Guia da Semana
Cinema
Por Juliana Varella

Crítica: “O Natal dos Coopers” é o filme ideal para descansar a mente neste fim de ano

Filme marca o retorno aos cinemas da diretora de “Uma Lição de Amor”.

Charlotte (Diane Keaton), Sam (John Goodman) e o cão Rags são os personagens principais do filme (Divulgação)

Enfim chegou o último mês do ano e, com ele, começam a aparecer os tradicionais filmes despretensiosos para descansar a mente. “O Natal dos Coopers”, comédia que estreia no dia 3 de dezembro, é uma dessas produções: tem todos os ingredientes infalíveis para agradar, incluindo um elenco famoso, mas não vai deixar grandes marcas.

Este é o primeiro trabalho de Jessie Nelson na direção desde o drama “Uma Lição de Amor”, de 2001, e o roteiro é assinado por Steven Rogers, de “Kate & Leopold” e “Lado a Lado”. Como naqueles filmes, “O Natal dos Coopers” também aposta numa mensagem otimista e em personagens que buscam uma espécie de redenção, mas, neste caso, o clima é bem mais leve.

Aqui, acompanhamos seis histórias paralelas envolvendo pessoas de uma mesma família, nas horas que antecedem o jantar de Natal. Enquanto uns vivem novos amores, outros lidam com a separação ou tentam encontrar seu lugar no mundo, sozinhos. No percurso, discutem diferenças religiosas, políticas, de gênero e idade, mas tudo em doses inofensivas, suficientes apenas para mostrar a magia agregadora da data.

Existe uma intenção de mostrar como as pessoas tentam manter aparências diante da família, e como essas mentiras alimentam uma tensão crescente durante o jantar, mas isso não consegue ser sustentado além da intenção. Na prática, tudo se resolve facilmente e sem atritos - afinal, é Natal.

Apesar de contar com grandes humoristas como John Goodman e Ed Helms, o filme não consegue criar boas situações de humor e acaba cedendo mais para o drama familiar. Diane Keaton e Marisa Tomei ajudam a dar peso e a criar uma identificação com o público, enquanto Amanda Seyfried e Olivia Wilde garantem o lado jovem e romântico do mosaico. Anthony Mackie faz uma participação interessante, mas mal aproveitada.

Da escolha dos atores à narração, feita pelo cachorro da família (com voz de Steve Martin), tudo parece calculado para agradar - e isso, talvez, seja o motivo pelo qual não nos emocionamos com a história. “O Natal dos Coopers”, afinal, é apenas mais um filme natalino, exatamente como prometeu ser. Ideal para descansar.


Por Juliana Varella

Atualizado em 4 Dez 2015.

Mais notícias

Saiba como assistir ao Oscar 2021 na TV e Internet

Cinema

Divulgados trailer e pôster inéditos do filme "Cruella"; confira!

Cinema

Resenha: 'En las estrellas'

Cinema

Confira a lista dos indicados ao Oscar 2021

Cinema

Oscar 2021: saiba onde assistir aos filmes indicados

Cinema

10 mostras de cinema online para conferir em março de 2021

Cinema