Guia da Semana

Pelas ruas de Boston

A dica da nossa colunista é: qualquer livro de Dennis Lehane. Saiba o porquê


Cena do filme Gone Baby Gone, baseado no livro de Dennis Lehane

Não espere o terror presente em Stephen King. Ou mistérios universais descobertos por um mero professor como nas escritas de Dan Brown. Esqueça o romance de fim cor de rosa de Nora Roberts. Aqui há terror, há mistério e há romance, mas nada da maneira que você já encontrou em páginas por aí. O norte-americano Dennis Lehane despontou como o autor de livros que mexem com a cabeça e a respiração do leitor. Em suas obras de maior sucesso, como Sobre Meninos e Lobos e Ilha do Medo, ambos adaptados para o cinema, ele explora o que há de mais obscuro no ser humano e mostra como a vida caótica que vivemos, ainda há de nos engolir.

Mas saindo de seus best-sellers, indico a série que conta com os personagens Patrick Kenzie e Angela Gennaro. Detetives moradores da cidade de Boston, são pessoas perturbadas pelo passado e profundas, como já é esperado por quem conhece Lehane. Kenzie, que cresceu com um pai bêbado e era constantemente surrado. Angela e ele viveram no mesmo bairro toda a vida e foram namorados na adolescência. Porém, ela escolheu casar com o melhor amigo de Kenzie, que mais tarde se revelara um marido abusivo.

Sua série é composta por cinco títulos: Um Drink Antes da Guerra (A Drink Before the War), Apelo às Trevas (Darkness, Take My Hand), Sagrado (Sacred), Gone Baby Gone (que não teve tradução, recebeu o mesmo nome na edição brasileira) e Dança da Chuva (Prayers For Rain). Em novembro desse ano, o sexto será lançado, com o título provisório de Moonlight Mile. No Brasil, as obras pertencem à editora Companhia das Letras.

No primeiro livro, eles lidam com guerras entre gangues. No segundo, com um serial killer que muda suas vidas para sempre - o melhor dentre todos, na minha opinião -. No terceiro, são contratados para encontrar uma bela mulher que desapareceu sem deixar rastros. O quarto mexe com abuso de crianças e negligência paterna, além da corrupção na polícia. No quinto, abalados e separados após o último caso, são obrigados a trabalharem lado a lado contra um vingativo psicopata.

De tão sensacionais, seus livros ganharam surpreendentes e ótimas adaptações para o cinema, como já citado acima. Ilha do Medo (Shutter Island), por exemplo, chegou às telonas com Leonardo Di Caprio e Martin Scorcese na direção. Clint Eastwood comandou Sobre Meninos e Lobos (Mystic River), que garantiu o Oscar a Sean Penn, como melhor ator e Tim Robbins, de ator coadjuvante. Ainda teve Medo da Verdade (Gone Baby Gone), primeiro longa-metragem de Ben Affleck atrás das câmeras e que rendeu a Amy Ryan a indicação para o Oscar como melhor atriz coadjuvante.

  Quem é a colunista: Angela Miguel.

O que faz: Jornalista e repórter do Guia da Semana.

Pecado Gastronômico: Cachorro-quente com muito purê e batata-palha.

Melhor Lugar do mundo: No momento, minha casa.

O que está ouvindo no rádio, mp3, iPod: Maria Gadú e John Mayer.

Fale com ela: angelamiguel@gmail.com

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

"Pesadelo na Cozinha", programa em que Erick Jacquin salva restaurantes em crise, estreia dia 26 de janeiro; saiba mais!

Na 1ª temporada, o chef tentará salvar 13 restaurantes que estão à beira da falência

Transmissão ao vivo dos indicados ao Oscar 2017 na TV e Internet

A partir das 11h30 desta terça-feira, o mundo saberá quais são os filmes e os artistas indicados ao Oscar 2017

Transmissão ao vivo do Planeta Atlântida 2017 na TV

Anitta, Wesley Safadão, Capital Inicial e Alok são algumas das atrações da edição deste ano do maior festival do sul do Brasil

Ellen DeGeneres e Britney Spears brilham no People's Choice Awards 2017; veja os vencedores

Apresentadora bateu recorde na história da premiação, enquanto Brit levou a melhor em três categorias

Transmissão ao vivo do People's Choice Awards 2017 na TV e Internet

Banda Fifth Harmony está confirmada – e sem Camila Cabello!

Participante do "The Voice Kids" presta queixa após sofrer racismo na internet

Franciele Fernanda da Silva, de 14 anos, foi chamada de "neguinha" em comentário no Facebook