Guia da Semana
Restaurantes
Por Redação Guia da Semana

O Poeta das Caçarolas

A gastronomia também precisa de mentes criativas.

Foto: Arquivo Pessoal/Luiz Carlos Leboutte

Na gastronomia não permitimos que a imaginação encontre limites. É preciso despertar a mente e torná-la um reino pensante, criativo e sempre disposto a descobrir algo novo. É necessário viajar a um mundo surreal, ousado e inusitado. Ver o mundo como um vasto universo abstrato...

Não basta ser um cozinheiro, é preciso ser um químico, um cientista, um alquimista, quem sabe até mesmo um pintor. Deixar que a alma se entregue a um renascimento. É como finalizar um prato buscando na sua essência algo que lembre um Da Vinci ou um Michelangelo, fazer do prato um quadro... Imaginando que, ao finalizá-lo, estará dando também o último toque do pincel na tela.

Para tanto, é preciso ser um amante dedicado, assumir a paixão que temos pela cozinha, assim como um poeta tem pelas mulheres que conquista, pois é com ela que iremos dividir também as grandes noites.

Cuidar bem da linha que seguimos, como cuidamos da roupa que vestimos. A gastronomia é um caminho generoso de técnicas clássicas que muitas vezes recordam os pretos básicos de Channel. Para tanto, o artista da cozinha precisa dominar a simplicidade, aprender e buscar os conhecimentos básicos, respeitando tudo que o tempo não apaga e não ofusca e, assim, começar a lapidar a sua própria personalidade.

O artista das panelas expressa nos pratos o real significado da liberdade. Valoriza a sua terra, assim como o perfume que exala das flores comestíveis da sua região enriquece, através do paladar, das suas origens e de quem a vida dedicou para que ela hoje existisse.

Vive uma inspiração constante, transforma um alimento em algo inesquecível ao paladar, criando uma harmonia de sabores, que faz o coração bater mais forte. Sente, como poucos, o poder de tocar a alma dos comensais através da alquimia dos aromas.

A gastronomia é uma arte que desperta sentimentos, alimentando sonhos e lembranças através de uma nostalgia de experiências gustativas, uma intensa confissão pública de amor a um dom que Deus destina a poucos.

Leia a coluna anterior do Chef Luiz Carlos Leboutte:

? Doces Lembraças


Quem é o colunista? Luiz Carlos Leboutte Junior.

O que faz: Chef & Consultor Gastronômico

Pecado gastronômico: Usar arroz agulhinha para fazer risotos

Melhor lugar do Brasil: A música "Porto Alegre é demais", diz tudo

Fale com ele: [email protected] ou acesse seu blog



Atualizado em 7 Ago 2012.

Mais notícias

Conheça o Frutta & Crema, restaurante italiano com vista para a Serra da Cantareira

Restaurantes

11 lugares para comer fondue em São Paulo no inverno 2021

Restaurantes

Inverno 2021: onde tomar sopas em São Paulo

Restaurantes

Dia da pizza 2021: lugares para comemorar a data em São Paulo

Restaurantes

18 restaurantes em São Paulo com menu especial para o inverno 2021

Restaurantes

10 restaurantes em São Paulo com quitutes juninos

Restaurantes