Guia da Semana
Cinema
Por Mariana Viola

Não se Preocupe...

Novo trabalho de Hugo Carvana marca a volta de Tracísio Meira aos cinemas. Na trama, pai e filho rodam o Brasil com seus rolos e trambiques difundindo diversão..

Especialistas em aplicar golpes, pai e filho nunca perdem o humor (Divulgação)

Repetindo o bordão Não se Preocupe, Nada Vai dar Certo, Tarcísio Meira retorna aos cinemas na nova comédia de Hugo Carvana. Ao lado do jovem Gregório Duvivier - no papel de Lalau Velasco -, o eterno galã das novelas vive Ramon, um malandro que leva a vida interpretando diversos papéis.

Ator carioca esquecido pelo público, Lalau faz sucesso no nordeste do país com seus shows de stand up comedy. Ele se apresenta em hotéis, bares, salões ou qualquer cantinho que tenha um palco e um público para aplaudi-lo. O tema dos shows? As loucuras que já viveu ao lado de seu pai, o um dia famoso Ramon Velasco, com quem vive às turras.

Em cada cidade por onde a dupla passa, o patriarca admira sua cria da plateia e segue aplicanado pequenos golpes; não pelo dinheiro, mas pelo prazer de atuar - ao menos é o que faz questão de enfatizar. Mas quando a coisa aperta e algo dá errado, um acaba recorrendo ao outro, fazendo da relação entre pai e filho uma verdadeira cumplicidade. Esse sentimento de amor e ódio tem uma explicação simples, segundo o diretor Hugo Carvana: "É uma relação conflituosa e divertida entre pai e filho, que são iguais , querendo ser diferentes".

A vida imita a arte ou a arte imita a vida?

Apesar das malandragens do pai, o ponto alto do filme é a grande enrascada na qual o filho e aprendiz se mete. A convite de uma bela e sensual jornalista carioca, vivida por Flávia Alessandra, o rapaz aceita se passar pelo guru espiritual Bob Savanandra durante um workshop no Rio de Janeiro. Por cem mil dólares, ele topa o desafio e assume a personalidade do indiano.

Para o diretor, que também faz parte do elenco, os atores sempre vivem no limite entre o real e a ficção. A cada novo papel, um novo desafio. Um dia é vilão, no outro mocinho, no outro um mendigo e no outro um milionário. "Sempre pensei como seria fascinante um ator interpretando a vida real. E surge aí o personagem do Gregório (Duvivier). Eu gosto dessa loucura", diz Hugo Carvana. E Tarcísio ainda completa "Somos todos um pouco malucos".

O problema é que, enquanto o falso guru encanta a todos com a sua lábia, um crime estava prestes a virar o seu sucesso de cabeça para baixo. E como sempre acontece na vida dessa dupla, a única pessoa que pode salvar a pele de Lalau é o grande Ramon Velasco. Ele, então, encara o papel de advogado do filho para tentar tirá-lo da confusão em que se meteu, aproveitando para se divertir mais um pouco, claro.


Além de dirigir e fazer parte do elenco, a comédia, com um toque policial, foi também escrita por Hugo Carvana, que alcança a marca de 90 filmes como ator e oito na direção, entre eles, Vai Trabalhar Vagabundo (1973), Deus é Brasileiro (2003) e Casa da Mãe Joana (2008). O roteiro é de Paulo Halm e a trilha sonora original tem assinatura de Edu Lobo, incluindo a música-tema do longa Corda Bamba.

A cada a ator, o seu papel

Longe das telonas há 21 anos, Tarcísio Meira estava só esperando um bom convite para retornar ao universo cinematográfico. A oportunidade surgiu com o personagem oferecido por Carvana. "O cinema nacional estava desfalcado, era tudo muito pobre, por isso me afastei. Mas a tecnologia atual nos colocou quase em pé de igualdade. Estava aguardando uma obra que me interessasse", explica Tarcísio Meira.

E a oportunidade não chegou por acaso. "Quando estou escrevendo, penso 'qual ator faria aquele personagem?', é inevitável", conta Carvana. "No caso de Ramon Velasco, ele é um grande ator, mas também um trapaceiro. Para convencer, não poderia ser um ator que já tivesse a fama de malandro, como eu", brinca para explicar o convite feito a Tarcísio.

Contrastando com a vasta experiência do colega de elenco, Gregório Duvivier encarou seu primeiro papel como protagonista. "É ele", pensou Carvana quando assistiu a um DVD sugerido por Daniel Filho com o trabalho do ator, justamente na época em que procurava a pessoa que daria vida a Lalau Velasco. "O Gregório foi uma descoberta fantástica para mim", elogia o diretor.

O elenco ainda conta com Ângela Vieira, Mariana Rios, Lu Grimaldi e Herson Capri, que interpreta mais um vilão em sua carreira. "Empresário, corrupto... Qualquer semelhança com Cortez [papel que interpretava na novela Insensato Coração] é mera coincidência", brinca.


Por Mariana Viola

Atualizado em 10 Abr 2012.

Mais notícias

Divulgados trailer e pôster inéditos do filme "Cruella"; confira!

Cinema

Resenha: 'En las estrellas'

Cinema

Confira a lista dos indicados ao Oscar 2021

Cinema

Oscar 2021: saiba onde assistir aos filmes indicados

Cinema

10 mostras de cinema online para conferir em março de 2021

Cinema

Mostras de cinema gratuitas e online para conferir em fevereiro

Cinema