Guia da Semana
Comportamento
Por Rodrigo Guarizo

Os piores mascotes criados pelas marcas brasileiras

Criações bizarras que fizeram suas marcas virarem piadas.

Dollynho é hors concours entre os mascots escrotos (Reprodução)

Para vender mais e conquistar o coração das crianças, pequenas e grandes empresas apostam em mascotes fofos e divertidos. Isso até que dá certo, visto que os mamíferos da Parmalat estão em nossos álbuns até hoje. Mas e quando o tiro sai pela culatra e os mascotes espantam meio mundo com suas aparências medonhas? E quando viram piadas?

+ Grandes fantoches da TV brasileira
+
Os melhores programas de namoro da TV brasileira
+ Coisas absurdas que o Silvio Santos fez em seus programas de auditório


Nós do ObaOba estamos bem ligados neste assunto, pois morremos de medo/vergonha de alguns deles. Confira abaixo os mais tensos:

Barriguinha Mole

O “pai” do Barriguinha Mole não está feliz com todo o assédio criado por conta da qualidade do trabalho. Mas também pudera, o trampo foi muito mal feito, e, ao invés de cativar, faz com que a gente nunca chegue perto do Leite Acrêlandia.

Vetorzinho

Não sabemos exatamente quem fez tamanha aberração totalmente em 3D, mas o Vetorzinho existe e foi feito para ganhar o prêmio Caboré 2012. Não sabemos mesmo se odiamos ou gostamos dele, mas o nosso coração bate mais forte quando ele e seu amigo Lobinho desfilam em um low rider.

Ótica Seiko

Embora a sua aura hipster diga que usar óculos é legal, todos sabemos que o lance não é tão da hora assim. Principalmente se você comprar seus óculos na ótica Seiko. Não, nada contra a loja, nem seus funcionários, mas vai que você tromba o mascote oficial da marca. Pode isso, Arnaldo?

Escrotinho

A campanha era contra o câncer de próstata, mas o lance foi tão bizarro que parece que a campanha era contra o bom senso. O lance mesmo é que não sabemos se o pior é o formato de saco que o bichinho tem, ou a sua carinha de safado.

Chaminha

Talvez, mas só talvez mesmo, seja muito mal gosto colocar um foguinho com cara de mau para alertar crianças queimadas sobre os perigos de se brincar com fogo. Este mascote poderia ser batizado de Trauminha.

Crackinho

Desse a gente gosta, e gosta muito. Não que a gente goste de crack, mas o mascote oficial da droga que devasta a sociedade é muito fofo. Ele foi visto pela primeira vez nos créditos do clipe “Preda”, do Mukeka di Rato e está na nossa vida até hoje. Vida longa ao Crackinho.

Dollynho

Você deve ter sentido falta do Dollynho, mas devemos dizer que ele é hors concours, quer dizer, não dá pra comeptir com uma obra dessas.


Por Rodrigo Guarizo

Atualizado em 20 Mai 2014.

Mais notícias

Lego lança coleção com flores e bonsais para os apaixonados por plantas

Comportamento

Amazon lança versão da Alexa que fala português – e o Guia da Semana está lá!

Comportamento

8 coisas que você pode fazer em casa quando acaba a energia

Comportamento

Do 'pudol' ao 'bigou': site promove adoção de vira-latas por meio de buscas erradas no Google

Comportamento

8 coisas que você pode fazer em casa para matar o tédio em dias chuvosos

Comportamento

App lança mapa interativo que mostra blocos e festas de Carnaval próximos ao usuário

Comportamento