Guia da Semana

Guia da Semana

Os personagens nasceram nos anos 50, pelas mãos do gênio desenhista Charles M. Schulz. Dos quadrinhos, ultrapassaram os anos, sobreviveram as décadas e chegaram à televisão e também aos palcos. Adaptada para cinema, séries, especiais de TV, discos, livros, parques temáticos e, é claro, musicais, a nostálgica turma dos Peanuts - conhecidos como Minduim no Brasil - se faz presente e atual até os dias de hoje.

Reconhecido como o espetáculo com maior número de montagens na história do teatro americano, "You’re a Good Man, Charlie Brown" - ou "Meu amigo Charlie Brown" em português -, o musical da Broadway chega ao Brasil pela segunda vez no Teatro Frei Caneca - onde permanece em cartaz até dia 24 de abril - e é indicado tanto para os adultos quanto para as crianças.

O Guia da Semana acompanhou o ensaio e agora lista os motivos pelos quais você não pode perder este espetáculo incrível, que entra em cartaz neste sábado, 5 de março. Confira:

HISTÓRIA

“Um dia normal na vida de Charlie Brown”. Assim os autores resumem a história deste musical. Um dia recheado de pequenos momentos da vida de Charlie Brown; do Dia do Amigo à temporada de beisebol, do extremo otimismo ao desespero total, tudo isso misturado às vidas de seus amigos e colocado juntos num único dia, de uma linda e incerta manhã a um pôr do sol cheio de esperança.

O universo de Charlie Brown se caracteriza pelo humor delicado e melancólico, com personagens inteligentes, sensíveis e criativos que provocaram uma revolução no mundo das histórias em quadrinhos. Afinal, o protagonista é um menino cheio de preocupações e com algumas frustrações; Schroeder vive debruçado ao piano e tem Beethoven como herói; Lino não desgruda de seu cobertor; Lucy tem uma banca de analista; Sally, a irmã mais nova de Charlie Brown, vive num dilema escolar e Snoopy é absolutamente extraordinário.

ELENCO PEQUENO, PORÉM INTENSO

O elenco do musical é formado por apenas seis pessoas. Porém, quem assiste tem a impressão de que são mais pessoas, tamanho o preenchimento do palco com coreografias, interpretações e cantorias de peso, com direito a solos in-crí-veis.

ASPECTOS ORIGINAIS


Um quesito importante do espetáculo é que ele manteve-se fiel à pureza original e característica que Shultz criou à história e aos personagens, sem alterar aspectos das personalidades, visões de vida e pontos de vista de cada um deles.

VERSÃO BRASILEIRA

A versão definitiva é a de 1999, da qual Meu Amigo, Charlie Brown foi adaptada e recebeu dois prêmios Tony (melhor ator e melhor atriz em musical) e três prêmios Drama Desk (melhor remontagem de musical, melhor ator e melhor atriz). Essa montagem teve duas adaptações para a TV americana: um especial com atores na rede NBC e um especial de animação na CBS.

No Brasil, a mesma montagem ganhou em 2010 o prêmio FEMSA Coca-Cola para melhor cenário, produção e atriz coadjuvante.

PERSONAGENS


Todos os personagens possuem personalidade forte e marcante, ao mesmo tempo que refletem sobre a simplicidade e a complexidade do cotidiano, além de questionarem e tentarem entender tudo que os rodeia.

ESSÊNCIA E DIRECIONADO A TODOS OS PÚBLICOS

A dramaturgia e a música propõem o encontro do menino Charlie Brown com o mundo que o cerca, e sua constante busca pelo significado das coisas e dos sentimentos. As questões filosóficas, as características visuais e as músicas são um prato cheio para as crianças, mas engana-se quem pensa que a produção é somente para elas. O peso do texto, o roteiro, as piadas e colocações dos personagens são aspectos que falam diretamente com os adultos, passando ao mesmo tempo para os pequenos a ideia de que crescer não é fácil, mas ainda assim pode ser maravilhoso.

Por Nathália Tourais

Atualizado em 8 Mar 2016.