Guia da Semana

Unânime

Quem tem coragem de dizer que não gosta de cozinha italiana?.


A culinária italiana pode ser popular ou extremamente refinada, esteticamente confusa ou com requintes que remetem às artes plásticas. Mas certamente rica em aromas e sabores tão marcantes, que nos envolvem desde o império romano até hoje com sua permanente mutação e evolução, conquistando gregos e troianos.

São três, na minha opinião as grandes características da gastronomia no território da bota: 1: Matéria prima; 2: História; 3: Prazer de comer.

1) A importância das matérias primas: Na península - circundada por mares e costas de várias conformações, trancada ao norte e percorrida em toda sua extensão longitudinal por montanhas, salpicada de vales, algumas planícies, doces colinas, com diferentes solos e micro climas - temos uma variedade e complexidade de matérias primas, que proporcionam mudanças e surpresas na questão de poucos quilômetros de distância. Tanto vegetais, quanto carnes, aves, peixes, apresentam diferenças relativas à geografia, à criação, caça, cultivo e cultura do preparo.

Em Pisa é muito famoso um prato preparado com filhotes de enguia, que numa época do ano sobem o rio Arno, desovam, e seus filhotes são capturados quando descem o rio de volta para o mar. Outro rio (o Serchio) deságua no mar Tirreno, a cerca de 20 km do rio Arno, mas as enguias preferem o Arno. É simplista demais dividir a culinária italiana entre norte e sul, ou até norte, centro e sul.

2) A história: Primeiro os romanos, na época da expansão do império, levaram para Roma ingredientes de toda Europa, Oriente médio e norte da África. Depois, entre as várias invasões sofridas, vieram os ingredientes da América, além daqueles trazidos da Ásia, por viajantes e comerciantes, desde a Idade Média. Todos eles usados e manipulados criativamente, fazendo com que as características originais se perdessem até tornarem-se italianos como spaghetti.

3) O prazer de comer: Esta característica é talvez a mais importante. É ela que estimula os sentidos e que desenvolve também o gosto pelo cozinhar, combinar ingredientes, texturas, aromas, temperaturas, criar uma pequena alternativa ao tradicional ou criar uma nova composição, tanto gustativa quanto visual, aumentando o prazer para desde o momento em que olhamos para o prato.

A gastronomia italiana carrega consigo também o fato de ser o principal motivo de longas reuniões de família, reuniões entre amigos, agradáveis companhias, fazendo do tempo transcorrido à mesa um dos melhores da vida. Quem é a colunista: Píer Paolo Picchi


O que faz: É empresário e chef do Picchi.

Pecado gastronômico: Creio que ocorram sempre.


Melhor lugar do Brasil: Qualquer belo lugar que você se sinta em paz

Fale com ele:
picchirestaurante@gmail.com

Atualizado em 7 Ago 2012.

Compartilhe

Comentários

Outras notícias recomendadas

Chef Jamie Oliver abre terceira unidade de seu restaurante no Brasil; saiba mais!

Curitiba é a casa da mais recente unidade do Jamie´s Italian

Holy Burger promove festa mexicana com pratos inspirados no país neste domingo, 27 de maio; saiba mais!

A hamburgueria vai abrir especialmente no domingo, dia 27, das 12h às 22h

Outback lança sobremesa com brownie na versão doce de leite

A famosa sobremesa Thunder ganha uma nova versão feita com doce de leite argentino

Chef de A Casa do Porco abre sorveteria no centro de São Paulo; saiba mais!

A proposta da casa é vender sorvetes softs, com ingredientes naturais e sem aditivos

Promoções imperdíveis para o Dia do Hambúrguer 2018 em São Paulo

Veja onde comer opções do lanche e comemorar esse dia pra lá de apetitoso

Taco Bell lança sobremesa recheada com chocolate KITKAT®

Mini burrito feito com o chocolate é a nova opção de sobremesa do restaurante