Guia da Semana
Cinema
Por Mariana Viola

Meu País

Filme sobre laços familiares desfeitos e a importância do afeto e da união marca a estreia de André Ristum na direção de um longa.

Débora Falabella, Rodrigo Santoro e Cauã Reymond protagonizam drama familiar (Divulgação)

Se você é uma pessoa que presta um pouquinho de atenção no atual cenário cinematográfico, já deve ter percebido que o cinema nacional vem mostrando sua força. Além de prêmios, reconhecimento e significativa bilheteria, não podemos deixar de notar que é cada vez mais comum encontrar um nome brasileiro dentre os títulos em cartaz. Uma prova disso é o filme Meu País, que chega às telonas no próximo 7 de outubro.

Marcando a estreia de André Ristum na direção de um longa-metragem, a produção conta com elenco global: Rodrigo Santoro, Cauã Reymond, Débora Falabella e Paulo José, formando uma família desestruturada que vai se encontrando ao longo dos 90 minutos de duração. Os nomes de peso escolhidos a dedo pelo diretor se justificam pelo estilo do drama. “É um filme de personagens, sem ação, efeitos especiais ou elementos externos, por isso precisava trazer pessoas talentosas e que acreditassem no trabalho”, explica o diretor, que trabalhou durante dois anos no roteiro.

A história, levemente inspirada em sua vida, leva aos espectadores a possibilidade de acompanhar um período na vida de três irmãos (Santoro, Reymond e Falabella). Marcos é o mais velho e responsável; um homem contido que há muitos anos se afastou da família para viver e construir uma carreira bem-sucedida na Itália. Acompanhado de sua esposa, ele volta ao Brasil quando recebe a ligação de Tiago - o irmão mais novo, irresponsável e viciado em jogo - sobre a morte do pai - interpretado por Paulo José, que consegue emocionar mesmo com uma curta participação.

Em meio ao difícil reencontro, os irmãos são surpreendidos pela notícia da existência de uma irmã: uma garota de 24 anos, mas com mentalidade de uma criança - aliás, papel muito bem encarado por Débora Falabella. Internada em uma clínica, ela não precisa mais de tratamentos médicos, somente do carinho e conforto que só a estrutura familiar pode oferecer. Mas como conseguir isso em uma família totalmente desestruturada? Cabe a Marcos tomar a difícil decisão, já que Tiago não aceita Manuela.

Inspiração

Apesar do título do filme, Meu País causa um certo incômodo por nos deixar na dúvida se essa noção de patriotismo é em relação ao Brasil, à Itália ou a qualquer outro lugar do mundo. Esse estranhamento é justamente a inspiração de Ristum, que nasceu em terras brasileiras, mas cresceu no país da bota. “Quem viveu isso, se sente um estrangeiro em qualquer lugar”, conta o diretor que quis passar para as telonas, por meio do personagem de Santoro, questionamentos como “Onde é meu país? A que lugar pertenço?”. “Mas isso é uma questão já resolvida. Sou brasileiro!”, garante o diretor.

Aliás, o ator escolhido como protagonista tem mais coisas em comum com a história do que o fato de ser um brasileiro morando fora do país. Filho de italiano, Rodrigo cresceu ouvindo seu avô falar (com sotaque italiano) para o neto aprender a língua românica. A oportunidade de aprender um pouquinho o idioma foi um dos fatores que fizeram Rodrigo dizer o “sim” ao filme. “Foi um grande desafio e algo que muito me interessou na história”, conta o ator que pôde explorar um pouco da língua e cultura.

O outro motivo que levou Santoro a abandonar as férias que estavam programadas e mergulhar na história de Meu País foi o fato de o longa falar sobre família, afeto e a importância da união. “Estamos num momento no qual é muito importante falar sobre isso, uma das coisas mais simples e fundamentais do ser humano”.

Força nacional

A produção de André Ristum será acompanhada por outras três estreias nacionais em 7 de outubro. Chegam aos principais cinemas a adaptação de Jorge Amado paras telonas Capitães da Areia, o documentário Avenida Brasília Formosa e o drama inspirado no livro de Allan Kardec O Filme dos Espíritos.

Conheça outros filmes brasileiros que fizeram sucesso nas salas de cinema em 2011:

Desenrola

Brasil Animado

Lixo Extraordinário

Malu de Bicicleta

Bruna Surfistinha

VIPs

As Mães de Chico Xavier

Amor?

Bróder

Natimorto

Não se Pode Viver Sem Amor

Estamos Juntos

Qualquer Gato Vira-Lata

Cilada.com

Assalto ao Banco Central

Não Se Preocupe, Nada Vai dar Certo

A Alegria

Onde Está a Felicidade

O Homem do Futuro

Família Vende Tudo

Trabalhar Cansa


Por Mariana Viola

Atualizado em 10 Abr 2012.

Mais notícias

10 filmes imperdíveis baseados na obra de Stephen King

Cinema

Alerta de alta temperatura: 7 filmes imperdíveis que retratam o fogo 

Cinema

"Toy Story 4", "Casal Improvável" e mais quatro filmes estreiam nesta quinta-feira (20) nos cinemas; Confira!

Cinema

O homem e a máquina: 10 filmes que têm a interação como temática

Cinema

7 filmes do diretor David Lynch que você precisa assistir

Cinema

Os melhores filmes infantis de 2019... até agora

Cinema