Guia da Semana
Restaurantes
Por Redação Guia da Semana

Além do cafezinho

Conversamos Yara Thaís Castanho, nossa barista número e representante brasileira no campeonato mundial da profissão.

Foto: Divulgação

A barista Yara Castanho ficou ficou entre os 20 melhores no World Barista Championship

Quem nunca recepcionou uma visita com um cafezinho? No caso de Yara Thaís Castanho, esse costume tradicional tornou-se algo muito maior. Com apenas 25 anos, ela foi a campeã do 8º Campeonato Brasileiro de Baristas, realizado no início desse ano, em São Paulo. O título abriu várias portas e rendeu a chance de participar do World Barista Championship, em Atlanta, onde a brasileira fez bonito e conquistou a 18ª posição, entre participantes de outros 52 países.

Entre xícaras e bules, batemos um papo com Yara, que além de histórias da competição, compartilha algumas dicas para transformar o café da tarde em uma atração saborosa. Confira!

Guia da Semana: O que achou do World Barista Championship?
Yara Castanho: Foi excelente! Conheci pessoas maravilhosas, tomei ótimos cafés, aprendi muito conversando com baristas mais experientes. Definitivamente, foi a melhor experiência da minha vida. Não somente relacionada ao café, mas como um todo.

Guia da Semana: Como foram os preparativos para as competições?
Yara: Os preparativos para o campeonato brasileiro foram bem corridos, pois estava na faculdade [Yara cursa direito] e fazendo estágio em um escritório de advogados. Para a competição em Atlanta, eu tranquei esse semestre, saí do estágio e me dediquei inteiramente ao treinamento. Foi exaustivo, mas divertido ao mesmo tempo.

Foto: Getty Images

O Brasil deve dividir com os Estados Unidos o título de maior consumidor de café até 2010

Guia da Semana: Qual é a sua principal arma como barista? Como usaria ela para representar o Brasil novamente?
Yara: Bom, para começar, seria excelente representar o Brasil novamente. Vou me esforçar para ter essa oportunidade! Minha principal arma é o meu treinamento e a escolha de um bom café. Aprendi a adaptar o café brasileiro ao gosto de juízes internacionais, o que é bem difícil. São juízes do mundo inteiro, nunca se sabe qual será o seu e qual é o tipo de café de sua preferência.

Guia da Semana: O café brasileiro é realmente muito diferente do internacional?
Yara: O café brasileiro, dependendo da região, tem suas características próprias, como qualquer um do mundo. O ponto-chave da minha apresentação em Atlanta foi mostrar exatamente isso, que não se pode rotular um café por sua região. Não precisei adaptar minhas receitas, pois trabalhei aqui no Brasil com um perfil de torra que foi o mesmo de quando cheguei em Atlanta. Fiz algumas provas e entre as várias torras que eles fizeram do meu café, cheguei a que se aproximava do perfil que usei.

Guia da Semana: Você é estudante de direito. Como foi que decidiu se dedicar à preparação de bebidas com café?
Yara: Fui barista primeiro. Depois comecei a estudar Direito, mas sempre envolvida com o café, nunca consegui ou quis deixar isso de lado. Café é o que me dá assunto para conversas de horas, que me deixa empolgada, intrigada. Na faculdade eu era famosa por incluir café em todos os assuntos, adorava ser conhecida por isso! É o que me motiva como barista: alguém falar alguma coisa incorreta sobre café e eu poder explicar.

Foto: Sxc.hu

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) o porcentual de brasileiros que consomem a bebida diariamente alcança 97%

Guia da Semana: Como estudante de direito, você acredita ser uma boa barista?
Yara: Como quase advogada acredito ser uma boa barista. Estou aprendendo!

Guia da Semana: Quais são as características de um bom profissional?
Yara: Gostar do que faz e querer aprender. Novas técnicas surgem o tempo todo, uma coisa que hoje é considerada uma heresia, amanhã é a técnica para extrair o melhor espresso. Deve-se entender que o barista é o último na cadeia do trabalho com café. É preciso estudar o trabalho daqueles que trabalham na fazenda, que torram o café. Temos que estar preparados para representá-los bem naquela xícara.

Guia da Semana: Como você cria suas receitas?
Yara: Com voltas ao supermercado! Tenho sempre um ingrediente em mente. Normalmente algo que acentue alguma característica do meu café. Partindo daí, é um turbilhão de ideias, que vão sendo testadas até alcançar um bom resultado.

Guia da Semana: O que não pode faltar em um cafezinho?
Yara: Ah! Para mim não pode faltar acidez! Café sem um pouco de acidez fica sem graça, não tem complexidade.

Guia da Semana: Quais as dicas para quem quer oferecer um cafezinho de qualidade em casa?
Yara: Escolher um bom café, e fazer com água mineral, ou filtrada, sem ferver. Só isso já é suficiente para se preparar um excelente café em casa.


Atualizado em 7 Ago 2012.

Mais notícias

Bullguer vende sanduíche a R$10 nesta segunda-feira (22); saiba tudo!

Restaurantes

10 pratos imperdíveis com frutos do mar para provar em São Paulo

Restaurantes

Points gastronômicos em São Paulo com pratos especiais para o verão 2021

Restaurantes

Bob’s Galak com doce de leite Moça nas versões Big Cascão, Bob’s Max e Milk Shake entra no cardápio da rede por tempo limitado

Restaurantes

Com pernil fatiado, vinagrete e queijo prato, hamburgueria lança sanduíche em homenagem ao aniversário de São Paulo

Restaurantes

21 restaurantes para comemorar o Aniversário de São Paulo 2021

Restaurantes