Guia da Semana

Guia da Semana

Na Antártida, em todo mês de março, centenas de pingüins fazem uma jornada de milhares de milhas de distância pelo continente, enfrentando predadores, baixas temperaturas, fortes ventos e águas profundas. Tudo para realizar o ritual de acasalamento e perpetuar a espécie. A Marcha dos Pingüins é o instinto natural da vida.

Enfileirados, machos e fêmeas deixam seu habitat, mas antes de procriarem, as fêmeas brigam entre si para escolher seus machos. Como uma inversão do papel homem e mulher na nossa sociedade, a fêmea deixa o ovo para ser chocado pelo macho e retorna para o mar em busca de alimento. Simultaneamente, começa uma contagem regressiva, ela precisa retornar em no máximo 48 horas para alimentar a família, caso contrário, eles não sobrevivem.

Após o reencontro, que nem todos conseguem realizar, são os machos que partem em direção às águas do Oceano Antártico. Enquanto isso, as mães preparam os filhos para a vida adulta, até que possam se arriscar sozinhos no mar. Assim, o ciclo se fecha até chegada do próximo outono, em que tudo recomeça.

O filme é narrado em primeira pessoa por um homem e uma mulher que interpretam a saga de um casal de pingüins para procriar e sobreviver. O documentário, dublado por Morgan Freeman, Charles Berling e Jules Sitruk, é a segunda maior bilheteria do gênero nos Estados Unidos, perdendo somente para Fahrenheit 11 de Setembro. No Brasil, há uma versão narrada por Patricia Pillar, Antonio Fagundes e Matheus Perissé.

O cineasta premiado, documentarista, operador de câmera, diretor de fotografia e também biólogo, Luc Jacquet é conhecido por seu trabalho em documentários sobre natureza e vida selvagem. Neste filme, o seu primeiro longa-metragem, ele filmou durante 14 meses na Antártida. O seu encanto por pingüins foi despertado quando se candidatou para trabalhar como cinegrafista em uma expedição nas terras gélidas do norte, em 1992. O longa faturou o Oscar 2006 de Melhor Documentário.

A Marcha dos Pingüins

Diretor: Luc Jacquet

País de origem: EUA/FRA

Ano de produção: 2005

Classificação: Livre