Guia da Semana
Jogos
Por Sérgio Barbosa, Pizza Fria

Dreams | Review

Dreams, o mais novo título da Media Molecule, criadora de Little Big Planet, não se encaixa muito bem com outros.

Dreams, o mais novo título da Media Molecule, criadora de Little Big Planet, não se encaixa muito bem com outros jogos tradicionais. Dentre as dezenas de jogos que jogamos a cada ano, sempre há pelo menos dois ou três que se destacam. Seja isso pela sua história marcante, gráficos de cair o queixo, bem como uma gameplay inovadora. Entretanto, com menos frequência, uma ou duas vezes a cada geração, encontramos algo que vai além.

Talvez algo que mude nossa perspectiva sobre o que pode ser alcançado em um jogo. Ou o quanto um pedaço de software abre portas para uma infinidade de novas idéias. Ou ainda, o quanto uma única obra pode de certa forma sacudir um mercado bilionário, como é hoje a indústria de games. Mesmo que seja difícil de acreditar, para mim, Dreams é tudo isso, e talvez um pouco além.

Apenas definir o que é Dreams por si só já se mostra um desafio para quem o analisa. Alguns o nomearam como “o YouTube de jogos”, o que a princípio não está errado. Todavia, para que o comparativo com a plataforma de vídeos fosse realmente satisfatório, o site deveria fornecer a seus usuários um programa de edição de vídeo, uma câmera, instrumentos musicais, dentre outras ferramentas.

Tentando colocar de maneira objetiva: Dreams é uma ferramenta onde é possível criar jogos, esculturas, artes, música e cenários, e compartilhar suas criações com o mundo todo. Assim, todas as criações publicadas online podem ser experimentadas por qualquer usuário. Dessa forma, cada vez que você inicia o jogo, há uma infinidade de novo conteúdo a ser explorado. Vou tentar explicar como funciona cada aspecto desse universo de criatividade sem fim nessa review!

dreams
Imagem: Divulgação

Sonhonavegar

Este é talvez o modo do jogo que mais se aproxima de uma “rede social” ou de uma plataforma de vídeos. Aqui o “sonhonauta” pode navegar por todas as criações do “sonhoverso”, divididas em três categorias principais:

  • Jogo, no sentido mais “tradicional” da palavra;
  • Audiovisual, contendo aqui tanto animações e curta-metragens, como composições musicais e romances visuais, se assemelhando a histórias em quadrinhos ou livros de ilustrações;
  • Exposição, os quais se parecem com verdadeiras obras de arte em movimento.

No menu, você encontra criações em coletâneas mais tradicionais como “mais curtidos”, ou “melhores da semana”, ou você pode abrir a caixa de busca e pesquisar simplesmente qualquer coisa que lhe vier à cabeça. Por exemplo, pesquisando por “aranha”, vi desde jogos com o famoso super herói da Marvel, até um jogo de tiro em terceira pessoa com uma aranha gigante como chefão, assim como belíssimas artes como essa a seguir.

Dreams
Imagem: Reprodução

Inegavelmente, não se pode esperar encontrar dentro da plataforma jogos comparáveis com AAAs, os quais tem orçamentos milionários, equipes de centenas de pessoas e anos de desenvolvimento. Afinal de contas, estamos falando de uma “engine” lançada a poucos meses, e criações sendo feitas em maior parte por apenas uma pessoa. Entretanto, nunca subestime o poder da ferramenta, e a criatividade de seus criadores. A imagem abaixo foi tirada de um sucessor espiritual de WipEout (chamado espertamente de SlidEout – vídeo), e seus visuais realistas e sombrios facilmente se equiparam ao recente remaster da franquia.

Por fim, a plataforma conta também com uma própria “rede social”, chamada inDreams. Ela pode ser acessada por qualquer computador ou celular, e por ela você pode seguir criadores, guardar criações para experimentar mais tarde, criar coleções, e muito mais.

SlidEout - Dreams
SlidEout, em Dreams (Imagem: Reprodução)

Sonhocriar

Mas é aqui está a grande joia de Dreams, sua ferramenta de design. Aqui é onde o usuário pode deixar de ser apenas um jogador, e tomar as rédeas da criação. Sei que é um clichê, mas se encaixa muito bem aqui: o limite é a criatividade de quem a utiliza. A facilidade de se criar visuais impressionantes é tão poderosa, que já vi artistas profissionais abandonando softwares de PC em favor de criar dentro do jogo.

Imagem: Divulgação

O que a Media Molecule alcançou com essa ferramenta é realmente admirável. Em um único programa, temos:

  • Ferramenta de escultura, para fazer a modelagem 3D de qualquer elemento: cenário, personagens, objetos;
  • Pintura, não apenas para colorir esculturas, mas para criar efeitos, como água, fumaça e fogo, ou até para dar um visual artístico ao ambiente;
  • Criação de música e efeitos sonoros, completos com instrumentos e possibilidade de gravar diretamente por um microfone conectado ao console;
  • Lógica, onde é possível fazer a “programação” de um jogo. Através dela, é possível fazer criações de praticamente qualquer gênero: aventura, plataforma, luta, corrida ou até tiro em primeira pessoa;
  • Animação, o qual dá o movimento para cada elemento, desde os socos de um lutador até o movimento do gatilho de uma arma ao disparar.

Criar nunca foi tão fácil

Cada uma dessas ferramentas se equivale a um software de mercado para criação, porém com uma interface extremamente amigável. Ao invés de gastar centenas de horas para aprender a utilizar cada “programa”, em poucas horas já é possível começar a criar algo. O que mais me admira, sobretudo, é como todas essas ferramentas estão muito bem interligadas.

Não só pela facilidade de saltar de um modo a outro em uma fração de segundos com um comando simples, como também como cada modo tem uma forma de funcionar extremamente semelhante, assim como em alguns casos está totalmente interconectado. Por exemplo: ao criar uma “linha do tempo” para fazer uma animação de corrida de um personagem, o usuário pode adicionar na mesma interface os sons de cada passo da corrida, assim como acrescentar blocos de lógica para emitir efeitos como poeira nos pés do personagem.

Essa imagem extreamemnte realista foi criada durante o acesso antecipado de Dreams (Imagem: Reprodução)

Finalmente, a cereja do bolo da criação de Dreams está em seu próprio “sonhoverso”. Cada elemento já publicado pode ser utilizado em suas criações. Quer fazer um jogo medieval? Basta uma pesquisa que você pode encontrar armaduras de cavaleiros, armas ou até cenários completos com castelos e torres. Precisa de uma música para uma sequência de ação, ou talvez um som de uma explosão? Tudo isso está a uma busca de distância.

Vale a pena comprar Dreams?

Dreams é uma experiência única, tanto utilizado apenas como “experimentador”, tanto como criador. Para quem quer apenas “navegar”, O game oferece um vasto universo das mais diversas idéias e criações. No entanto, para aqueles que sempre sonharam em fazer jogos ou experiências com suas próprias mãos, Dreams abre portas para que deem os primeiros passos nesse grande oceano de criatividade.

*Review elaborada no PlayStation 4 padrão, com código fornecido pela Sony.

Pizza Fria

Reviews, notícias e tudo sobre o mundo dos games

Por Sérgio Barbosa, Pizza Fria

Atualizado em 10 Abr 2020.

Mais notícias

Lineup do Games with Gold de junho é revelada

Jogos

Nova edição do PlayStation 4 Tournaments é anunciada

Jogos

Captain Tsubasa: Rise of New Champions chega em agosto

Jogos

Quantic Dream revela data para jogos na Steam

Jogos

Por que Call of Duty: Modern Warfare e Warzone são tão grandes?

Jogos

PS Plus de junho terá Call of Duty: WWII

Jogos