Guia da Semana
Turismo
Por Redação Guia da Semana

A Veneza russa

São Petersburgo foi construída em um pântano drenado há cerca de 300 anos e possui muita história e monumentos que chamam a atenção dos visitantes que passam por lá.

Há cerca de três séculos, o Czar Pedro, o Grande queria modernizar seu país, com a construção de uma nova capital. Foi então que São Petersburgo, localizada no Leste Europeu, foi erguida em um pântano, que precisou ser drenado, resultando nos canais que estão espalhados por toda a cidade, concebida como "a janela da Rússia para o Ocidente". Serviu como capital por cerca de 200 anos e só deixou de ser após a Revolução Russa, em 1917. Hoje, é a segunda maior cidade da Rússia e boa parte dela é tombada como patrimônio mundial da UNESCO. Veja alguns dos seus principais pontos turísticos e o porquê deles serem tão procurados.
 
O maior museu de arte
 
O Palácio de Inverno, construído para abrigar todos os czares russos na época mais fria do ano no país, já é um monumento por si só, localizado ao longo do Rio Neva. Foi (e ainda é) uma das estruturas mais importantes e mais visitadas da cidade e demorou cerca de oito anos para ficar pronto, com mais de 400 aposentos, que incluem a Sala do Trono, o Teatro e a Igreja. Hoje, o palácio abriga um dos maiores museus de arte do mundo, o Museu do Hermitage, com obras e objetos de todas as épocas das histórias russa, europeia, oriental e até do norte da África. Seu acervo possui cerca de três milhões de peças distribuídas em dez prédios.
 
De acordo com a história, foi a imperatriz Catarina II que levou as primeiras peças para o palácio. Após sua morte, o local deixou de ser o centro da monarquia russa. Foi graças ao neto da imperatriz, Alexandre I, que o Hermitage se tornou um museu aberto para a visitação pública. Porém, um incêndio em 1837 acabou com parte da estrutura do local, que foi reconstruída assim como a original. O local está aberto para visitação de terça a domingo, a partir das 10h30 (horário local).

Foto: Getty Images

São Petersburgo também chama a atenação dos turistas para suas catedrais e igrejas grandiosas
 
Catedrais e igrejas
 
São Petersburgo chama a atenção de seus visitantes pela arquitetura grandiosa. Uma delas é a Catedral de Nosso Salvador do Sangue Derramado. O nome não é muito atrativo, mas ela, que foi construída no século 19, possui torres coloridas, decoradas com ouro e pedras preciosas, mostrando o crescimento industrial e econômico da cidade na época. O nome se refere ao assassinato do Tzar Alexandre II, que aconteceu em 1881.
 
Já a Igreja da Ressurreição de Cristo por pouco não foi demolida, em 1930, pelo governo soviético. O local era visto como um símbolo religioso de um estado ateu. Mas foi apenas fechado na época e reaberto há alguns anos, se tornando um museu. Seu interior é decorado com mosaicos de mármore, que cobrem toda as paredes.
 
Pontes monumentais
 
Outros destaques de São Petersburgo são as pontes construídas para ligar as ilhas do Rio Neva, que formam toda a cidade. Por isso é apelidada de Veneza do Báltico. Essas pontes são belas obras arquitetônicas, que também atraem os olhares dos turistas. Mas também são pontos de observação para outras partes da cidade, onde os amantes de fotografias conseguem fazer imagens espetaculares.

Uma delas é a ponte Alexandre Nevsky, a maior da cidade, com 900 metros de extensão e 35 de largura. Ela foi construída em 1960 e liga o centro ao bairro Malaya Okhta. O Palácio de Inverno também possui uma ponte que o liga até o outro lado do Rio Neva, chamada Ponte do Palácio. Há também a Ponte Anichkov ou Ponte dos Cavalos. Em suas extremidades há quatro diferentes esculturas de cavalos em posições diferentes. Uma curiosidade a respeito dela é que, durante a guerra, as esculturas foram escondidas para não serem destruídas pelo exército alemão.

Foto: Getty Images

As pontes construídas para ligarem as ilhas do Rio de Neva também possuem estilo e são alvo dos amantes de ótimas fotos

No verão, muitas embarcações passam pelo Rio Neva, sendo que as pontes ficam fechadas para a passagem de pedestres durante a noite. Já no inverno, o rio congela, então elas ficam abertas durante dia e noite.

Quando ir

No verão, os dias são longos, o que permite ao turista conhecer ainda mais a cidade. É recomendado - e mais procurado - ir em junho. Mas, se você gosta de frio e admira o visual de países que nevam, a melhor época para visitar a cidade é em janeiro, quando é inverno em todo o hemisfério norte. Durante o dia, a temperatura chega aos -10ºC. Então, prepare a mala com roupas grossas e quentes.

Quem leva

Século XXI
Apartamento duplo: 1190 euros (por pessoa)
Cinco noites com café da manhã
Verificar datas de saída para fechar. Em janeiro de 2011, já estão programadas viagens em 2 e 28.



Atualizado em 6 Set 2011.

Mais notícias

Chuva de meteoros será visível na noite desta quarta-feira

Turismo

Brasil estreia contra a Suíça na Copa do Mundo de 2018; jogo será no dia 17 de junho

Turismo

Agora você pode comprar passagens de ônibus no Guia da Semana – e pelo melhor preço!

Turismo

Hotéis Mercure oferecem descontos a seus hóspedes em ingressos de espetáculos dos teatros ‘Bradesco’ e ‘Opus’; saiba mais

Turismo

Disney divulga primeiras imagens do parque do Star Wars

Turismo

5 opções de hospedagens para quem vai curtir o Rock In Rio 2017

Turismo