Guia da Semana

Conheça os maiores grafiteiros do mundo

Osgemeos, Banksy, Arys e muitos outros artistas que fazem sucesso.

De uma mancha ou uma rachadura, nascem desenhos cheios de cores e formas; seja na superfície lisa, irregular, porosa e deformada de paredes e muros dos centros urbanos ou das telas, materiais, instrumentos e luzes de grandes galerias. Do grafite ou da arte de rua, como muitos conhecem, personagens de um mundo mágico, cheio de histórias cotidianas em forma de poesia, dão vida aos sonhos, pensamentos, inconscientes e interpretações de grafiteiros espalhados pelo mundo.

E para que você conheça melhor os artistas que fazem sucesso não só no Brasil, o Guia da Semana selecionou os 10 maiores grafiteiros do mundo:

Aryz – Barcelona

Aryz é conhecido por fazer pinturas de grande escala em muros ou fachadas de edifícios, sempre com estranhos personagens. Seu trabalho também é marcado por muita cor e detalhes, feitos, em sua maioria, com rolos e tinta de spray.

 

Belin – Alemanha

Belin trabalha com uma mistura de realismo, caricatura e surrealismo. As características de seu estilo estão na qualidade fotográfica de seus personagens em 3D e na expressão dos rostos. Em 2004, Belin foi reconhecido em seu país ganhando o prêmio de jovem artista. Ele já expôs em vários países, inclusive no Brasil. 

 

Eric Grohe – Estados Unidos

A arte de Eric desafia quem a observa, pois transforma paredes lisas e comuns em verdadeiras obras de arte e da ilusão de ótica, capazes de até pegar os destraídos de surpresa. O artista utiliza tinta com minerais, para garantir sua permanência e eficácia e também uma técnica chamada trompe l’oeil para criar murais em três dimensões incríveis.

 

Trans – Inglaterra

Impossível ver seu trabalho e não ficar de boca aberta. Com traços super realistas as obras do artista mais parecem fotografias. 

 

 

Edgar Mueller -  Alemanha

Edgar Mueller cria com o propósito de instigar o próprio olhar. Com técnicas 3D, faz com que cenas banais transformem-se em cenas inusitadas com perspectivas super-realistas.

 

 

Smug – Escócia

Seus grafites são foto-realistas. Os temas são variados e mesmo que estes sejam desconfortáveis, os desenhos são simplesmente fantásticos. É conhecido por fazer belas mulheres e também por construir cenas bizarras.  

 

Kurt Wenner – Estados Unidos

Kurt iniciou sua carreira como ilustrador da NASA. Mais tarde, depois de estudar arte clássica na Itália, ficou conhecido pelas composições que parecem ter caído no chão. O uso da perspectiva, desenhos tridimensionais e a transformação do classicismo em arte urbana 3D o fizeram pioneiro desta técnica.

 

Banksy - Londres

Suas obras são críticas ao governo e suas imagens reproduzem sua aversão à autoridade e ao poder. Recluso, Banksy mantém sua identidade secreta e até hoje nunca foi revelada.

 

Osgemeos - Brasil

Os irmãos gêmeos Gustavo e Otávio Pandolfo são conhecidos por seus desenhos carregados de críticas sociais e também pelas figuras humanas de pele amarela, sempre em situações fantasiosas e de muita cor. Osgemeos são os grafiteiros brasileiros mais conhecidos dentro e fora do país.

Atualizado em 17 Dez 2014.

Por Nathália Tourais
Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Obras do MASP agora podem ser vistas em plataforma on-line gratuita

Museu integra a partir de hoje o acervo do Google Arts & Culture

Museu do Café, em Santos, inaugura exposição gratuita sobre propaganda da bebida

A partir de 28 de dezembro, os visitantes poderão conhecer as estratégias das marcas de café de 1900 a 1959

Especial férias: MASP abre ao público em todas as segundas-feiras de Janeiro

Programação de férias disponibiliza cinco dias a mais para visitar o Museu

5 motivos para assistir ao documentário "O começo da vida" na Netflix

O filme mostra a importância dos primeiros anos de vida sob a ótica dos quatro cantos do mundo

5 hotéis ao redor do mundo que são verdadeiras obras de arte

Confira locais com acomodações incríveis, mas que têm obras como protagonistas

Evolução dos emojis ganha instalação no Museu de Arte Moderna de NY

Os primeiros emoctions, criados em 1999, também entram para a coleção MoMA