Guia da Semana

Realidade nas câmeras

Considerada um dos principais festivais de documentários do mundo, a mostra É Tudo Verdade agita São Paulo e Rio, de 31 de março a 10 de abril.

Foto: Divulgação

Carne, Osso, de Caio Cavechini e Carlos Juliano Barros, denuncia as condições precárias que os trabalhadores dos frigoríficos brasileiros passam

"De fato, havia necessidade de se ter uma janela exclusiva para o documentário e isso tem ajudado o mercado do gênero brasileiro a ampliar sua produção concreta". É com essa afirmação que o diretor do festival de documentários É Tudo Verdade, Amir Labaki, enxerga a relevância do evento que chega a sua 16ª edição, com 92 produções vindas de 29 países, além de 18 documentários brasileiros inéditos, de curta, média e longa-metragens.

Pluralidade é a marca que o festival carrega consigo, transitando entre as diversas formas de arte e dialogando com outras áreas, como música, literatura e artes plásticas. Em São Paulo, essa interação inicia em 31/3, com o longa Black Power Mixtape, de Göran Hugo Olsson, que retrata o movimento negro nos EUA na década de 70. Já no Rio, a programação estreia no dia seguinte, com o curta Imagens do Playground e o longa ... Mas o Cinema é Minha Amante, os dois do sueco Stig Björkman, sobre a vida e obra do cineasta Ingmar Bergman.

Competição

Para valorizar a produção nacional, os organizadores investiram na premiação deste ano. Em sua quinta edição, sete longas entram na Mostra Competitiva Brasileira de Longas e Médias-Metragens disputando o prêmio de R$ 110 mil - um aumento de 10% em relação a 2010. A Competição de Curtas recebe nove indicações, sendo que um deles leva para casa R$ 10 mil, um acréscimo de 67% em comparação ao ano passado. É a maior premiação já realizada para documentários nacionais. Na competição internacional de longas e médias-metragens, 12 documentários dão o tom ao evento, entre eles, títulos premiados em Amsterdã, Berlim, Leipzig, Lisboa e Veneza.


O Gosto Amargo da Liberdade é um íntimo retrato da jornalista russa que cobriu os massacres da Chechênia

Além dos festivais competitivos, a mostra está recheada com uma grade especial. A Retrospectiva Internacional exibe nove filmes da russa Marina Goldovskaya na celebração do seu 70º aniversário. Junto também acontece a pré-estreia mundial de sua mais recente obra, O Gosto Amargo da Liberdade, um retrato intimista da jornalista Anna Politkovskaya, que cobriu o massacre da Chechênia no começo da década de 90. Anna foi misteriosamente assassinada em 2006.

A Retrospectiva Brasileira deste ano leva o título Poesia É Verdade e conta com quinze documentários filmados entre 1948 e 2007, cujo objetivo é examinar como o país celebra a vida e obra de grandes poetas brasileiros. "Acho muito importante esse trabalho que vai além de mostrar as novas safras brasileira e internacional. As retrospectivas e os debates cumprem um papel de formação de público e ampliar os horizontes do espectador brasileiros", aponta Amir Labaki.

Panorama Brasileiro

Já nos Programas Especiais, entre os nove filmes, três brasileiros dão o tom: o inédito Os Cavalos de Goethe, de Arthur Omar, além da pré-estreia do curta inédito Santoscópio = Dumontagem e do longa Santos Dumont: Pré-Cineasta?, de Carlos Adriano. Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México e Uruguai sãos os países representados neste ano no Foco Latino-Americano, que reúne cinco produções.


Os Cavalos de Goethe é um documentário experimental filmado no Afeganistão que registra e reelabora imagens de homens e cavalos envolvidos numa espécie de jogo de guerra

Na seção informativa O Estado das Coisas, quatro produções brasileiras inéditas figuram a lista de dez títulos: As Batidas do Samba, de Bebeto Abrantes (RJ); Futebol de Várzea, do estreante Marc Dourdin (SP); São Miguel do Gostoso, de Eugênio Puppo (SP); e Seu Cavaco, Dom Bandolim e o Choro de Mestre Duduta na Rainha da Borborema, de Riccardo Migliore e Thaise Carvalho (PB).

Além do festival, a organização do festival promove em São Paulo a 11ª Conferência Internacional do Documentário, com o tema A Entrevista no Documentário. No evento, pesquisadores e cineastas do mundo inteiro estarão reunidos entre 7 e 9 de abril, na Cinemateca Brasileira, para avaliar os usos dessa ferramenta ao cinema não-ficcional. A programação completa do evento está disponível no site oficial.

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

“Ensaio Sobre a Cegueira” tem sessão gratuita com debate no MIS

Filme será acompanhado por bate-papo com historiadora

Final da Copa do Brasil será exibida nos cinemas

Rede Cinemark transmite o jogo ao vivo no dia 27 de setembro

"Tomb Raider" com Alicia Vikander no papel de Lara Croft ganha primeiro trailer; assista!

Novo filme da franquia tem estreia prevista para março de 2018

13 objetos de decoração que vão deixar sua casa mais cinéfila

De quadro interativo a almofada para pipoca, confira os itens que não podem faltar no seu cafofo

Entrevista: Dylan O’Brien fala sobre seu primeiro papel nos cinemas após acidente em 2016

“O Assassino: O Primeiro Alvo” chega aos cinemas nesta quinta, 21 de setembro

"All I See is You", drama com Blake Lively, ganha primeiro trailer; assista!

Longa estreia dia 27 de outubro nos EUA