Guia da Semana

Sonhar é para os jovens?



Os Sonhadores vivem o sonho de muita gente. O sonho romântico que deve ter sido fazer parte da Paris dos anos 60, a cidade do cinema de autor, das discussões filosóficas nos cafés esfumaçados, dos estudantes nas ruas, engajados em suas causas. E, como bons franceses que são, os gêmeos Isabelle (Eva Green) e Theo (Louis Garrel) parecem não se dar conta de quão invejadas suas vidas são; ou então, como todo estereótipo de francês pinta, eles sabem que são sortudos e por isso fazem pouco caso.

O mais recente filme de Bernardo Bertolucci (lançado em 2003) recupera a mentalidade dos jovens que fizeram dos anos 60 a década das revoluções e das utopias de um mundo que parecia possível: mais igualdade, mais democracia, mais arte para todos. Hoje sabemos que essas pretensões teóricas não se concretizaram da maneira como aqueles jovens gostariam; o sistema capitalista tomou conta de nossas vidas de maneira esmagadora, e quem não prioriza o trabalho e o dinheiro no nosso século XXI sabe que as coisas não serão fáceis. Mas, há 40 anos, essa realidade extremamente competitiva e "globalizada" não importava, porque não era considerada.

É através dos olhos de um jovem norte-americano, Matthew (Michael Pitt), que adentramos a casa e as mentes dos gêmeos franceses. Bertolucci dá um exemplo digno de interesse ao retratar um cidadão dos Estados Unidos que não é tratado como idiota: Michael questiona as extravagâncias dos irmãos, sejam sexuais, sejam familiares, sejam políticas. Após descobrir que Isa e Theo dormem juntos na mesma cama, pelados, ou mesmo que ambos passam diversos momentos submetendo um ao outro a provas e testes sobre cinema, onde quem perde tem que pagar de forma íntima e desconcertante, Michael começa a duvidar do hipotético engajamento de Theo na tal revolução que começava a tomar as ruas. Que pessoa é essa, que fica dentro de casa bebendo vinhos caros pegos da adega do pai e discutindo cinema, que apóia universitários em passeata, enfrentando policiais, mas apenas os observa da janela de seu belo apartamento?

Enfim, os trechos de filmes de Godard e outros diretores franceses inseridos em Os Sonhadores, entre as falas dos três amigos, não deixam de ser algumas das partes mais emocionantes do filme. E temos a bela Paris, o Louvre e a Cinemateca, o apartamento de Isa e Theo, tipicamente francês (isto é, antigo, um pouco bagunçado, precisando de uma reforma, mas totalmente charmoso), os corpos nus, a trilha sonora (que passa por Jimi Hendrix, Grateful Dead, Janis Joplin, The Doors e Edith Piaf, entre outras pérolas), tudo ajuda a fazer dessa película uma grande colagem de ótimos temas, frases, canções, tomadas, mascarando uma obra não tão boa a princípio. E digo que vale a pena ver, apesar disso.

Os Sonhadores (The Dreamers - 2003, Itália/Inglaterra/França/EUA), de Bernardo Bertolucci, com Michael Pitt, Eva Green e Louis Garrel, 115 minutos.

Fotos: Divulgação/Fox Searchlight

Quem é o colunista: Fabio Rigobelo, 25 anos, vive em São Paulo há 8 anos e é consumidor ardoroso de música e cinema.

O que faz: é jornalista.

Pecado gastronômico: coxinha.

Melhor lugar do Brasil: São Paulo nos feriados.

Fale com ele: fabiorigobelo@hotmail.com

Atualizado em 6 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Bilheterias da semana: "It - A Coisa" mantém liderança enquanto "Mãe!" fracassa nos EUA

Filme pode se tornar a maior bilheteria da história no gênero de horror

"Bingo - O Rei das Manhãs" é escolhido para representar o Brasil no Oscar 2018

Filme de Daniel Rezende se inspira na história real de um dos atores que interpretou o palhaço Bozo no Brasil

Reserva Cultural exibe filmes franceses sobre a Melhor Idade com café da manhã e preços baixos

Programação marca o último ciclo do ano do Cinéclub, projeto que acontece sempre no último domingo do mês

Estreias da semana: “Feito na América”, “As Duas Irenes” e mais 7 filmes

Novo horror ambientado na famosa casa de Amityville também é destaque

Clientes Claro e NET agora têm desconto nos cinemas Kinoplex; saiba mais!

Assinantes das operadoras pagam 50% do ingresso em qualquer filme, dia ou horário

8 Filmes para ver se você gostou de “It – A Coisa”

Longa remete a aventuras juvenis dos anos 80 e a grandes ícones do horror