Guia da Semana
Teatro
Por Nathália Tourais

6 motivos para assistir ao musical "Wicked - A História Não Contada das Bruxas de Oz"

O maior Blockbuster da Broadway chega com montagem brasileira e grande elenco ao Teatro Renault.

Em cena, Myra Ruiz (Divulgação)

Assistido por mais de 48 milhões de pessoas no mundo e com um faturamento superior a US$ 3.9 bilhões, Wicked tem atualmente cinco produções em diferentes países (Nova York, Londres, Austrália, uma turnê no Reino Unido e uma nos EUA) e, finalmente, chega ao Brasil.

A montagem original - com letras em português - tem estreia marcada para o dia 4 de março no Teatro Renault e conta com um grande elenco de bailarinos, atores e músicos, entre eles, Myra Ruiz, Fabi Bang, Jonatas Faro, Sérgio Rufino e André Loddi. 

Assim, para que você saiba tudo o que pode esperar do espetáculo, o Guia da Semana lista 6 motivos pelos quais você precisa assistí-lo. Confira:

HISTÓRIA

Baseada no best-seller do escritor Gregory Maguire, a superprodução estreou nos palcos em 2003 e recria um universo mágico, único e hipnotizante. As cenas falam sobre um tempo de muito antes de Dorothy chegar e de acontecer a história que a maioria de nós conhece. No palco, duas outras garotas se conheceram na Terra de Oz: Elphaba, nascida com a pele verde esmeralda - esperta, ardente e incompreendida - e Glinda - linda, popular e muito ambiciosa.

MÚSICAS E COREOGRAFIAS

A equipe criativa do musical é uma junção da Broadway, com nomes de peso, como Winnir Holzman, Joe Mantello, Wayne Cilento, Lisa Leguillou, Eugene Lee, o gênio Stephen Schwartz - que fez a famosa e premiada música de "Pocahontas", além de "O Corunda de Notredame", "O Príncipe do Egito", "Encantada" e outros - e profissionais brasileiros talentosos e reconhecidos, como Mariana Elisabetsky, Victor Muhlethaler, Rachel Ripani e Vânia Pajares. 

A versão brasileira das músicas estão incríveis, gostosas e descontraídas, o que casa com os movimentos precisos, leves e, ao mesmo tempo, intensos dos passos dos atores e bailarinos.

ADAPTAÇÃO BRASILEIRA 

Vale lembrar que para a adaptação, a equipe do exterior teve um pedido: fazer um espetáculo brasileiro e não uma réplica gringa. Os próprios diretores e toda a equipe incentivou os atores a colocarem sua brasilidade em seus respectivos papéis. Myra, por exemplo, que vive Elpheba, tem uma forma de andar tipicamente brasileira, mexendo os quadris. Stephen Schwartz disse que adorou o toque da atriz e pediu para que não o corrigisse. 

Tal liberdade fez com que os atores ficassem ainda mais envolvidos e que o espetáculo saísse ainda mais especial, de forma única, feito para o nosso país, com características típicas mesmo com a história e influências de fora. 

FIGURINO

O figurino está algo de outro mundo. Sem dúvidas, é impossível não ficar radiante com tantos detalhes, seja pelos diferentes tecidos, pelas cores, modelos ou acessórios postos em cena. 

ESSÊNCIA

Além de uma megaprodução que faz rir e chorar e de revelar os segredos que levaram Elphaba a se tornar a bruxa "má", fazendo com que Glinda ganhasse a simpatia dos habitantes da Cidade das Esmeraldas, o musical mostra por meio de números e performances surpreendentes que toda história tem diversos pontos de vista e que ser diferente também é motivo para fazer de você alguém único e extraordinário. 

CURIOSIDADES 

- O romance Wicked, de Gregory Maguire, foi publicado em 1995 e vendeu 5 milhões de cópias - 4.5 milhões delas vendidas a partir de 2003, ano em que o musical estreou. O livro ainda aparece na lista de best-sellers após 17 anos de sua publicação original

- O musical é até hoje o maior faturamento semanal da história da Broadway - arrecada normalmente US$ 1.8 milhão por semana

- Foram utilizados 115 quilos de gelo seco por show na Broadway. No Brasil serão usados 90 quilos

- O departamento elétrico usa eletricidade suficiente para abastecer aproximadamente 12 casas. E se incluirmos os departamentos de som e automação, esse número sobe para 18

- Foram utilizados de 13 a 16 quilômetros de cabos dentro do departamento elétrico na Broadway. Provavelmente serão utilizados entre 5 e 8 no Brasil

- A envergadura das asas do dragão é igual à de um Cessna 172 e seus olhos são feitos de lâmpadas LED vermelhas que nunca queimam

- A preparação das máscaras dos animais leva de 2 a 3 horas e a pessoa perde a maioria dos seus sentidos (olfato, visão, audição e fala) durante esse período. Dá pra acreditar?!

- O show tem 90 asas e utiliza 70 por sessão. Todas são feitas de cabelo humano e feitas exclusivamente para cada ator, utilizando a linha de cabelo de cada um

- Durante a primeira troca rápida do espetáculo, 17 atores trocam o figurino em apenas 1,5 minutos (incluindo roupas, perucas e sapatos)

SERVIÇO

Temporada: De 4 de março a 31 de julho de 2016
Sessões: Quintas e sextas, às 21h; sábados, às 16h e 21h, e domingos, às 15h e 20h
Ingressos: de R$25 a R$ 280


Por Nathália Tourais

Atualizado em 5 Mar 2016.

Mais notícias

12 peças de teatro e musicais imperdíveis para assistir em São Paulo em outubro de 2019

Teatro

20 peças infantis imperdíveis em São Paulo em outubro de 2019

Teatro

Mais de 20 espetáculos de Stand Up Comedy imperdíveis em São Paulo em outubro de 2019

Teatro

23 espetáculos de Stand Up Comedy imperdíveis em São Paulo em setembro de 2019

Teatro

13 peças infantis imperdíveis em São Paulo em setembro de 2019

Teatro

12 peças de teatro e musicais imperdíveis em São Paulo em setembro de 2019

Teatro