Guia da Semana
Jogos
Por Rodrigo Arbex, Pizza Fria

Need For Speed Hot Pursuit Remastered | Review

A “marca” Need for Speed (NFS ou simplesmente Need), dispensa apresentações. Dos gamers mais velhos aos mais novos, dos mais.

A “marca” Need for Speed (NFS ou simplesmente Need), dispensa apresentações. Dos gamers mais velhos aos mais novos, dos mais assíduos na jogatina aos mais casuais, alguma versão de Need For Speed deve ter lugar em sua memória. A saga que teve origem no longínquo e marcante ano de 1994, no emblemático 3D0, ganhou também suas versões para Sega Saturn, PlayStation e PC (ainda no DOS!) em 1995. Com este primeiro título, iniciava-se uma série de jogos de corridas que, no decorrer dos seus diversos títulos já agradou “a gregos e troianos” com os mais diferentes conceitos.

Se formos procurar um conceito que define todos os diferentes títulos da saga, que já passaram por gerações e gerações de consoles, poderíamos utilizar “Inovação”. Inovação em trazer realismo (para os padrões da época) nos primeiros títulos; para “transitar” dos títulos mais simuladores para os mais arcade; para trazer ricos detalhes gráficos , como o efeito de ter abelhas estourando no seu para-brisa em Need For Speed II para PC (na versão com o uso da antiga placa Voodoo da 3DFX); inovação para mostrar os efeitos visuais e mecânicos de colisões (inaugurados em Need For Speed: High Stakes de 1999); com propostas de tunagem como em Underground; inovação em usar as mais disputadas perseguições e etc.

Hot Pursuit 98 e 2002

Falando especificamente em perseguição, ela é uma marca no subtítulo atribuído ao título que analisarei hoje. De todo modo, antes de chegarmos em 2020, é importante darmos um pulinho em 1998, mais especificamente em Need For Speed III: Hot Pursuit. NFS 3 Hot Pursuit (lançado para PlayStation e PC à época) inaugurou na família Need um conceito mais “agressivo” de corrida, em que os corredores “enfrentavam” polícias em uma perseguição frenética, bem ao estilo dos filmes de Hollywood. A Fórmula parece mesmo ter agradado, tanto que, 4 anos mais tarde, em 2002, tivemos NFS Hot Pursuit 2 (que teve versões para PC, XBOX, PlayStation 2 e GameCube). O game repetiria a fórmula do seu predecessor, e acresceria uma pegada ainda mais Arcade e frenética ao título.

Need For Speed Hot Pursuit 2010

Já mais para os tempos atuais, após já estar ainda mais consolidada com sua diversidade e qualidade de títulos, a franquia Need For Speed resolveu dar uma espécie de reboot no subtítulo Hot Pusuit, trazendo um jogo lindo, divertido, frenético e moderno para PS3, PC e XBOX 360.

Neste título, a Electronic Arts “juntou forças” com a Criterion Games (responsável por Burnout Paradise) para criar um novo conceito em perseguição: frenética, com equipamentos dos mais variados, colisões cinematográficas (padrão Criterion – Burnout Paradise), carros de diversas das mais famosas e desejadas marcas (com exceção da Ferrari); lindos gráficos vivos e com efeitos de luz e sombra bons até para os padrões atuais (10 anos depois); divertido: podemos ser os corredores, os policiais e, inclusive, intercalamos entre essas “funções” ao longo da campanha. E moderno: com um sistema de multiplayer Inovador (batizado de AutoLog) amigos e pessoas desconhecidas poderiam duelar como policiais ou “corredores foras-da-lei” , ou disputar uma boa e tradicional corrida de ponta-a-ponta. Além disso, o sistema deixa um cadastro de recordes para compartilhar e “disputar” com seus amigos de maneira assíncrona, ou seja, deixando recordes para serem avaliados e batidos à qualquer momento posterior.

Need For Speed Hot Pursuit Remastered

Eis que chegamos ao ano de 2020 e ao objeto desta análise. Need For Speed Hot Pursuit Remastered da EA e Criterion Games, que chega para PC, XBOX One e PlayStation 4 sem muito alarde (inclusive pouco se falou do processo de produção dele). Mas nem precisa. Ele tem endereço certo: os amantes do Hot Pusuit 2010. Como o próprio nome sugere, temos aqui um remaster e não um remake. Esse é um grande ponto de partida para a avaliação… Ou seja, não espere no título grandes alterações gráficas, sonoras ou de jogabilidade…. Parece que, excetuando os pontos que trataremos adiante, tudo aqui tem um (ou dois) propósitos: entregar aquilo que já era perfeito pros fãs, mais uma vez e apresentar algo a frente do seu tempo, para os que não puderam apreciar seu predecessor.

Need For Speed Hot Pursuit Remastered
As lendárias perseguições policiais estão de volta em Need For Speed Hot Pursuit Remastered (Imagem: Divulgação)

O que ficou em Need For Speed Hot Pursuit Remastered?

Como dito anteriormente, não temos nenhuma mudança drástica no título. No quesito gráfico, já tínhamos uma beleza a frente do seu tempo em 2010 e com uma identidade muito bem delimitada. Identidade essa que complementa com a ótima trilha sonora, com direito a Beni Benassi e tudo. Voltando aos gráficos, a proposta, então, foi pura e simplesmente possibilitar aos novos (e velhos) jogadores, rodarem o jogo com resoluções atualizadas e efeitos gráficos e de luz aqui e acolá melhorados. Se você queria um mega upgrade visual, esqueça. Mas se você, assim como eu, achava que o bom e velho Hot Pursuit 2010 ainda “dava conta”… é isso aí!

Um outro ponto muito similar foi o modo campanha: com o mapa e distribuição de eventos que intercalam o player entre papel de “corredor fora da lei” e policial, temos aqui, poucos incrementos e modificações… Parece que a intenção era: revisite esta velha e boa emoção e/ou vivencie essa experiência que você não viveu em 2010. Em síntese, nessa dinâmica de “troca de papel”, encontramos desafios de corrida ponta-a ponta, “time trials”, “time trials evitando choques” e as tão famosas perseguições, em que hora somos policiais (usando reforço de bloqueio de viaturas , “armadilhas” e até reforço aéreo (helicóptero) … E em outras horas desafiamos policiais. Tudo é muito bom, apear de se tornar repetitivo em um determinado momento.

Need For Speed Hot Pursuit Remastered
Houve uma leve melhoria nos gráficos de Need For Speed Hot Pursuit Remastered (Imagem: Divulgação)

Continuamos ter a ampla gama de marcas e modelos de carros consagrados, de marcas consagradas como Lamborghini, Ford , Porshe dentre outros tantos. A ideia do jogo, para aquisição é simples: vá jogando, “evoluindo seu nível – seja de procurado, seja de policial” e vá destravando carros. Tudo é bem direto ao ponto: Personalização só na cor.

E o que mudou?

Conforme enfatizado, as mudanças do jogo foram sutis, o que não menospreza e nem invalida o título, pelo contrário. Podemos começar falando do tópico que acabei de escrever, os carros: o seu mix diversificado e a ideia de não focar em personalização continua bem similar, com basicamente, apenas pequenas diferenças, como a escolha as cores extrapolarem o padrão pré-definido, e você pode usar uma paleta de cores para colocar no seu carro, dando mais liberdade de escolhe neste quesito. Outro ponto diferente é que agora temos um lugar como uma “garagem” para ver os carros já “conquistados”, coisa que só era possível na versão anterior, no “pré-game”

Um aditivo interessante para essa versão foi a inclusão de todas as DLCs do jogo, que, entre outras, adicionam alguns novos carros e modos de jogo multiplayer.

Need For Speed Hot Pursuit Remastered
Corra com jogadores de qualquer plataforma em Need For Speed Hot Pursuit Remastered (Imagem: Divulgação)

Falando em multiplayer, temos aqui talvez a mudança significativa: apesar da manutenção do sistema Autolog (que, como dito anteriormente, é uma espécie de rede social para multiplayer síncrono e assíncrono), temos agora a possibilidade de cross-play entre consoles e PC, o que segue esta boa tendência de alguns jogos com multiplayer que permite ao novo jogador e ao fã desde a versão 2010, a possibilidade de disputar com colegas e desconhecidos das mais diversas plataformas, ampliando os horizontes e garantindo maior longevidade ao multiplayer do jogo. Ainda no ponto de multiplayer, vale destacar que temos modos como Corrida de Ponta a ponta (sem ou com “apetrechos para ferrar o amiguinho” – este último exclusive de uma DLC e resgatado na versão resmatered) e, principalmente, o modo pursuit (que distribui os jogadores em dois grupos numericamente homogênicos entre “polícia x fugitivo”).

Além da separação do multiplayer por modo de jogo, temos a separação pelas categorias dos carros , que passam de “performance” até chegar aos “exóticos” Neste quesito, bem como na questão da predileção dos players em geral, observamos uma tendência a encontrarmos mais partidas de “hot pursuit” do que de corrida em si.

Vale a pena comprar Need For Speed Hot Pursuit Remastered?

Need For Speed Hot Pursuit Remastered é uma grata surpresa. A surpresa aqui decorre não pelo produto em si ou pelos eventuais (e pontuais) avanços comparados ao seu predecessor não remasterizado… E sim, pela sua própria existência. Particularmente eu jogava até hoje com um grupo de amigos a versão 2010, o que me deixou bem empolgado para conferir esta nova versão. Alguns pontos devem ser observados para completude da análise: Need For Speed Hot Pursuit Remastered apostou na antiga regra: “Em time que está ganhando, não se mexe”.

Notamos aqui claramente que a ideia central foi brindar os fãs deste jogão de 2010 que talvez não tenha tido a recepção que merecia: Need Hot Pursuit 2010 foi um jogo a frente do seu tempo em termos gráficos e de mecânica multiplayer e trazia para os fãs de jogo de corrida arcade um impressionante “que” sensação de velocidade, aliado à batidas maravilhosas. Outro ponto que “foge” dos padrões atuais mas que tem seu valor inestimável: a perseguição é perseguição mesmo e a corrida é corrida mesmo. Esqueça aqui mundos abertos customizações, micro transações ou algo do tipo. A proposta do Need era e continuou sendo ser divertido, â moda antiga, “direto ao ponto”.

O sistema autolog foi inovador à época, mas hoje em dia deixou lacunas que não foram sanadas pela remasterização: a limitação de interação e de comunicação com o outro player. Não temos um chat de texto nem de voz, o que seria um aditivo importante, ainda mais se tratando de um jogo cross-play.

No fim das contas, a EA entrega um game atemporalmente divertido, cujo a trilha sonora, as improváveis ultrapassagens e impressionantes colisões agradam os corações dos que gostavam do seu predecessor e àqueles que gostam de um jogo de corrida estilo arcade “old school”… mas que pode frustrar quem não é “da época” e/ou esperava elementos mais atuais ou, até mesmo, quem estava esperando um remake ou algo totalmente renovado. Essa pontinha de frustração também pode decorrer de saber que outrora você teria acesso a este jogo a custos módicos, hoje o tem a preço “atualizado”. Contudo, Need For Speed Hot Pursuit Remastered já (re)conquistou um espaço no meu coração e no meu HD.

Need For Speed Hot Pursuit Remastered está disponível em formato digital para PlayStation 4, Xbox One, PC, via Steam e Origin, e Nintendo Switch.

*Review elaborada em um PlayStation 4 padrão, com código fornecido pela Electronic Arts.

Pizza Fria

Reviews, notícias e tudo sobre o mundo dos games

Por Rodrigo Arbex, Pizza Fria

Atualizado em 16 Nov 2020.

Mais notícias

Worms Rumble | Review

Jogos

Madden NFL 21 e FIFA 21 ganham upgrade para PS5 e Xbox Series

Jogos

Oculus Quest 2 | Review

Jogos

Prime Gaming revela line-up de dezembro com Battlefield 3

Jogos

NVIDIA anuncia GeForce RTX 3060 Ti

Jogos

Red Dead Online ganha versão independente

Jogos
Guia da Semana Premium
Nosso conteúdo na melhor forma!

Aproveite o Guia da Semana de forma mais rápida, sem banners ou publicidade digital!