Guia da Semana
Teatro
Por Nathália Tourais

4 coisas que você precisa saber antes de assistir "O Musical Mamonas"

Espetáculo apresenta a mesma irreverência e escracho que conhecemos 20 anos atrás e emociona a cada cena.

O Musical Mamonas estreia neste sábado, 12, no Teatro Raul Cortez (Divulgação)

Se as palavras amor e humor definiam a banda dos meninos de Guarulhos, as mesmas também fazem jus ao elenco de O Musical Mamonas, que estreia dia 12 de março no Teatro Raul Cortez, em São Paulo. 

Sob direção de José Possi Neto, os protagonistas Ruy Brissac, Adriano Tunes, Yudi Tamashiro, Elcio Bonazzi e Arthur Ienzura nos trazem lembranças não apenas quando interpretam e cantam, mas na essência que conseguiram absorver de cada um dos integrantes e também na relação de quando estão fora de cena.

Brincando a todo momento (mas com muita seriedade em seus respectivos trabalhos), os meninos mostraram bastante entrosamento. Descontraídos com a imprensa, nos arrancaram gargalhadas e fizeram com que colocássemos um sorriso no rosto independente se tivemos um dia difícil ou se estivéssemos cansados, o que era bem característico da eterna banda Mamonas Assassinas.

Assim, o musical apresenta a mesma irreverência e o mesmo escracho que conhecemos 20 anos atrás através de Dinho, Julio, Bento, Samuel e Sérgio e listamos 4 coisas que você precisa saber antes de assistir ao espetáculo: 

HISTÓRIA

Convocados pelo anjo Gabriel para uma importante missão – dar um jeito na caretice que tomou conta da vida dos brasileiros – Bento, Dinho, Júlio, Samuel e Sergio resolvem contar em um musical como conseguiram passar pelo estreito funil do show business: na base da persistência e da corajosa aceitação de suas personalidades um tanto quanto divertidas.  O espetáculo traz ao público, de maneira despojada e divertida, a trajetória da banda desde sua “Utopia” até a transformação desta na realidade dos “Mamonas Assassinas”, passando por todas as músicas do primeiro e único álbum de estúdio da banda até o apoteótico show no histórico “Thomeuzão” em Guarulhos.

HUMOR

Os Mamonas não foram apenas uma banda. Muito além de um grupo de músicos apaixonados por rock, eles foram críticos e também grandes cômicos da chanchada brasileira. Com uma malícia ingênua de um Brasil provinciano, falavam palavrões sem a intenção de ofender, mas de fazer rir... E faziam, em diferentes faixas etárias e classes sociais. 

ELENCO - FIDELIDADE E PERSONALIDADE

O elenco principal impressiona e realmente nos traz Dinho, Samuel, Bento, Julio e Sérgio de diferentes formas. Em um primeiro momento, claro, é a aparência que chama atenção e nos prende a eles. Entretanto, com poucos minutos de espetáculo vemos que o peso de cada integrante está ali, por inteiro, em cada um deles, seja na forma de falar, nos gestos, jeito de se mover, nos olhares, poses, personalidade e, sim, na essência. E é aí que vemos que este foi um trabalho construído e pensado em cada detalhe para chegar em um resultado preciso, único e de muita doação. 

Entretanto, engana-se quem pensa que no palco está uma banda cover ou uma imitação dos eternos Mamonas. Com maestria, José Possi Neto teve o cuidado e rigor para deixá-los parecidos, mas ao mesmo tempo manter uma distância para que o público e os próprios atores pudessem enxergar quem está por trás de cada integrante interpretado. Dessa forma, conseguimos revisitar a história, vê-los de novo e também apreciar a arte da interpretação.

MOMENTO DO PAÍS

Como dito anteriormente, o grupo também fazia críticas através de suas letras e paródias. Seja referente ao comportamento de um tempo já passado, dito moderno; ou diferenças das classes sociais, política, estado, consciência, superficialidade, banalidade, o cotidiano ou até o pragmatismo do agora, o fato é que direta ou indiretamente, com ou sem improviso, os meninos colocavam suas opiniões em pauta.

Coincidência ou não - e independente da posição política de cada um - o espetáculo chega em um momento importante para o Brasil nesse sentido, onde as pessoas têm ganhado mais voz, questionado mais o que recebem tanto da mídia quanto dos nossos representantes e também procurado obter mais informações e diferentes pontos de vista... O que, sem dúvidas, é uma boa catarse para a estreia e chegada do musical. 

SERVIÇO

Onde: Teatro Raul Cortez
Temporada: de 11 de março a 29 de maio de 2016
Horários: Quinta, Sexta e Sábado, às 21h | Domingo, às 18h
Valores: R$120

 

 


Por Nathália Tourais

Atualizado em 16 Mar 2016.

Mais notícias

12 espetáculos de Stand Up Comedy que estão em cartaz em São Paulo em março de 2019

Teatro

7 peças infantis imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Teatro

10 peças de teatro e musicais imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Teatro

6 motivos para assistir à peça “Dogville”, com Mel Lisboa e Fábio Assunção

Teatro

Peças de teatro e musicais para assistir em São Paulo no feriado de 25 de janeiro de 2019

Teatro

16 musicais imperdíveis para assistir em São Paulo em 2019

Teatro