Guia da Semana
Cinema
Por Redação Guia da Semana

Amor cativante

Nosso colunista assistiu à animação Ponyo - Uma Amizade Que Veio Do Mar e escreve a respeito da história e de toda a produção.



Se o Oriente tem seu Walt Disney, Ponyo - Uma Amizade Que Veio Do Mar é um título, denifitivamente, de Hayao Miyazaki. Responsável por pérolas da animação como Meu Vizinho Totoro (1988), A Princesa Mononoke (1997), A Viagem de Chihiro (2001) e O Castelo Animado (2004), o mestre do anime é, aos 69 anos, um dos mais respeitados e competentes artistas, trazendo histórias capazes de cativar crianças e adultos.

Vencedor do Oscar em 2003 por Chihiro, Miyazaki e o Estúdio Ghibl têm uma parceria com a Disney desde 1996. O diferencial é que o diretor e roteirista não se rende às novas tecnologias e mantém a animação 2D em seus filmes desde sempre. E é com seu mais recente trabalho, Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar, que ele mostra que sua aposentadoria - sempre anunciada e sempre adiada - pode estar bem longe de chegar.

Com Ponyo, Miyazaki conta a história de Brunhilde. Filha do feiticeiro Fujimoto com a deusa do mar Gran Mamare, ela foi transformada em peixe pelo pai, que perdeu a fé nos seres humanos. Com motivos de sobra para desacreditar das pessoas de carne e osso, Fujimoto aprisiona a filha-peixe, que só tem um sonho: ser humana.

Indicado ao prêmio de Melhor Filme no Festival de Veneza em 2008, o filme traz duas grandes  influências: o clássico conto A Pequena Sereia, escrito por Hans Christian Andersen - e que se tornou um grande sucesso animado da Disney em 1989 - e a lenda do pescador japonês Urashima Taro, que devolve uma tartaruga ao mar e descobre, tempos depois, ser uma princesa, filha do imperador dos mares.

Referências à parte, a vida do peixinho dourado Bunhilde muda quando conhece o pequeno Sosuke, um menino de 5 anos, que mora com a mãe à beira-mar. Acostumado a brincar com seu barco, enquanto aguarda o retorno do pai pescador, ele dá o nome de Ponyo à criatura com corpo de peixe e rosto de menina. 

Após ser capturada pelo pai, Ponyo decide abdicar de sua condição de peixe e escolhe pela humanidade, provocando um caos na cidade de Sosuke, por conta da fúria que se assola no mar local. Nessa delicada relação entre Ponyo e o garoto, os espectadores observam uma história simples, porém bem contada. Sem necessidade de efeitos especiais, Miyazaki mostra que o pouco, muitas vezes, diz muito.

Repleto de personagens extremamente cativantes, Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar trata de assuntos como solidariedade, preservação da natureza, compreensão, fé nos seres humanos e amor às pessoas pelo que elas são, porém, sem apelar para a pieguice ou a lição de moral fáceis. Bem cuidado, traz outra característica de Miyazaki: a mistura de elementos infantis com misticismo e lendas, que sempre funcionam.

Ritmo frenético e trilha sonora (de Joe Hisaishi) primorosa, a animação traz crianças que, mesmo com medo natural, enfrentam suas responsabilidades e encaram os riscos de uma aventura em prol de algo. E como estas atitudes têm consequências boas e ruins. Por exemplo, a vinda de Ponyo, na condição meio-peixe-meio-humana, causa uma devastação na cidade por conta dos feitiços de Fujimoto. Com muita ação, suspense, comédia e, claro, romance, Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar é mais um ótimo filme na filmografia de Miyazaki.

Leia  as colunas anteriores de Leonardo Freitas:

Confiança Hipócrita

Para todas as idades

De encher olhos e coração

Quem é o colunista: Um jornalista aficionado por cinema de A a Z.

O que faz: Dono do blog Dial M For Movies.

Pecado gastronômico: Lasanha.

Melhor lugar do Brasil: Qualquer lugar, desde que eu esteja com meus amigos.

Para Falar com ele: [email protected]


Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

7 filmes do diretor David Lynch que você precisa assistir

Cinema

Os melhores filmes infantis de 2019... até agora

Cinema

10 filmes imperdíveis com alienígenas para quem gosta do gênero

Cinema

10 filmes europeus imperdíveis para assistir na Netflix

Cinema

"MIB: Homens de Preto - Internacional", "Dor e Glória" e mais quatro filmes estreiam nesta quinta (13); Confira:

Cinema

Dia dos Namorados? 8 filmes para cultivar o amor próprio

Cinema