Guia da Semana
Restaurantes
Por Redação Guia da Semana

A cultura do "butiquim"

Engana-se quem pensa que só pub inglês tem manual de instrução para fazer isso e aquilo. Confira as dicas para não fazer feio nos botecos cascudos da sua cidade.


Emsetembro de 2005, as livrarias brasileiras ganharam um pedacinho da cultura carioca. Não, não é um tratado sociológico sobre os morros e a violência. É um bem-humorado e antropologicamente rico Manual de Sobrevivência nos Butiquins mais Vagabundos, escrito pelo cantor e compositor Moacyr Luz e ilustrado pelo cartunista Jaguar.

Cidade boêmia, o Rio de Janeiro tem mais história nos "butequins" do que nos museus. Literalmente falando, é claro. Os balcões de mármore, os azulejos azuis, o porta-bala Juquinha giratório, o copinho americano, o pôster do Mengão, a linguiça acebolada, o aviso de "Não vendemos fiado", a cerveja trincando e muita conversa de bar. Tudo no melhor estilo pé-sujo. Quantos refrões já não saíram dos botecos? Quantas poesias escritas no guardanapo? Quantos sambinhas batucados na caixa de fósforo?

Boteco de verdade é aquele em que, antigamente, mulher não entrava. A não ser para tirar a pança do marido do balcão ou trocar o refil da Coca-Cola para o almoço. Adentrar um butequim, em qualquer lugar do Brasil sem ter lido essa cartilha de Moacyr pode causar certos constrangimentos. Item essencial na prateleira de um boêmio que se preze, o Manual de Sobrevivência traz à tona as características de um típico e simplório estabelecimento que resiste ao tempo e à moda pé-limpo, onde quer que ele esteja.

Em homenagem à essa obra-prima, o Guia da Semana monta um resumo básico para você não fazer feio por aí. Confira!

A batata frita

Moacyr alerta: batata frita, "mermão", é coisa de mané. Para completar o mico,é só pedir ketchup. Frequentador que é frequentador de boteco pergunta se "ainda tem o caldinho, um peito desfiado, a costelinha ou o lombinho defumado" do cozido do almoço. Conclusão: batata-frita só em casa.


Em vez de batata frita, peça aquele caldinho especial

A cerveja


Nada de mandar degelar na água corrente, procurar promoção nos cartazes de mulheres semi-nuas. Muito menos conferir a validade e fazer malabarismo com a garrafa para ver se a bebida está choca. Tomar sem colarinho, para não fazer bigode de espuma, e pedir para embrulhar o que sobrou é vexame na certa. Conclusão: simplesmente peça a garrafa. Butiquim que é butiquim serve a loira de 600 ml. Para saber se a cerveja é consumível, o ideal é dar uma de migué: "Ô Ernesto, faltou luz na região ontem ou hoje? Não? Então me dá uma bem gelada. Tira lá do fundo".

A mulher e o banheiro

Como já dito, nas épocas remotas, mulher não passava do batente de um botequim. Se quisesse algo, tinha que pedir ali da portinha mesmo, para não "criar intimidade". Hoje em dia, se tem que algo que impede a mulher de entrar no bar, não é o marido, mas o banheiro - aquele, apertado e escuro, cuja chave fica no bolso do garçom. Conclusão: se o estabelecimento não estiver na calçada da sua casa, amiga, leve um rolinho de papel higiênico na bolsa. O banheiro nunca está 100%. Se bem que tanto faz depois da segunda garrafa.

Limão da casa e o prato feito

Da série "botequim que é botequim": tem que ter os dois itens na lista de especialidades. O limão da casa só é digno de respeito se for espremido na colher e acrescido no copo com açúcar em abundância e aguardente daquela bem destilada, de garrafa fechada com rolha. Se o limão for do pé de casa, melhor. Em relação ao prato feito, nem pense em querer saber como ele é preparado. Conclusão: não dá para saber se "o tamanduá de estimação do vizinho que sumiu há três dias seja o mesmo acepipe guisado na taberna do cearense". Degluta com batida de limão da casa.

Serviço
Manual de Sobrevivência nos Butequins mais Vagabundos
Autor: Moacyr Luz
Editora: Senac Rio
Ano: 2005
Média de preço (em livrarias): R$ 40,00


Atualizado em 7 Ago 2012.

Mais notícias

São Paulo ganha primeira casa dedicada ao avocado; saiba tudo!

Restaurantes

Restaurante Abbraccio aposta em Festival de Lula para os dias quentes do verão; saiba tudo!

Restaurantes

Bullguer vende sanduíche a R$10 nesta segunda-feira (22); saiba tudo!

Restaurantes

10 pratos imperdíveis com frutos do mar para provar em São Paulo

Restaurantes

Points gastronômicos em São Paulo com pratos especiais para o verão 2021

Restaurantes

Bob’s Galak com doce de leite Moça nas versões Big Cascão, Bob’s Max e Milk Shake entra no cardápio da rede por tempo limitado

Restaurantes