Guia da Semana

Guia da Semana

In Sound Mind é um game de terror que tem a proposta de levar o jogador em uma jornada de superação de traumas. Ao decorrer da campanha, o protagonista, que é um psicólogo, terá que lidar com relatos não resolvidos de antigos pacientes e ao mesmo tempo, enfrentar seus demônios internos. Embora a premissa inicial seja simples, a obra se esforça em entregar elementos verdadeiramente assustadores e interessantes.

Entretanto, será que este esforço é o suficiente para termos um título acima da média? Confira agora em mais uma análise do Pizza Fria.

Um protagonista sem memorias em um porão

O game começa com nosso protagonista preso em um porão e sem sabor exatamente como chegou ali. Ao explorarmos um pouco este pequeno cômodo, encontramos uma chave que nos permite avançar pelo local. Dali, somos apresentados a um ambiente com diversas portas, sendo que alguns deles só poderemos acessar em um momento mais avançado do game. Portanto, a primeira impressão que tive é que o título apresentaria um forte leva e traz de itens, fator este que já é característico no gênero terror.

Felizmente, eu estava certo. Pois, grande parte do progresso em In Sound Mind envolve a procura de itens e o uso nos lugares corretos. Ao explorarmos o porão, encontramos um fusível que podemos usar no elevador. Ao fazermos isto, chegamos no primeiro andar e descobrimos que estamos em um apartamento. No momento que o protagonista sai do elevador, um telefone toca misteriosamente….. ao atendermos, uma voz macabra nos diz algumas frases enigmáticas envolvendo traumas e o passado do personagem e então desliga.

Portanto, depois de avançarmos mais um pouco pelo ambiente chegamos no escritório do protagonista. Logo, descobrimos que para sairmos deste misterioso local, teremos que lidar com o trauma de antigos pacientes e ao mesmo tempo enfrentar nossos próprios demônios,

Adentrando o mundo dos traumas

Durante a campanha em In Sound Mind encontraremos fitas de pacientes. No momento que a colocamos pra tocar, uma misteriosa porta aparece. Portanto, ao entrarmos nela, somos transportados para um mundo alternativo, no qual nosso objetivo principal é ajudar aquele paciente a superar o seu trauma. Entretanto, está situação não é simples, pois, a pessoa estará totalmente dominada. E terá assumido a forma de uma entidade.

Logo no começo do game, devemos ajudar uma mulher que não gosta de ser vista e encarar seu próprio reflexo. Assim sendo, o protagonista adentra um supermercado, no qual teremos diversos espelhos espalhados pelo local. Para ajudarmos esta pessoa, devemos fazer com que ela nos persiga e leva-la em direção dos espelhos, sendo que o objetivo é que a entidade encare seu próprio reflexo até conseguir se auto aceitar, superando assim o seu trauma.

In Sound Mind
O game faz um bom trabalho em apresentar os traumas dos personagens de uma maneira aterrorizante (Imagem: Reprodução)

Para alcançarmos esta meta, teremos que explorar todo o supermercado em busca dos itens necessários, sendo que para isto teremos em nossas mãos uma pistola, lanterna e um pedaço de vidro, que pode ser usado para vermos mensagens ocultas ou até mesmo afastar por tempo limitado a entidade. Entretanto, em In Sound Mind as coisas são mais complexas do que se aparentam inicialmente, pois, nossa movimentação é limitada e a corrida gasta stamina além de que a lanterna possui baterias que se esgotam rapidamente.

Além disso, embora tenhamos uma arma equipada, ela acaba não sendo tão eficaz, o que faz com que seu uso mais frequente seja para a destruição de obstáculos, além de que a munição é escassa. Está situação faz com que o jogador tenha que explorar com atenção cada canto dos cenários em busca dos itens essenciais.

Uma exploração que surpreende

In Sound Mind me surpreendeu ao apresentar o fator exploração de forma frequente no game. Portanto, na maioria dos cenários do título, seremos jogados em um local grande, com diversas portas abertas e fechadas, sendo que o objetivo sempre é olharmos cada ambiente com atenção em busca de pistas e dicas de como progredir. Estas pequenas pistas são dadas por meio de documentos de texto e até mesmo mensagens ocultas que poder ver usando o pedaço de vidro equipado pelo personagem.

Além disso, explorar cada local será essencial para descobrirmos como resolver quebra cabeças, elemento este fortemente presente aqui. Pois, cada puzzle apresentado, envolve que o jogador encontre um determinado item e o encaixe no local da maneira correta. Para exemplificar, no cenário do mercado, teremos um segmento que será necessário encontrarmos algumas bonecas e coloca-las em uma miniatura de casa na ordem correta. Para isso, o player terá que explorar com atenção cada sala do mercado, em busca de pistas sobre os locais das bonecas e então, encontrar uma forma de ir até cada item.

Também é importante dizer que é muito fácil se perder em In Sound Mind. Durante a minha experiência eu me perdia varias vezes nos momentos de exploração. Entretanto, este não é um aspecto ruim, pois o game sabe recompensar os jogadores mais exploradores. Isto acontece tanto por meio de itens como munição para a pistola, baterias pra lanterna ou até mesmo um documento com informações importantes.

Inimigos repetitivos, porém chefes carismáticos e amigáveis (só que nem tanto)

Um dos elementos que mais me surpreendeu em In Sound Mind foram os chefes apresentados no game. Pois, cada um deles possui suas próprias motivações e traumas para lidar. Este fator acaba contribuindo para que o jogador compreenda a situação de cada um, e até mesmo se sinta motivado a ajudar. O que mais se destaca é uma enigmática criatura roxa que usa um chapéu bem legal inclusive. Ele será o vilão que dará mais jumpscares durante a campanha e sempre que aparecer ele irá fazer um comentário sarcástico sobre a ação do protagonista. Por exemplo, se estivermos perdido no progresso de um quebra cabeça, ele irá aparecer e fazer uma piada sobre isso.

In Sound Mind
O antagonista irá usar os elementos do cenário para nos ajudar ou sacanear (Imagem: Reprodução)

Embora ele seja uma criatura relativamente assustadora, ele irá nos ajudar a progredir em alguns momentos da jornada. Claro, o motivo dele sempre é que avancemos para que ele possa nos tapear mais pra frente. Para exemplificar, existe um segmento que ele nos auxilia, até mesmo entregando a chave de portas para nós, entretanto, no momento que entramos em um freezer gigante, ele nos prende lá para a morte certa, cabendo ao jogador encontrar uma forma de escapar.

Já os inimigos comuns presentes em In Sound Mind não possuem uma boa variação. Eles são caracterizados por grandes criaturas sombrias com uma luz brilhante saindo dos seus olhos. Ao nos depararmos com elas, podemos atacar, correr ou passar em furtivo. O game não incentiva e nem recompensa os jogadores que usarem a furtividade, assim sendo, minha recomendação é que simplesmente passem correndo, pois no momento que chegarmos em uma nova sala e fecharmos a porta, os inimigos irão desaparecer.

Uma narrativa mediana, mas que não surpreende

In Sound Mind apresenta uma história mediana, que possui seus altos e baixos durante a campanha. Como dito anteriormente, os personagens e seus traumas são interessantes de se acompanhar, entretanto, a narrativa não se aprofunda em nada além disso. Assim sendo, temos um segmento com determinada entidade e trauma para ajudarmos, um ambiente relativamente grande para explorarmos e cabe ao jogador descobrir a forma de progredir.

Embora a narrativa não demonstre grandes emoções e reviravoltas, podemos documentos de texto que nos ajudam a ter uma visão mais abrangente sobre as pessoas que já habitaram o local que estamos atualmente no game. Não chega a ser algo que torna a história mais rica, mas é um detalhe que ajuda na compreensão.

Cenários interessantes, mas um visual simples demais

In Sound Mind consegue entregar uma boa variação de cenários. Portanto, no game temos diversos locais que são caracterizados com base no trauma da fita que está sendo reproduzida. Assim sendo, temos o grande super mercado citando anteriormente, uma gigantesca floresta, estações de trem e até mesmo um cenário no deserto.

In Sound Mind
O título apresenta um visual simples, porém diversificado (Imagem: Reprodução)

Embora a variação seja boa, a simplificada dos visuais acaba deixando a imersão limitada nestes locais. Portanto, pelos cenários serem bem grandes, temos elementos que poderiam ter sido melhor trabalhados visualmente. Por exemplo, as prateleiras e as salas que adentramos no mercado são basicamente iguais, o que acaba transmitindo o sentimento de falta de progresso.

Um gameplay que cumpre sua proposta

In Sound Mind não apresenta um gameplay complexo. No título podemos andar, correr, atirar, ligar e desligar a lanterna e interagir com itens em portas e quebra cabeças. Embora seja simples, a jogabilidade cumpre o seu proposito de entregar uma experiência satisfatória e com foco na narrativa. Isto porque os elementos mais importantes do game são os diálogos e interações, sendo o elemento de andarmos por ai e interagirmos apenas algo que faz a campanha progredir.

Trilha Sonora

Grande parte da trilha sonora de In Sound Mind é focado na ambientação. Portanto, o foco normalmente é no som das criaturas ao redor, no segmento da floresta, temos sons de águas, árvores mexendo e forte ventania. Entretanto, nos momentos que estamos sendo perseguidos por um chefe, uma música com uma pegada de rock começa a tocar para fazer com que o jogador sinta a adrenalina da perseguição.

Este elemento é bem usado em alguns segmentos da campanha, entretanto, são poucos os momentos que ela está presente. Na minha visão, o ideal seria as músicas estarem mais presentes, principalmente na exploração, pois isto faria uma baita diferença e tornaria a experiência mais satisfatória.

Desempenho

In Sound Mind apresentou um desempenho satisfatório no Xbox Series S. Não tive nenhum problema com queda de quadros e nem mesmo com travamentos. Os tempos de carregamento foram rápidos, entretanto, eu tive dois crashs aleatórios durante a campanha. Por ter sido algo que não ocorreu com frequência, não considero um aspecto negativo.

Vale a pena comprar In Sound Mind?

In Sound Mind é um game de terror que cumpre sua proposta. Ele proporciona uma experiência interessante e com pequenas narrativas intrigantes, entretanto, não vai muito além disso. O gameplay apresentado é simples, porém acaba sendo divertido nos momentos de exploração e perseguição. O antagonista principal também é um grande destaque, sendo que sua presença sempre ilustre inesperada acaba proporcionando ótimos sustos durante a campanha. Além disso, a boa variação de cenários e a ocasional trilha sonora, acabam tornando a experiência satisfatória.

Por fim, In Sound Mind é um título que eu recomendo para os fãs de terror, principalmente aqueles com foco em exploração e resolução de puzzles, entretanto, para os jogadores que esperam uma narrativa profunda e reflexiva, o game pode deixar a desejar.

In Sound Mind foi desenvolvido pela We Create Stuff e lançado no dia 28 de setembro para PlayStation 4,PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series X|S e PC, via Steam e Epic Games Store, com interface e textos em português.

*Review elaborada em um Xbox Series S, com código fornecido pela We Create Stuff.

Pizza Fria

Reviews, notícias e tudo sobre o mundo dos games

Por Leandro Paiva, Pizza Fria

Atualizado em 2 Dez 2021.