Guia da Semana

Guia da Semana

Jogos independentes sempre foram pautados pela inovação e criatividade, enquanto a filosofia de desenvolvedores independentes quase sempre foi de criar aquilo que sempre quiseram jogar ou fazer. E, com isso, diversos títulos incríveis e inovadores surgiram ao longo da história da indústria de games, indo desde jogos que reinventaram gêneros até fórmulas para criar experiências diferentes do normal. E é com essa filosofia que ideias malucas viraram jogos, e é ai que Loot River entra. Um game que mistura roguelikes, Tetris e soulslike para criar uma mistureba interessante no papel, mas será que ela se sustenta ?

Antes de mais nada, Loot River é essencialmente um roguelike de ação e puzzle, desenvolvido pela straka.studio e publicado pela SUPERHOT PRESENTS. O título mistura um combate lento e cadenciado com os enigmas de encaixar peças do clássico Tetris, tudo isso em uma estética muito inspirada em Bloodborne. O jogo instantaneamente chamou a atenção dos jogadores nos vários eventos que ele foi apresentado, justamente por essa bizarra e curiosa amálgama de coisas boas, mas será que ela cumpre a promessa ? Pra descobrir isso vem comigo para mais uma review antecipada do Pizza Fria!

O que é Loot River?

Loot River é um roguelike/roguelite que mistura um combate de ação com um sistema de movimentação de peças que interagem como o clássico Tetris. O jogo tem uma maneira de contar sua história bastante diferente, tratando da mitologia do mundo de maneira bem abstrata e subjetiva, então é bastante difícil de dar uma sinopse para a história. Mas, em resumo, o jogador controla esse caçador de monstros sem nome, que em uma de suas aventuras em uma fortaleza misteriosa acaba morrendo. Entretanto, ao invés de simplesmente morrer, o personagem volta a vida em um misterioso santuário rodeado de pessoas no mínimo suspeitas, e é ai que Loot River começa, e cabe a você entender e desvendar esse mistério.

Deixando um pouco a história de lado, até para não estragar as surpresas da narrativa, vamos focar em como Loot River funciona mecanicamente. O game possuí duas mecânicas diferentes que funcionam quase como dois jogos separados em um mesmo pacote, um deles é de ação e hack’n slash, em que o jogador controla o protagonista atrás de tesouros e melhorias para enfrentar as diversas hordas de inimigos, e outro é a movimentação das peças como se fosse um jogo de puzzle e enigmas para conseguir passar ou até mesmo montar um “tabuleiro” que te dê alguma vantagem no combate.

Loot River
Durante a jornada, você irá encontrar vários espólios para melhorar seu personagem, mas será que vale explorar esse rio ? (Imagem: Reprodução)

Por se tratar de um roguelike, é comum esperarmos o básico do gênero que é a geração procedural dos mapas e da alta rejogabilidade do título. E de fato tudo isso está presente, entretanto Loot River traz algumas alterações nessa fórmula saturada. O jogador perde todos os itens e recursos ao morrer, diferente de alguns títulos do mercado como Hades, porém ainda sim é possível efetuar melhorias permanentes para facilitar o progresso de Loot River.

Essas melhorias são feitas com os recursos encontrados durante a sua partida e devem ser gastos durante a mesma, visto que eventualmente o jogador irá voltar para a zona segura do jogo entre as “fases”, e é nesse momento que as melhorias devem ser feitas. Esse sistema gera uma sensação de risco e recompensa bastante interessante, pois incentiva que você acumule mais pontos para adquirir melhorias mais relevantes, mas sempre correndo o risco de acabar morrendo e perder todos os seus pontos.

Outro ponto que reforça ainda mais essa sensação de risco em Loot River é o sistema de poções. Ao iniciar uma partida, o jogador irá começar com apenas 4 poções de vida e elas, por via de regra, não podem ser restauradas, entretanto o jogador pode “investir” algumas poções antes de começar a jogar de verdade. Ao realizar esse investimento, o jogador abdica de um certo número de poções, em troca de dobrar esse número na próxima vez que passar pelo santuário.

Um exemplo, caso você decida entregar 2 poções e tentar o primeiro mapa somente com as outras duas vidas, quando você retornar, você irá receber 4 poções. E essa é a única maneira de “restaurar” suas vidas, e novamente traz aquele risco e recompensa característico do jogo, pois imagine investir as 4 poções e passar da primeira fase sem usá-las, você irá ter na volta 8 poções, mas será que vale o risco ?

Loot River
A ambientação do jogo e dos cenários é bastante criativa e bonita, relembrando um gótico vitoriano muito parecido com Bloodborne (Imagem: Reprodução)

O Combate

O combate de Loot River é bastante simples e intuitivo, entretanto vale destacar que a proposta do jogo não é trazer um combate frenético e ágil, mas sim algo mais lento e cadenciado. O jogador pode carregar duas armas, atacar com ataques fracos e fortes, desviar e dar o famoso “parry” no momento certo do ataque do inimigo para contra atacá-lo. Para customizar sua aventura, o jogador poderá encontrar diversas armas novas com ataques e propriedades diferentes, e cada uma dessas armas pode ou não vir com uma magia atrelada nela. Essas magias podem ter diferentes efeitos, como invisibilidade, repelir os inimigos na sua volta ou até mesmo disparar um raio.

Entretanto, para adquirir essas armas, o jogador deve primeiro comprá-las no ferreiro do Santuário, para só assim elas poderem ser adquiridas nas suas futuras partidas. E isso funciona também para as magias, armaduras e chapéus do jogo. Falando nas vestimentas do jogador, elas são outro tipo de espólio que pode ser encontrado durante a jornada, as armaduras e chapéus fornecem habilidades e efeitos passivos ao jogador para ajudar (ou atrapalhar) a sua jogatina.

E é através desses itens, armas e habilidades que o jogador pode montar o seu estilo de jogo. Outro fator que permite uma boa customização em Loot River, são os atributos, que são os clássicos: Força, Vitalidade, Destreza, Constituição e Inteligência. Cada um desses atributos influência em alguma parte do combate, ter uma Força alta resulta em armas mais pesadas mais fortes, uma Destreza alta traz uma melhor afinidade com armas mais rápidas, e uma Inteligência alta permite que você use mais magias durante o combate, e assim por diante.

Em resumo o jogo traz uma boa variabilidade de armas e equipamentos, e permite que você adapte bem o seu estilo de jogo com os itens que encontrar no caminho.

Loot River
O Design dos monstros e do cenário de Loot River é absurdamente lindo (Imagem: Reprodução)

Os “Enigmas”

A outra parte de Loot River que mencionei antes era a sua parte de puzzles e quebra cabeças envolvendo peças muito parecidas com o famoso Tetris. Entretanto essas peças funcionam mais como um meio de se movimentar pelo mapa (imagine como balsas) do que realmente para resolver enigmas. E sim essa movimentação dupla envolvendo as peças e o protagonista funciona extremamente bem, e é muito divertido se locomover pelo mata montando estratégias de como derrotar os inimigos, usando o “tabuleiro” a seu favor.

Você pode atrair inimigos até uma peça e separá-los de um grupo maior para facilitar o confronto, você pode simplesmente evitar o combate, pode atacar um inimigo e recuar a peça antes de ser atingido, enfim a criatividade reina nesse sistema. Porém, antes de jogar Loot River, minhas expectativas envolvendo esse sistema era de jogar um jogo de puzzle com combate, e não um jogo de ação com puzzle. Em outras palavras eu esperava momentos envolvendo essa geração procedural do mapa que me levassem a pensar em resolver os quebra cabeças do mapa para poder avançar, e por mais que esses momentos existam, eles são raros e pouco desafiadores.

Loot River
Entre as variações de gameplay há os vários níveis de altura das peças para dificultar ainda mais a movimentação.(Imagem: Reprodução)

Entretanto Loot River compensa essa falta de puzzles com as mecânicas de combate envolvendo essas peças. O jogo varia essa simples movimentação das peças de maneiras bastante criativas e surpreendentes inserindo inimigos que quebram o ritmo do jogador, inimigos essas que podem voar entre as plataformas, podem atacar plataformas ao lado, ou podem até mesmo bloquear o movimento das peças impedindo que o jogador fuja. Outro ponto que agrega muito no combate e na movimentação das peças são as batalhas contra os chefes, pois por mais que seja simplesmente “bater até ele morrer”, você deve desviar dos ataques e moldar o “tabuleiro” para facilitar essa movimentação para desviar dos ataques.

Essas são somente algumas variações que o jogo traz para esse combate envolvendo Tetris, mas o ponto aqui é ressaltar que o foco do jogo é o “Dark Souls” e não o “Tetris”.

Infelizmente nem todas as boas ideias dão certo

Loot River promete uma ideia muito diferente, e ele cumpre ela quase 100% do tempo, entretanto o jogo todo é pautado por problemas técnicos que infelizmente estragam a experiência de jogo. E quando eu digo que estragam a experiência eu não estou exagerando. Durante o meu tempo de jogo, tive que reiniciar diversas partidas pelo simples fato do personagem ficar preso dentro de paredes ou no ar.

Outro problema que me incomodou bastante foi algumas animações do personagem e de alguns inimigos, principalmente a animação de rolamento que é bem esquisita. Outro problema que estraga bastante o combate do jogo é que boa parte dos inimigos mais fortes e chefes possuí algum “ponto cego”, em outras palavras, sempre há uma estratégia ou ponto na arena do chefe que nenhum dos ataques dele te atinge, e quando você descobre esses comportamentos confesso que boa parte do desafio e da experiência vai se embora.

O principal problema que eu presenciei foi de simplesmente ter todo o meu progresso deletado do nada, tive que recomeçar o jogo e desbloquear todos os itens novamente, e talvez não há nenhum problema técnico pior que esse né.

Outro gigantesco problema de Loot River é a sua tradução para PT-BR, que é horrorosa as palavras são traduzidas literalmente o que acaba gerando frases e sentenças que ficam estranhas no português.

Loot River
Um exemplo de um bug que presenciei, meu personagem ficou preso voando fora das peças. (Imagem: Reprodução)

Vale a pena jogar Loot River?

Loot River é um bom jogo, que talvez tenha se vendido mal como um jogo de ação com puzzle, sendo que na verdade ele quase não tem puzzles. Mas a sensação que tive jogando, é de que talvez o jogo se daria melhor entrando em acesso antecipado e fosse consertando esses problemas técnicos ao mesmo tempo que iria adicionando mais conteúdo. Entretanto a minha experiência de jogo foi bastante positiva e me diverti muito tentando entender essa maluca ideia de misturar Tetris com Dark Souls.

Loot River chega nesta terça-feira, 3 de maio, para PC, via Steam, Xbox Series X|S e Xbox One. Assinantes Xbox Game Pass podem jogar sem custo adicional em ambas as plataformas.

*Review elaborada com código fornecido pela straka.studio e SUPERHOT PRESENTS.

Pizza Fria

Reviews, notícias e tudo sobre o mundo dos games

Por Matheus Feldmann, Pizza Fria

Atualizado em 3 Mai 2022.