Guia da Semana
Esportes
Por Leonardo Filomeno, Marcus Oliveira e Paulo Marcondes

Copa do Mundo 2014 Brasil

Reformas e construções estão a todo vapor. Conheça os doze estádios selecionados.

A Arena Corinthians receberá a cerimônia oficial de abertura do Mundial 2014 e a estreia brasileira, que acontecem no dia 12 de junho (Divulgação)

O país esperou longos 64 anos para ter a oportunidade novamente. De 1950 para cá, curamos o Maracanazzo, levantamos cinco canecos e nos tornamos o país do futebol. Agora, em 2014, a Copa do Mundo volta ao Brasil e pessoas do mundo inteiro vão movimentar a nossa casa, para torcer e acompanhar o maior evento esportivo do planeta.

Mas não só dentro das quatro linhas que o Brasil promete suar a camisa. Como país-sede, a organização precisa ser impecável e os investimentos, público e privados, justificados. A FIFA (Federação Internacional de Futebol) selecionou um número recorde de cidades para receber os jogos: 12, e acompanha de perto a evolução da construção e remodelagem dos estádios.

Confira os estádios brasileiros selecionados para a Copa 2014!

ARENA AMAZÔNIA (MANAUS)

Construída do zero no local onde funcionava o antigo Vivaldão, a Arena Amazônia está situada numa região estratégica da cidade, entre o aeroporto e o centro histórico de Manaus. Com capacidade para 45 mil pessoas - uma das menores dentre os 12 estádios da Copa -, a Arena receberá quatro jogos da primeira fase do Mundial 2014. Na briga por representar a região norte dentre as cidades-sedes, pesou a Floresta Amazônica e Manaus derrotou a candidatura de Belém do Pará. A Arena Amazônica será um estádio sustentável, com sistema de reaproveitamento de água, estação de tratamento de esgoto e ventilação natural para consumo de energia. Ao todo, serão 400 vagas para estacionamento subterrâneo. Passada a competição, o estádio deverá ser usado por quatro clubes manauenses: Nacional, Fast Clube, Rio Negro e São Raimundo.

ARENA DAS DUNAS (NATAL)

Dizem que Natal fica na “esquina” da América do Sul, num dos pontos mais próximos da Europa e África. E para não ficar de fora da Copa do Mundo 2014, a capital do Rio Grande do Norte contará com a moderna Arena das Dunas, que vai receber quatro jogos da primeira fase da competição. O estádio substitui o antigo Machadão e tem capacidade para 42 mil pessoas - 31 mil após a Copa - além de 2.600 vagas de estacionamento. A Arena já é considerada a mais sustentável dentre as 12 casas do Mundial 2014, e ganhou o 6º Prêmio de Arquitetura Corporativa. O custo de 424 milhões de reais foi bancado por uma Parceria Público Privada entre o governo do Rio Grande do Norte e a OAS Engenharia.

ARENA PANTANAL (CUIABÁ)

Com capacidade para 43 mil pessoas, a Arena Pantanal vai abrigar os quatro jogos da Copa que passam por Cuiabá - os quatro pela primeira fase. Ali funcionava o “Verdão”, como era conhecido o estádio José Fragelli, que deu lugar a nova Arena construída do zero. O antigo fosse que separava campo e torcida no Verdão desapareceu. Em seu lugar, assentos cobertos e confortáveis, camarotes e vasta sala de imprensa. O estacionamento tem previsão de receber 15 mil vagas - um recorde entre os estádios da Copa. A capital do Mato Grosso venceu uma disputa particular com Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, para representar a região do Pantanal dentre as cidades-sede. Após o Mundial 2014, o lugar também receberá partidas do torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de 2016 do Rio de Janeiro.



Arena Corinthians (São Paulo)

Além de cinco partidas durante a competição, a Arena Corinthians receberá a cerimônia oficial de abertura do Mundial 2014 e a estreia brasileira, que acontecem no dia 12 de junho. O estádio, capaz de suportar até 48 mil pessoas, terá sua capacidade aumentada para 68 mil espectadores por meio de arquibancadas provisórias, instaladas especialmente para a Copa. O nome “Arena Corinthians” também não é definitivo, sendo que os naming rights ainda serão vendidos para uma empresa estampar sua marca no nome oficial da Arena.


O local fica logo ao lado da estação Corinthians-Itaquera do metrô, na zona leste paulistana, e conta com mais de duas mil vagas de estacionamento (a maioria, cobertas). Com quatro prédios cerceando o gramado, o estilo de construção lembra os estádios europeus mais tradicionais, especialmente os ingleses. Todos os assentos serão cobertos.

Avenida Miguel Inácio Curi, 1111 Leia mais

Gigante da Beira-Rio

O Gigante da Beira-Rio começou sua história na água. Em 1956, o governo gaúcho doou um terreno ao Internacional para a construção de seu estádio, com um detalhe: o terreno ficava praticamente dentro do rio Guaíba, que precisou ter parte de suas águas aterradas. A história inusitada ganha traços de sentimentalismo quando lembrada a ajuda que os torcedores colorados deram para a compra de materiais, como tijolos. Hoje o estádio está totalmente remodelado e reformado para receber cinco partidas da Copa do Mundo 2014 - quatro delas pela fase de grupos, uma pelas oitavas-de-final.


O “novo” estádio promete ter todos os seus 51.300 lugares cobertos, com novas cabines para a imprensa e até uma cobertura metálica inspirada na Allianz Arena (em Munique). Todo o entorno, que traz a bela vista do Guaíba - especialmente no pôr do sol - será revitalizado, incluindo a reforma do ginásio Gigantinho, a construção de um hotel para os jogadores e um edifício-garagem com mais de três mil vagas disponíveis aos torcedores.

Avenida Padre Cacique, 891 - (51) 3233-2599 Leia mais

Mineirão

O estádio Governador Magalhães Pinto já comportou mais de 100 mil pessoas num passado distante, quando normas de segurança e conforto passavam longe de ser prioridade dos organizadores do evento. Atualmente, segurança e conforto vêm antes do espetáculo que se passa no gramado. Por isso a capacidade do “novo” Mineirão gira em torno de 64 mil pessoas, com 2.500 vagas de estacionamento. O gramado do Mineirão receberá quatro jogos válidos pela fase de grupos da Copa do Mundo 2014, um pelas quartas-de-final e, ainda, uma semifinal.


Fechado para reforma em 2010, o Mineirão reabriu com o campo rebaixado em 3,4 metros - para melhorar a visão de seus torcedores -, 80 camarotes, nova e moderna tribuna de imprensa, museu do futebol, cobertura com captação de energia solar sobre os assentos e uma passarela para facilitar a locomoção entre estádio e o Mineirinho, ginásio ao lado do palco da Copa.

Avenida Antônio Abrahão Caram, 1001 - 3499-1100 Leia mais

Arena da Baixada

Sob o nome oficial de Estádio Joaquim Américo - antigo presidente do Internacional, clube que viria dar origem ao Atlético Paranaense -, a Arena da Baixada receberá os quatro jogos do Mundial 2014 que irão passar por Curitiba. A Arena passou por um longo e conturbado período de modernização, tendo por muito tempo apenas metade de seu projeto concluído. O imbróglio com a reforma aconteceu por conta da dificuldade em adquirir os terrenos em torno do estádio, uma escola e prédios particulares ali situados.


Em 2009, dez anos após a reforma que transformou o estádio no mais moderno do continente até então, as obras na Baixada foram retomadas. A capacidade atual da Arena da Baixada passou de 28 para 43 mil lugares, todos cobertos. O gramado também contará com uma cobertura retrátil, protegendo grama e jogadores dos dias de chuva. Os custos foram pagos em conjunto pelo Atlético (proprietário), governo municipal e governo estadual do Paraná.

Rua Buenos Aires, 1270 - (41) 2105-5600 Leia mais

Arena Pernambuco

Localizada na zona metropolitana de Recife, em São Lourenço da Mata, a Arena Pernambuco é um dos estádios da Copa 2014 construídos do zero. Seu financiamento aconteceu através de Parceria Público Privada, envolvendo governo e a iniciativa privada. Logo após a sua conclusão, em 2013, a Itaipava comprou os direitos relativos ao nome do estádio, que passou a se chamar Itaipava Arena Pernambuco.


A área próxima ao estádio já está sendo preparada para receber a chamada “cidade da Copa”, com a construção de moradias e modernos escritórios. O acesso do local à capital pernambucana se dá por meio de novos corredores de ônibus, integração da estação Cosme e Damião do metrô e duplicações nas estradas próximas.

São Lourenço da Mata, s/nº Leia mais

Arena Fonte Nova

Oficialmente sob o nome de Complexo Esportivo Cultural Octávio Mangabeira, passou a se chamar Itaipava Arena Fonte Nova depois da venda dos naming rights. Fato é que a Fonte Nova é o estádio mais tradicional da Bahia, quiçá do nordeste. Por lá vão passar quatro jogos da primeira fase do Mundial 2014, além de um válido pelas oitavas-de-final e outro pelas quartas. A Arena toma o lugar da antiga Fonte Nova, implodida em 2010 depois de passar por um grave desabamento no qual sete pessoas faleceram e 300 ficaram feridas.

Atualmente, a Arena Fonte Nova tem capacidade para 48 mil pessoas em três níveis de arquibancada com assentos cobertos, sem contar camarotes e até restaurante panorâmico com vista para o Dique do Toró, vista que se mantém desde o projeto da antiga Fonte Nova. No estacionamento, cerca de duas mil vagas para os torcedores. Todo o processo de construção e reforma teve a consultoria da Amsterdã Arena, da Holanda, que serviu de modelo para o estádio.

Ladeira das Fontes das Pedras, s/nº Leia mais

Mané Garrincha

Sede brasiliense na Copa do Mundo 2014, o Mané Garrincha receberá o maior número de partidas na competição ao lado do Maracanã: serão quatro jogos pela primeira fase, um pelas oitavas e outro pelas quartas-de-final, além da disputa de 3º lugar em Brasília. No dia 23 de junho, o Mané recebe o último jogo da seleção brasileira na fase de grupos.


O Mané Garrincha foi erguido no início da década de 1970, inaugurado em 1974 ainda sem 100% das obras prontas. Em 2009 o estádio foi fechado para passar por uma modernização, concluída em 2013, a tempo de receber a Copa das Confederações e a estreia do Brasil no torneio. Se antes das reformas a sua capacidade era para 45 mil espectadores, o “novo” Mané Garrincha tornou-se o segundo maior estádio do país, capaz de abrigar até 72 mil pessoas.

Eixo Monumental, s/nº Leia mais

Maracanã

Construído especialmente para abrigar a Copa de 1950, o Maracanã recebeu o quadrangular final daquele Mundial com andaimes espalhados pelas arquibancadas, o que não impediu os quase 200 mil torcedores de protagonizarem, mudos e perplexos, o “Maracanazzo”. Passados 64 anos, o estádio ali é praticamente outro, é o “Novo Maracanã” - com uma cara um tanto diferente da original. Outrora maior do mundo, agora a capacidade é para 73.500 pessoas, que em 2014 vão acompanhar quatro jogos da primeira fase, um das oitavas e um das quartas-de-final, além da grande final no dia 13 de julho.


Com as reformas, o Maracanã conta com modernos assentos e novas rampas de acesso, arquibancada que prioriza uma melhor visibilidade ao torcedor e uma cobertura sustentável, capaz de captar água da chuva para reutilização.

Rua Prof. Eurico Rabelo, s/ nº - (21) 2568-9962 Leia mais


Por Leonardo Filomeno, Marcus Oliveira e Paulo Marcondes

Atualizado em 20 Jan 2014.

Mais notícias

Confira as datas e horários dos jogos do Brasil na Copa do Mundo Feminina 2019

Esportes

Confira as datas e horários dos jogos do Brasil na Copa América 2019

Esportes

Datas e horários dos jogos do Brasil na Copa do Mundo de 2018

Esportes

Datas e horários dos jogos da Copa do Mundo de 2018

Esportes

Ingressos para os Jogos Paralímpicos 2016 começam a desencalhar; veja como comprar o seu

Esportes

13 curiosidades sobre as Paralimpíadas 2016

Esportes