Guia da Semana
Cinema
Por Redação Guia da Semana

Fahrenheit 11 de Setembro

No filme, o polêmico Michael Moore mostra o que aconteceu aos Estados Unidos depois do terrorismo de 11 de Setembro e como a administração Bush manipulou o evento para tirar proveito..

Fahrenheit 11 de Setembro

Diretor: Michael Moore

País de origem: EUA

Ano de produção: 2004

Classificação: 14 anos

A apuração de votos das eleições de 2000 para a presidência da república nos Estados Unidos são as primeiras imagens de Fahrenheit 11 de Setembro. Com uma narração sarcástica do diretor Michael Moore, as cenas sugerem que a administração do presidente seria uma fraude, afinal Bush teria vencido o pleito com uma "mãozinha" do Estado da Flórida, governado por seu irmão Jeb. E depois que George W. Bush assumiu o poder, é acusado de estar constantemente em férias. Isso é só o começo da devassa que o cineasta fez a respeito do presidente e sua gestão, que tem como ponto alto os ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

Michael Moore dá tiros para todos os lados para acusar e ridicularizar Bush. Imagens do presidente abobalhado e estático, que visitava uma escola infantil no dia em que aconteceram os ataques terroristas, indicam que ele não sabia o que fazer no momento em que sua nação sofria uma séria ofensiva. Depois, é acusado de tirar familiares de Bin Laden dos Estados Unidos em vôos fretados e sem interrogar ninguém. De volta ao passado do presidente, Moore tenta provar que as relações de Bush pai e filho com a família real saudita são antigas e vêm desde a década de 70. Em tempos atuais, o diretor tenta evidenciar que os cidadãos americanos são mantidos em constante estado de medo.

Do Iraque, em meio a uma guerra que Moore (e não só ele) insiste ser desnecessária, ele traz imagens de jovens servindo o exército por uma causa que não escolheram e não necessariamente acham justa. Mostra cenas de familiares que tiveram parentes mortos na guerra e soldados feridos e com corpos mutilados que não recebem suporte financeiro suficiente do governo norte-americano. Isso tudo recheado por um punhado de registros indigestos, entrevistas, dados estatísticos e com o ácido humor do cineasta.

Em mais de duas horas de filme, Michael Moore - vencedor do Oscar 2003 de melhor documentário por Tiros em Columbine - quer que seu longa cumpra a missão de evitar a reeleição de George W. Bush à presidência norte-americana. Para isso, faz tudo para revelar fatos que evidenciem a incompetência do governante. Fahrenheit 11 de Setembro já é o documentário mais lucrativo da história (até agora rendeu mais de US$ 100 milhões em bilheteria) e faturou a Palma de Ouro no Festival de Cannes deste ano.

Notícias recomendadas

10 festivais de cinema para ver online em 2020

Cinema

5 motivos para conferir a 9ª edição da Mostra Ecofalante de Cinema

Cinema

Pipoca com sabor inspirado nas sobremesas do Outback entra no cardápio do Drive Park por tempo limitado; saiba tudo!

Cinema

"Cine África Em Casa" exibe filmes africanos com bate-papo virtual; saiba mais!

Cinema

10 cinemas drive-in em São Paulo para conhecer e curtir um momento de lazer

Cinema

Arena Estaiada Drive-In inaugura em São Paulo nesta sexta-feira (12); saiba mais sobre ingressos e sessões

Cinema
Guia da Semana Premium
Nosso conteúdo na melhor forma!

Aproveite o Guia da Semana de forma mais rápida, sem banners ou publicidade digital!