Guia da Semana

Guia da Semana

Back 4 Blood é o novo jogo distribuído pela WB Games e desenvolvido pela Turtle Rock Studios, que chegou nesta terça, 12, para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X|S e PC, via Steam, com a promessa de ser um novo Left 4 Dead, por trazer consigo vários desenvolvedores do primeiro jogo.

Aqui no Pizza Fria, meu colega Leandro fez um preview do game, falando um pouco sobre as primeiras impressões e quais eram as expectativas para o lançamento da versão final. Como todo bom jogo de tiro e sobrevivência, ambientado em um mundo repleto de zombies, Back 4 Blood trouxe em seus trailers e anúncios a premissa de ser um jogo empolgante e de não deixar ninguém parado.

A WB Games disponibilizou para nós o acesso antecipado para que pudéssemos falar o que achamos dessa versão final e trazer aqui para vocês nossas impressões. Dito isso, faça aquele polichinelo, tome um estimulante, e vamos para mais um review de tirar o folego que você só encontrar aqui no Pizza Fria.

Left 4 Dead ou Back 4 Blood?

Seria impossível começar essa review sem fazer as devidas apresentações das semelhanças e as principais diferenças entre os dois jogos, mas antes de começar já adianto que são jogos diferentes que usam conceitos semelhantes pra poder surpreender o jogador e cada um usa isso de uma forma diferente. Como todo bom game de “Horror and Shooter” o foco de ambos é sair de um ponto a outro de uma fase e cumprir o objetivo proposto, mas cada um dos dois tem uma forma de fazer essa trajetória.

Enquanto o L4D temos uma jogabilidade mais corrida, onde rushar na maioria das vezes é o melhor caminho, em Back 4 Blood os jogadores são obrigados a fazer tudo bem em conjunto, pois separar em grupos menores pode gerar um maior gasto de recursos, pensando em uma melhor tática dependendo da proposta do Ato (será explicado melhor como funciona essa progressão).

No que se refere a variedade de monstros e variedade de armas, os jogos conseguem ser bem coesos e cada um deles trazem consigo suas características especificas, porém da pra ver uma clara inspiração de Back 4 Blood em relação ao seu “antecessor”. A parte de acessórios para as armas é onde os jogos se diferem e essa mudança trouxe uma variedade bem grande de possibilidades, pois de acordo com o grupo e com o tipo de fase, tipos de acessórios podem se tornar úteis que outros.

Back 4 Blood
Imagem: Reprodução

Aproveitando o gancho, vamos falar um pouco dessa questão de acessórios. Com clara inspiração nos novos jogos de tiros, como Apex Legends, toda as armas possuem espaços para melhoramento, sendo que algumas podem possuir mais espaços que outras. Essas partes são separadas em: Ponteira, Carregador, Mira e Punho. Cada um desses espaços possuem também a raridade de cada um, onde quanto mais raro, melhor o beneficio que ele dá ao jogador.

Uma das coisas que foi possível ver de diferença logo na versão beta é que dentro dos Atos da campanha do Back 4 Blood, que além das missões, existem Chefes que é preciso derrota-los para continuar a progredir na fase e não são todas elas que possuem um. A dificuldade para se matar o chefe vai depender de 2 fatores, a dificuldade escolhida e também dos pontos fracos, pois cada um deles tem um ponto especifico onde o dano fica maior.

Os itens e os recursos encontrados no jogo podem ser obtidos de algumas formas: através de compras nas lojas existentes em cada inicio, usando a moeda que é possível coletar durante as fases. Podem ser coletadas através loots encontrados de forma aleatória durante a exploração do mapa. Ou ainda, os recursos podem ser encontrados através de caixas fechadas ou locais que só podem ser abertos usando um kit de ferramentas (que podem ser comprados no inicio ou encontrados pela fase).

Back 4 Blood Loot back 4 blood
Imagem: Reprodução

A campanha não é o principal, mas compõem e se faz presente

Claramente, Back 4 Blood não tem o enfoque na história, mas ela ajuda a desenvolver o jogo e dependendo do Ato que o jogador se encontra, os Sentinelas (as personagens principais e selecionáveis) terão de fazer alguma coisa para prosseguir, seja resgatar pessoas, defender algum local ou ainda servir de chamariz para poder distrair os infectados e os civis serem resgatados, mas não se resume somente a isso.

Dentro do mesmo Ato, podem acontecer coisas que podem dificultar, já programadas, como um chefe, ou como algo inesperado, como uma horda sendo atraída por um jogador distraído. Esse sistema de atração de hordas tornam as coisas mais interessantes, pois mesmo sabendo que uma parte precisa ter cuidado para não chamar a atenção dos infectados, as circunstancias acabam fazendo com que o jogador faça isso de forma involuntária. As hordas podem acabar sendo um calo no pé de quem joga, pois os recursos podem acabar não sendo o suficiente, pois nessas hordas a quantidade de infectados que surgem são maiores do que se planeja no inicio da jornada.

Os infectados de Back 4 Blood podem ser classificados como 4 grandes grupos: Os gigantes que são mais resistentes, mas também são mais fácil de acertar. Os menores e mais ágeis, porém também morrem mais facilmente. Os estáticos que normalmente estão grudados em alguma parede ou chão. E finalmente os infectados normais, que em grande números podem acabar dando trabalho quando combinado com algum outro grupo de infectados.

Back 4 Blood
Imagem: Reprodução

O mais que poderia ser menos

É inegável que Back 4 Blood é um jogo acima da média quando levado em consideração os gráficos já existentes. Porém isso não pode ser traduzido em perfeição, já que encontramos diversos problemas relacionados aos gráficos. Em alguns cenários, assim como na versão testado no beta, existe uma névoa que deixa a visibilidade muito baixa, situação está que prejudica o gameplay e novamente a oclusão do ambiente por consequência fica quebrada.

No Xbox Series S, o game apresenta problemas de crash após uma partida ser encerrada e esta situação acontece com frequência e não sabemos se isso é decorrente de processamento pesado, alguma incompatibilidade ou simplesmente algum problema de código. Precisamos também comentar que frequentemente os bots do modo campanha ficam travados e não saem do lugar, seja por ficar agarrado em algo inexistente ou por só não andar.

O sistema de cartas é um dos pontos altos da mecânica existente em Back 4 Blood. Ele trás uma variedade bem grande na gameplay, pois escolher a carta certa e saber escolher elas no inicio de cada fase pode deixar o personagem bem forte e balanceado. Mas a forma de funcionamento delas é um pouco confusa e nem sempre da pra entender como ela irá te trazer benefício ou de como será possível ganhar ela (algumas cartas/benefícios se ganham após terminar a fase).

Back 4 Blood
Imagem: Reprodução

No multiplayer do jogo, ficou aquela sensação de que algo estava de errado. Quando fomos fazer nossa run não conseguimos pessoas para fechar o squad com 4 pessoas e isso acabou virando um problema, pois o jogo normalmente te obriga a completar o jogo com pessoas aleatórias, que dificilmente vão querer manter uma comunicação e tentar bolar planos e estratégias. Como dito anteriormente, Back 4 Blood é um jogo que depende da interação dos jogadores e não é simplesmente rushar para acabar a fase. Liberar o modo “Completar com Bots” faria toda diferença pra duplas e trios.

O crossplay funcionou bem, sem quedas ou lags durante as fases, porém ocasionalmente ocorreram erros na hora de formas os grupos com os amigos. Além disso, após o final de cada partida o grupo se desfaz, o que acaba sendo bem frustrante, pois é necessário sempre formar a equipe novamente. Não existe um “lobby” intermediário, toda vez que se sai de uma run, é preciso refazer o grupo.

Singleplayer ou Multiplayer?

Voltado para o multiplayer, em Back 4 Blood o modo Singleplayer pode gerar alguns desagrados. Os Bots que acompanham o jogador na campanha, podem ser um pouco inconvenientes, já que não irão ajudar nos objetivos, não irão ser eficaz na ajuda e também acabarão fazendo com que o tempo gasto para terminar uma fase seja maior do que se estivesse fazendo sozinho.

Outra limitação do modo single é a questão da pontuação necessária para montar o deck de cartas, pois esse só é possível conseguir através do modo Multiplayer. Essa diferença pode ser visto como um modo de incentivar a cooperação no modo online ou como uma restrição de não poder melhorar o personagem sem ter que jogar Multiplayer.

Back 4 Blood
Imagem: Divulgação

Vale a pena comprar Back 4 Blood?

Back 4 Blood é um bom jogo de tiro ambientado em um mundo onde a civilização está prestes a ser dizimada. Atos bem completos e diversão garantida com hordas dos infectados, grande variedade de armas e acessórios que tornam ainda mais extensa a lista de armas e combinações possíveis. Chefes desafiadores e missões que podem ser interessantes, quando feita em grupo. Alguns problemas que podem ser corrigidas, mas que deverão ser olhadas o quanto antes, pois algumas delas podem desestimular os jogadores.

Vale lembrar que Back 4 Blood está todo localizado no Brasil, tanto na interface quanto na tradução de áudios e textos. O valor do jogo começa em R$ 279,99 na Steam, subindo para R$ 299,99 nos consoles. No entanto, como é um jogo Day One para assinantes Xbox Game Pass, e é um título Play Anywhere, pode ser jogado tanto no PC, quanto nos consoles, por meio de uma assinatura do serviço.

*Review elaborada em um PC equipado com GeForce RTX e em um Xbox Series S, com códigos fornecidos pela WB Games.

Pizza Fria

Reviews, notícias e tudo sobre o mundo dos games

Por Francesco Beghelli, Pizza Fria

Atualizado em 13 Out 2021.