Guia da Semana
Shows
Por Redação Guia da Semana

Rei do reggae

Bob Marley se consolida o maior representante do estilo.

Por Humberto Baraldi


Divulgação

Ele nasceu Robert Nesta Marley, mas ficou conhecido como Bob Marley, um cantor, guitarrista e compositor jamaicano que representou o ritmo de seu povo para todo o planeta. Considerado o maior artista do reggae, Marley mostrou em seus hits os problemas dos pobres e oprimidos, além de divulgar a religião local, o rastafari.

O jamaicano foi casado com Rita Marley e deste relacionamento gerou quatro de seus nove filhos, entre eles os renomados Ziggy e Stephen Marley, que continuam o legado musical de seu pai. Outro de seus herdeiros, Damien Marley, vulgo "Jr Gong", também seguiu carreira musical.



Para muitos ele servia como um missionário rasta, fazendo com que a religião fosse conhecida internacionalmente através das suas melodias. Em suas canções Marley pregava irmandade e paz para toda a humanidade.

Como típico representante da cultura rasta, Bob era um grande defensor da maconha, usada por ele no sentido da comunhão. Na capa de Catch a Fire, por exemplo, ele é visto fumando um cigarro da droga.



Nascido em 6 de fevereiro de 1945, o artista iniciou suas experimentações musicais com o ska e passou aos poucos para o reggae, enquanto o estilo se desenvolvia. O ídolo é talvez mais conhecido pelo seu trabalho com o grupo The Wailers, que incluía outros famosos músicos, Bunny Wailer e Peter Tosh.

A maioria do trabalho inicial de Marley foi produzida por Coxsone Dodd no Studio One. O relacionamento dos dois se deterioraria mais tarde devido a pressões financeiras, e no começo da década de 1970 ele produziu o que é considerado por muitos o seu melhor trabalho, então pelas mãos de Lee Perry. A dupla também se separaria, desta vez por problemas com direitos autorais. Eles trabalhariam juntos novamente em Londres, e permaneceriam amigos até a morte de Marley. Em 1971, após assinar com o selo Island Records, Marley lançou um de seus maiores sucessos, o hit No Woman, No Cry (1975). Alvo do partido conservador da Jamaica, o astro e sua esposa foram alvos de um tiroteiro em 1976. Embora a polícia nunca tenha pegado os atiradores, mais tarde, os seguidores de Marley acertaram as contas com os criminosos nas ruas de Kingston.

Após o episódio, Bob foi para a Inglaterra, onde gravou os álbuns Exodus e Kaya. Logo depois, foi preso pela posse de um cigarro de maconha no país.

Em julho de 1977, o jamaicano descobriu uma ferida no dedão de seu pé direito, que ele pensou ter sofrido durante uma partida de futebol. O machucado não cicatrizou, e sua unha posteriormente caiu enquanto ele jogava bola. Foi então que o diagnóstico correto foi feito. Na realidade, o artista sofria de uma espécie de câncer de pele, chamado melanoma maligno, que se desenvolveu sob sua unha. Os médicos o aconselharam a ter o dedo amputado, mas Marley recusou-se devido aos princípios rastafaris.

Após algum tempo, o câncer espalhou-se para seu cérebro, pulmão e estômago. Durante uma turnê no verão de 1980, numa tentativa de se consolidar no mercado norte-americano, o cantor desmaiou enquanto corria no Central Park de Nova Iorque. Ele faleceu no hospital em 11 de maio de 1981, em Miami, Flórida.

Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Sandy e Junior: 21 músicas que queremos ouvir na turnê "Nossa História"

Shows

Sandy e Junior confirmam turnê comemorativa de 30 anos; primeiro show é em Recife, dia 12 de julho

Shows

10 atrações brasileiras que você não vai querer perder no Lollapalooza 2019

Shows

7 atrações do Lollapalooza 2019 que vêm ao Brasil pela primeira vez

Shows

9 shows imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Shows

Trocas do Rock in Rio Card começam nesta quarta-feira (6); saiba mais!

Shows