Guia da Semana

Tranquilo no escurinho?

A segurança não é um dos itens mais valorizados nos cinemas do Brasil. Saiba o que fazer caso você seja vítima de uma enrascada.

Chega o fim de semana e finalmente você pode ir ao cinema assistir aquele filme que todos os seus amigos no trabalho estão falando. Ao chegar na sala, as luzes se apagam e apenas a tela do cinema é responsável por iluminar o ambiente. Pipocas e refrigerante a postos e começa o longa. A sessão está lotada e em poucos minutos você se vê completamente envolvido com a trama. De repente, acendem-se as luzes e você se depara com a falta de um objeto que você tem absoluta certeza que estava com ele antes. Foi exatamente essa a situação que aconteceu com uma espectadora de Brasília em 2003. Pode parecer ironia, mas tanta segurança em shoppings e outros estabelecimentos não garantem que você estará protegido durante uma sessão. Saiba como evitar possíveis inconvenientes dentro do cinema.   

Roteiro improvisado

Um simples momento de diversão rendeu mais que apenas uma história hollywoodiana para contar. A espectadora ao assistir o filme com uma amiga, notou o sumiço de sua bolsa após a sessão. De acordo com o relato de testemunhas, durante a exibição, dois adolescentes entraram na sala de projeção, um com casaco e outro com boné, tendo chamado a atenção das pessoas, já que fazia muito calor no dia. Os dois se sentaram logo atrás das duas e saíram da sala antes do fim do filme.

A moça imediatamente procurou o gerente da rede para identificar os responsáveis pelo furto e, além disso, registrou um Boletim de Ocorrência na delegacia da região. Felizmente, depois de mover uma ação contra a rede de cinema, a mulher recebeu em forma de indenização o valor dos bens que estavam na bolsa. O enredo parece mesmo um drama, digno de um roteiro, mas se trata da vida real.



Dor de cabeça

De acordo com o entendimento da Turma Recursal (órgão composto por três juízes que julgam o processamento das contestações feitas contra as decisões dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais da cidade), a pessoa que vai ao cinema, em um shopping center, tem o direito de imaginar que ali está em segurança. Por isso, cabe ser ressarcida quando tem algum objeto furtado, principalmente quando a prestadora do serviço descuida da obrigação de zelar pela segurança do local, mas na prática não é bem assim que acontece. As assessorias de imprensa de duas grandes redes de cinema do país, Cinemark e PlayArte, afirmam que a segurança não é responsabilidade única e exclusiva do grupo e, depende também dos funcionários do estabelecimento, no caso: os shoppings.

Já a área de segurança do Shopping Iguatemi, um dos mais movimentados de São Paulo, informa que toda e qualquer responsabilidade sobre algum incidente ou furto dentro de uma sala de cinema é única da rede exibidora. Já que, assim como outros espaços do estabalecimento, o cinema é considerado também uma loja, portanto não cabe a eles zelarem pela segurança de quem está dentro da sala.

Fique de olho

A Haganá, empresa responsável pela segurança de cinemas da rede PlayArte, disponibiliza seguranças, todos com o mesmo tipo de treinamento. Se caso for necessário algum tipo de monitoramento extra em alguma parte do cinema, o gerente operacional da PlayArte é quem irá oferecer o treinamento necessário para tal função, depois de analisar itens como movimentação, tamanho do espaço, etc.

A assessoria de imprensa da PlayArte prefere não divulgar quais os procedimentos de segurança adotados nos cinemas da rede, pois são informações estratégicas. Afirmam também que possuem monitoramento constante, além do suporte da segurança dos shoppings em que o cinema está localizado, da mesma maneira que qualquer lojista. Ainda segundo informações da rede, não há registro de nenhum caso de assalto, apenas furto por esquecimento de pertences. Quando algum funcionário encontra um objeto, toma como providência guardá-lo, mas a PlayArte não se responsabiliza por objetos esquecidos.



Já a rede Cinemark afirma em nota as normas que devem ser seguidas em casos como o citado em 2003:

"A empresa contratada pelo shopping center para realizar a segurança interna no espaço é também responsável pela segurança dos frequentadores dos cinemas da Rede Cinemark. Caso haja algum problema desta natureza no complexo, o cliente deve procurar nossos funcionários, que estão aptos a prestar o auxílio necessário e irão acompanhá-lo até o departamento de segurança. S efor o caso, nossa equipe também pode acionar os seguranças que prontamente se dirigem ao local".

E ainda garante que para contribuir com a segurança, os chamados lanterninhas fazem uma checagem do ambiente, desde a exibição do filme até outras irregularidades e casos pontuais.

Confira as dicas para não cair nessa cilada
- Jamais deixe bolsas, mochilas e carteiras longe de sua visão, já que o ambiente é pouco iluminado;

- Fique atento a movimentação ao seu redor;

- Em caso de sumiço de algum objeto, informe imediatamente um funcionário do cinema;

- Preste atenção às regras de segurança dadas antes do início do filme;

- Evite levar objetos de valor para dentro da sessão.



Atualizado em 9 Set 2011.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Estreias da semana: Mãe!, Esta é a Sua Morte e mais 6 filmes

Suspense de Darren Aronofsky com Jennifer Lawrence promete dividir opiniões

“Ensaio Sobre a Cegueira” tem sessão gratuita com debate no MIS

Filme será acompanhado por bate-papo com historiadora

Final da Copa do Brasil será exibida nos cinemas

Rede Cinemark transmite o jogo ao vivo no dia 27 de setembro

"Tomb Raider" com Alicia Vikander no papel de Lara Croft ganha primeiro trailer; assista!

Novo filme da franquia tem estreia prevista para março de 2018

13 objetos de decoração que vão deixar sua casa mais cinéfila

De quadro interativo a almofada para pipoca, confira os itens que não podem faltar no seu cafofo

Entrevista: Dylan O’Brien fala sobre seu primeiro papel nos cinemas após acidente em 2016

“O Assassino: O Primeiro Alvo” chega aos cinemas nesta quinta, 21 de setembro