e Laís, em Vale Tudo (1988), de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères. Interpretadas por Lala Deheinzelin e Cristina Prochaska, elas viviam um casal de lésbicas assumidas. Na época, chegaram a andar de mãos dadas na novela e o público não aceitou de forma tão receptiva os personagens, em especial, pelo fato de o casal lidar bem com a situação e levantar a bandeira da luta pela homossexualidade.

Foto: TV Globo/Divulgação


Dez anos mais tarde, em Torre de Babel (1998), escrita por Sílvio de Abreu, Alcides Nogueira e Bosco Brasil, as personagens Rafaela e Leila, vividas por Christiane Torloni e Silvia Pfeifer, também não caíram nas graças do público. O casal morreu na explosão de um shopping logo nos primeiros capítulos da novela. Porém, no início, apenas Rafaela morreria e Leila continuaria na trama para reconstruir a vida. Mas os telespectadores não foram a favor da união homossexual das duas e por conta disso, a emissora optou por eliminar ambas de uma só vez e evitar uma possível queda na audiência.

Foto: TV Globo/Divulgação


No quesito masculino, em 1995, na novela A Próxima Vítima, o casal Sandrinho e Jefferson ganhou vida por meio dos atores André Gonçalves e Lui Mendes. A polêmica envolvendo o romance dos dois ganhou repercussão fora das telinhas, onde o ator André Gonçalves chegou a ser vítima de agressão por um grupo que discordava da orientação sexual do personagem. No enredo, os personagens mantinham uma relação em segredo, devido ao medo da reação dos familiares e amigos. No fim, ambos terminam juntos, driblando o  preconceito

Foto: TV Globo/João Miguel Júnior


O autor Manoel Carlos também já incluiu o dilema homossexual em suas tramas. Na pele de Rafaela e Clara, as atrizes Paula Picarelli e Alinne Moraes formaram um casal teen gay, em Mulheres Apaixonadas (2003). No enredo, elas enfrentaram preconceito de amigos de colégio e, principalmente, da família. As duas trocavam caricias em locais públicos e tinham que conviver com o preconceito ainda na adolescência. No último capítulo, ambas viveram cenas do clássico Romeu e Julieta na formatura do colégio, mas sem beijo.

Foto: TV Globo/Márcio de Souza


Na novela Duas Caras (2007), de Aguinaldo Silva, a polêmica ficou em torno do tão aguardado beijo entre os personagens Bernardinho e Carlão, interpretados por Thiago Mendonça e Lugui Palhares. O primeiro era homossexual assumido e apaixonado pelo parceiro, que insistia em esconder a relação, alegando ser "macho" e fazendo apenas o ativo. Depois de idas e vindas, na época, os dois chegaram a gravar a cena do beijo, logo depois que assinarem um contrato de união civil, em um cartório. Porém, a emissora não exibiu a cena.

Atualizado em 29 Jan 2014.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Renato Aragão confirma volta de "Os Trapalhões"

Ator revelou a novidade durante painel na CCXP

Globo não exibe homenagem à Chapecoense e recebe crítica dos internautas

Emissora seguiu com a programação normal, com a novela "A Lei do Amor" e a sessão "Cinema Especial"

Saiba tudo sobre A Cara do Pai, nova série de comédia da Rede Globo

Série cômica tem estreia prevista para 11 de dezembro

Conheça todos os indicados ao prêmio Melhores do Ano 2016, do Domingão do Faustão

A premiação acontece no dia 11 de dezembro

Globo planeja exibir versões censuradas de suas séries na internet

Diretor de mídias digitais da emissora já avalia a ideia

Band vai exibir episódio de "Os Simpsons" que previu vitória de Donald Trump

Programa vai ao ar nesta quarta-feira, às 22h10