Guia da Semana
Teatro
Por Nathália Tourais

6 motivos para assistir ao musical "Wicked - A História Não Contada das Bruxas de Oz"

O maior Blockbuster da Broadway chega com montagem brasileira e grande elenco ao Teatro Renault.

Em cena, Myra Ruiz (Divulgação)

Assistido por mais de 48 milhões de pessoas no mundo e com um faturamento superior a US$ 3.9 bilhões, Wicked tem atualmente cinco produções em diferentes países (Nova York, Londres, Austrália, uma turnê no Reino Unido e uma nos EUA) e, finalmente, chega ao Brasil.

A montagem original - com letras em português - tem estreia marcada para o dia 4 de março no Teatro Renault e conta com um grande elenco de bailarinos, atores e músicos, entre eles, Myra Ruiz, Fabi Bang, Jonatas Faro, Sérgio Rufino e André Loddi. 

Assim, para que você saiba tudo o que pode esperar do espetáculo, o Guia da Semana lista 6 motivos pelos quais você precisa assistí-lo. Confira:

HISTÓRIA

Baseada no best-seller do escritor Gregory Maguire, a superprodução estreou nos palcos em 2003 e recria um universo mágico, único e hipnotizante. As cenas falam sobre um tempo de muito antes de Dorothy chegar e de acontecer a história que a maioria de nós conhece. No palco, duas outras garotas se conheceram na Terra de Oz: Elphaba, nascida com a pele verde esmeralda - esperta, ardente e incompreendida - e Glinda - linda, popular e muito ambiciosa.

MÚSICAS E COREOGRAFIAS

A equipe criativa do musical é uma junção da Broadway, com nomes de peso, como Winnir Holzman, Joe Mantello, Wayne Cilento, Lisa Leguillou, Eugene Lee, o gênio Stephen Schwartz - que fez a famosa e premiada música de "Pocahontas", além de "O Corunda de Notredame", "O Príncipe do Egito", "Encantada" e outros - e profissionais brasileiros talentosos e reconhecidos, como Mariana Elisabetsky, Victor Muhlethaler, Rachel Ripani e Vânia Pajares. 

A versão brasileira das músicas estão incríveis, gostosas e descontraídas, o que casa com os movimentos precisos, leves e, ao mesmo tempo, intensos dos passos dos atores e bailarinos.

ADAPTAÇÃO BRASILEIRA 

Vale lembrar que para a adaptação, a equipe do exterior teve um pedido: fazer um espetáculo brasileiro e não uma réplica gringa. Os próprios diretores e toda a equipe incentivou os atores a colocarem sua brasilidade em seus respectivos papéis. Myra, por exemplo, que vive Elpheba, tem uma forma de andar tipicamente brasileira, mexendo os quadris. Stephen Schwartz disse que adorou o toque da atriz e pediu para que não o corrigisse. 

Tal liberdade fez com que os atores ficassem ainda mais envolvidos e que o espetáculo saísse ainda mais especial, de forma única, feito para o nosso país, com características típicas mesmo com a história e influências de fora. 

FIGURINO

O figurino está algo de outro mundo. Sem dúvidas, é impossível não ficar radiante com tantos detalhes, seja pelos diferentes tecidos, pelas cores, modelos ou acessórios postos em cena. 

ESSÊNCIA

Além de uma megaprodução que faz rir e chorar e de revelar os segredos que levaram Elphaba a se tornar a bruxa "má", fazendo com que Glinda ganhasse a simpatia dos habitantes da Cidade das Esmeraldas, o musical mostra por meio de números e performances surpreendentes que toda história tem diversos pontos de vista e que ser diferente também é motivo para fazer de você alguém único e extraordinário. 

CURIOSIDADES 

- O romance Wicked, de Gregory Maguire, foi publicado em 1995 e vendeu 5 milhões de cópias - 4.5 milhões delas vendidas a partir de 2003, ano em que o musical estreou. O livro ainda aparece na lista de best-sellers após 17 anos de sua publicação original

- O musical é até hoje o maior faturamento semanal da história da Broadway - arrecada normalmente US$ 1.8 milhão por semana

- Foram utilizados 115 quilos de gelo seco por show na Broadway. No Brasil serão usados 90 quilos

- O departamento elétrico usa eletricidade suficiente para abastecer aproximadamente 12 casas. E se incluirmos os departamentos de som e automação, esse número sobe para 18

- Foram utilizados de 13 a 16 quilômetros de cabos dentro do departamento elétrico na Broadway. Provavelmente serão utilizados entre 5 e 8 no Brasil

- A envergadura das asas do dragão é igual à de um Cessna 172 e seus olhos são feitos de lâmpadas LED vermelhas que nunca queimam

- A preparação das máscaras dos animais leva de 2 a 3 horas e a pessoa perde a maioria dos seus sentidos (olfato, visão, audição e fala) durante esse período. Dá pra acreditar?!

- O show tem 90 asas e utiliza 70 por sessão. Todas são feitas de cabelo humano e feitas exclusivamente para cada ator, utilizando a linha de cabelo de cada um

- Durante a primeira troca rápida do espetáculo, 17 atores trocam o figurino em apenas 1,5 minutos (incluindo roupas, perucas e sapatos)

SERVIÇO

Temporada: De 4 de março a 31 de julho de 2016
Sessões: Quintas e sextas, às 21h; sábados, às 16h e 21h, e domingos, às 15h e 20h
Ingressos: de R$25 a R$ 280


Por Nathália Tourais

Atualizado em 5 Mar 2016.

Mais notícias

Mais de 10 espetáculos de Stand Up Comedy para assistir em São Paulo em abril de 2019

Teatro

8 peças de teatro infantis para assistir em abril de 2019

Teatro

9 peças de teatro e musicais imperdíveis em São Paulo em abril de 2019

Teatro

12 espetáculos de Stand Up Comedy que estão em cartaz em São Paulo em março de 2019

Teatro

7 peças infantis imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Teatro

10 peças de teatro e musicais imperdíveis em São Paulo em março de 2019

Teatro