Guia da Semana

Guia da Semana

No dia 5 de dezembro, domingo, inaugura na cidade o Museu Judaico de São Paulo (MUJ). Após vinte anos de planejamento, o espaço, que é fruto de uma mobilização da sociedade civil, chega com quatro andares expositivos, biblioteca com mais de mil livros para consulta e um café com comidas judaicas.

Localizado no antigo prédio do templo Beth-EL, uma das sinagogas mais antigas da cidade, o espaço passou por um processo de restauração, modernização e a construção de um prédio contemporâneo anexo para finalmente receber o público.

O MUJ já conta com quatro exposições simultâneas: duas de longa duração, sendo elas A vida Judaica, sobre os rituais e ciclo de vida judaico, e Judeus no Brasil: histórias trançadas, que expõe as várias correntes migratórias dos judeus para o Brasil, do início da colonização ao Brasil republicano; e duas temporárias: Inquisição e cristãos-novos no Brasil: 300 anos de resistência, sobre a luta dos cristãos-novos para reconstruir suas vidas no país durante os 300 anos de vigência da Inquisição, e Da Letra à Palavra, que explora a relação entre a arte e a escrita, a imagem e a palavra, a partir da reunião de 32 artistas basilares da arte contemporânea brasileira.

A programação expositiva do museu tem por objetivo cultivar e manter vivas as diversas expressões, histórias, memórias, tradições e valores da cultura judaica, tecendo também um diálogo com o contexto brasileiro, com o tempo presente e com as aspirações de seus diferentes públicos, criando assim uma matriz baseada em princípios de diversidade, resistência e atualidade.


DIVERSIDADE E CONTEMPORANEIDADE

Com presença em solo brasileiro desde o século XVI, as narrativas judaicas no Brasil são extremamente diversas, fazendo parte, de forma capilar, da formação do país e apresentando histórias únicas de resistência e senso de comunidade. A história de um povo com uma trajetória milenar liga-se à força da comunidade judaica em Recife e ao judaísmo amazônico, exemplos de reverberações locais que, por mais que se diferenciem em alguns pontos, compartilham as mesmas narrativas originais.

O MUJ aborda a história e a memória como fenômenos vivos, que costuram passado, presente e futuro, mas também se dedica a incentivar as produções artísticas contemporâneas, promovendo um diálogo profícuo entre as narrativas e expressões judaicas, a cultura brasileira e a arte contemporânea.

Sendo um museu conectado a seu tempo, o MUJ integra a narrativa memorial de seu acervo histórico - como um talit com mais de 150 anos e talheres vindos de um campo de concentração, além de numerosos documentos e objetos - às produções atuais que elaboram a experiência judaica. Segundo a curadora do MUJ, Ilana Feldman, o museu "não é apenas lugar de preservação e difusão, mas de produção de conhecimento e experiências, em conexão com o tempo presente".


EXPOSIÇÕES

As exposições materializam um rigoroso trabalho curatorial e museológico, fruto do esforço da instituição para estabelecer pontes de diálogos tanto dentro da comunidade quanto para o público não-judeu. A partir de obras multimídia, objetos históricos, documentos e fotografias, o museu apresenta quatro exposições.

Saiba mais sobre cada uma delas:

- A Vida Judaica
- Judeus No Brasil: Histórias Trançadas
- Inquisição e Cristãos Novos No Brasil: 300 Anos De Resistência
- Da Letra À Palavra


O CENTRO DE MEMÓRIA DO MUJ

O Centro de Memória do MUJ é oriundo do espólio do antigo Arquivo Histórico Judaico Brasileiro, coletando e catalogando documentos raros sobre a comunidade judaica no Brasil. Uma das principais iniciativas da instituição é revitalizar esse acervo documental, tanto no seu aspecto físico, de restauração, conservação e catalogação, quanto no âmbito narrativo, proporcionando o acesso atual a documentos que ajudam pessoas a compreenderem suas relações genealógicas com as dinâmicas históricas judaicas.

São mais de 20 mil livros (8 mil em íidiche), 100 mil fotos, 400 depoimentos de história oral, 1 milhão de documentos, periódicos e outros registros que versam sobre os imigrantes, as instituições, a cultura e a contribuição à sociedade brasileira. Tal gesto possibilita uma história viva que redescobre, na atualidade, gerações e elos até então perdidos.


AÇÕES EDUCATIVAS

Educação e Participação é o programa de mediação cultural do Museu Judaico de São Paulo, voltado à produção de experiências compartilhadas e à construção de conhecimento por meio do diálogo, da troca e do debate. Comprometidas com seus diferentes públicos, as ações de Educação e Participação do MUJ compreendem, como parte de sua programação fixa, visitas mediadas com grupos agendados e espontâneos, oficinas de atividades, contação de histórias, mediação de leituras, encontros com professores, cursos, palestras e ações territoriais.


SERVIÇO

Museu Judaico de São Paulo (MUJ)
Endereço: Rua Martinho Prado, 128, no bairro da Bela Vista
Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 19h
Ingressos: R$ 20,00 inteira; R$ 10,00 meia-entrada
Para mais informações, acesse www.museujudaicosp.org.br

Atualizado em 3 Dez 2021.