Guia da Semana
Restaurantes
Por Redação Guia da Semana

Caso de amor

Uma história com final feliz.

Foto: Sxc.Hu


A pasta (massa) foi parar na Itália, todo mundo já sabe como: trazida por mercadores, na Idade Média, do Oriente.

Mas, o que mais chama a atenção nessa história é o fato de que o italiano se apaixonou pela pasta, e a pasta retribuiu este amor, apaixonando-se pelos italianos. Um amor que dura cerca de 700 anos.

A pasta começou fina e comprida e, ao longo do tempo, foi sendo modificada, condimentada. Molhos, os mais variados, foram sendo agregados, formando um casal inseparável.

E o italiano foi inventando formas e consistências para que a pasta abraçasse melhor os molhos, que também se tornavam cada vez mais numerosos, fazendo com que o casamento se tornasse mais perfeito.

Apareceram, também, as massas com recheios. Os capelletti, tortelli, ravioli, canelloni, e outros mais, onde os recheios foram acolhidos por massas moldadas como esculturas, aperfeiçoadas durante o tempo todo.

Nos nossos tempos, algumas massas foram desenhadas por famosos estúdios de design, o que significa que a busca pela forma ideal não acabará nunca, assim como em qualquer outra forma artística.

Em cada região da Itália, a pasta foi se moldando, no sentido de se adequar aos condimentos, com ingredientes e ervas do lugar, e algumas foram ficando famosas e se destacando no mundo todo, como a pasta al pesto (Gênova), alla matriciana (Roma), entre muitas outras.

Acredito que o italiano foi feito para a pasta, assim como a pasta para o italiano, mas já faz algum tempo que "ela" foi se espalhando pelo mundo e conquistando mais amantes. Não faz mal. É um amor compartilhado.

E para comer de madrugada, aí vai uma dica: spaghetti de grano duro al dente, temperado com um fio de azeite virgem de oliva crú, duas folhas de salvia rasgadas e um pouco de pimenta e sal.

Sem esquecer do vinho: outro caso de amor.

Leia as colunas anteriores do Chef Pier Paolo Picchi:

Gastronomia molecular

Gosto ou não?

Sabores

Quem é o colunista: Pier Paolo Picchi.

O que faz:Chef de Cozinha/ Empresário.

Pecado gastronômico: todos os dias.

Melhor lugar do Mundo:Qualquer lugar que me traga paz.

Fale com ele: clique aqui


Atualizado em 7 Ago 2012.

Mais notícias

Bullguer vende sanduíche a R$10 nesta segunda-feira (22); saiba tudo!

Restaurantes

10 pratos imperdíveis com frutos do mar para provar em São Paulo

Restaurantes

Points gastronômicos em São Paulo com pratos especiais para o verão 2021

Restaurantes

Bob’s Galak com doce de leite Moça nas versões Big Cascão, Bob’s Max e Milk Shake entra no cardápio da rede por tempo limitado

Restaurantes

Com pernil fatiado, vinagrete e queijo prato, hamburgueria lança sanduíche em homenagem ao aniversário de São Paulo

Restaurantes

21 restaurantes para comemorar o Aniversário de São Paulo 2021

Restaurantes